Diagnóstico precoce é essencial no tratamento das doenças reumatológicas - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Diagnóstico precoce é essencial no tratamento das doenças reumatológicas

Neste Dia Nacional de Luta Contra o Reumatismo, 30 de outubro, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de detectar as enfermidades com antecedência, para um menor comprometimento da qualidade de vida das crianças e dos adolescentes
30/10/2017
A reumatologista Marcia Bandeira atende a atleta paralímpica e ex-paciente do Pequeno Príncipe, Danielle Rauen, diagnosticada ainda na infância com artrite idiopática juvenil.

Engana-se quem pensa que as doenças reumatológicas são exclusivas de adultos. As crianças e os adolescentes, sejam por infecção ou predisposição genética, também estão sujeitos às enfermidades. Devido à falta de informações acerca do tema, muitos pacientes chegam ao médico quando já apresentam sequelas e redução na qualidade de vida. Pensando nisso, neste Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo, 30 de outubro, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância do diagnóstico precoce.

Estima-se que existam mais de 200 doenças reumatológicas. Elas acometem os ossos, colágeno e articulações.  Dados demonstram que cerca de 25% dessas enfermidades ocorram em pessoas com menos de 16 anos nos países desenvolvidos. “O reumatismo na infância pode ser decorrente de uma série de fatores, entre eles condições genéticas e inflamações mal tratadas”, explica a reumatologista pediátrica da instituição, Márcia Bandeira.

A observação dos pais e cuidadores no combate ao reumatismo é fundamental. “Em alguns casos, como o reumatismo no sangue – mais conhecido como febre reumática –, as crianças apresentam dores nas grandes juntas (joelho, quadril, tornozelo e cotovelo). Já a artrite idiopática juvenil tem uma condição mais crônica e não é caracterizada por dores agudas. Então, os pais devem estar atentos à movimentação dos meninos e meninas, se eles estão tendo mais dificuldade em correr, por exemplo”, detalha a médica.

Um dos fatores mencionados pela especialista que atrasa o diagnóstico é a mudança de hábitos na infância. “Hoje, os jovens não brincam mais como antigamente e passam muito tempo em casa, nos computadores e videogames. Isso dificulta que os pais notem as alterações de movimentos e faz com que o diagnóstico seja tardio”, destaca.

O tratamento das doenças reumatológicas consiste no uso de medicamentos, acompanhamento fisioterápico e psicoterapêutico. “No Pequeno Príncipe, contamos com uma equipe multidisciplinar para cuidar desses casos. Temos 90% de sucesso no tratamento dessas enfermidades”, afirma a profissional.

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais