Depois da folia, o “bloco da organização diária” pede passagem - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Depois da folia, o “bloco da organização diária” pede passagem

Voltar à rotina depois com o fim do carnaval pode ser complicado, mas garante às crianças e aos adolescentes um sentimento de segurança e organização
02/03/2017


O fim do carnaval traz um alerta: é hora de colocar a rotina em ordem, principalmente quando se trata do dia a dia das crianças e dos adolescentes. As práticas diárias garantem um sentimento de segurança e organização na vida dos meninos e meninas. Apesar disso, todo excesso é prejudicial, por isso, flexibilidade e bom senso ajudam a determinar as regras.

A coordenadora do Serviço de Psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, Ângela Bley, garante que a rotina é fundamental para estipular limites. “Na fase da adolescência, por exemplo, os meninos e meninas estão buscando o seu lugar no mundo. Nesse contexto, a rotina pode auxiliá-los e evitar que eles se percam”, aponta a psicóloga.

Nos casos das crianças, de acordo com a especialista, repetir os hábitos pode trazer segurança e senso de organização. “Algumas pessoas nascem assim, mas outras precisam que isso seja imposto. É por meio da rotina que elas aprendem a ter foco e se sentem parte de um todo”, explica a especialista.

As práticas também devem ser mantidas quando os meninos e meninas têm pais separados ou, por exemplo, quando vão dormir na casa de parentes. “Mudar essa rotina pode trazer confusão para as crianças, por isso é fundamental estabelecer um padrão. E, a não ser aos fins de semana, ele precisa ser cumprido”, destaca Ângela.

Porém, é necessário cautela. Exagerar no cumprimento da rotina pode gerar revoltas, principalmente quando se tratam dos adolescentes. “A flexibilidade e o bom senso são as palavras de ordem. É preciso saber adaptar a rotina, mas jamais ignorá-la”, afirma a profissional.

+ Notícias

16/04/2024

COVID-19 e dengue são ameaças à saúde das crianças no Brasil

Primeiro trimestre de 2024 foi marcado pela elevação do número de casos e de mortes provocadas pelas duas doenças
11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
Ver mais