Pequeno Príncipe dá dicas de prevenção ao novo coronavírus - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Pequeno Príncipe dá dicas de prevenção ao novo coronavírus

Com o registro dos primeiros casos no Brasil, o Hospital também reforça a necessidade de uma atenção especial às crianças
26/02/2020

A confirmação pelo Ministério da Saúde dos primeiros casos positivos do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil pede atenção especial de toda a população para o assunto. E o Hospital Pequeno Príncipe reforça aos pais, cuidadores, educadores e toda a sociedade a necessidade de um cuidado diferenciado com as crianças. “Elas transmitem muito mais infecção por via respiratória pelo contato com outros meninos e meninas, além da proximidade que têm com os adultos. É um grupo de risco e por isso devemos ficar atentos”, salienta o vice-diretor técnico da instituição, o médico infectologista pediátrico Victor Horácio de Souza Costa Júnior.

Para proteger as crianças, algumas medidas são essenciais. “É preciso estimular a ingestão de líquidos, a adoção de bons hábitos alimentares, de sono e, sobretudo, tornar rotina a higienização das mãos e também ao tossir”, completa.

O médico infectologista pediátrico lembra que o álcool gel deve ser usado sempre que a criança tocar em qualquer objeto, ao cumprimentar uma pessoa e quando retornar de atividades habituais do dia a dia – como os momentos de lazer em parques, nas áreas comuns de recreação de prédios/condomínios, shoppings, entre outros locais. “Também é fundamental que, ao tossir, coloque o antebraço na boca. Jamais as mãos, pois elas favorecem o contágio dessas doenças”, observa.

Fonte: G1

Informação
A informação faz a diferença na compreensão e prevenção ao coronavírus. “Atualmente, com o surto presente na China, o vírus ganhou uma notoriedade muito maior.  Não é uma gripe, esse termo utilizamos apenas para a infecção causada pelo influenza. O coronavírus é responsável por um quadro de insuficiência respiratória com pneumonia, por isso a transmissão por via respiratória acaba sendo mais comum”, alerta Costa Júnior.

Com enorme repercussão na mídia, indícios apontam a cidade chinesa de Wuhan como o local de surgimento do vírus. Um mercado de animais – possível foco de transmissão aos humanos – foi interditado para averiguação.

O novo coronavírus, tipo de organismo RNA que causa doença pulmonar, com sintomas como febre, tosse, falta de ar e dificuldade em respirar, recebe esse nome por causa de sua aparência que, quando observada em microscópio, remete a uma coroa (corona significa coroa em italiano e espanhol).

*Confira o vídeo especial com as dicas e informações do médico infectologista pediátrico do Hospital Pequeno Príncipe, Victor Horácio de Souza Costa Júnior:
https://youtu.be/RkxHgxzl95M

Prevenção
Contagioso, o COVID-19 normalmente é transmitido por meio de gotículas expelidas quando tossimos. A prevenção, em áreas de risco, é feita evitando o contato (sem proteção) com animais e com pessoas que apresentam sintomas semelhantes aos do resfriado e da gripe.

O infectologista pediátrico lembra que o novo coronavírus pode se expandir, principalmente, pelo contato com pessoas que viajam pelo mundo todo. “Temos que ficar atentos a pelo menos três sintomas: febre, dor pelo corpo e insuficiência respiratória. Por conta disso, toda pessoa que veio do Oriente Médio, da Ásia e que volta com esse tipo de sintoma deve procurar atendimento para que seja feito o diagnóstico”, reitera Costa Júnior. Infelizmente, até o momento não há nenhum remédio ou vacina específica para combater esse vírus.

Dicas importantes

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

 – Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
– Evitar contato próximo com pessoas doentes.
– Ficar em casa quando estiver doente.
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
– Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias ,como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais