Crescimento: como saber se o seu filho está crescendo pouco?

Notícias

Como saber se o seu filho está crescendo pouco?

Um dos sinais é o distanciamento progressivo da altura da criança em relação aos seus colegas de turma
25/03/2022
crescimento
A confirmação do distúrbio no crescimento da criança deve ser feita pelo pediatra, que encaminhará o paciente ao endocrinologista, quando necessário.

 

Meu filho está crescendo normalmente? Essa é uma pergunta comum quando o assunto é o desenvolvimento das crianças. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SPB), monitorar o crescimento é importante, pois ele é um dos indicadores de como está a saúde da criança. O acompanhamento já começa na barriga da mãe, por meio da ultrassonografia obstétrica. Após o nascimento, a altura e o peso do bebê devem ser aferidos pelo pediatra nas consultas de rotina até os seus 18 anos.

A médica endocrinologista Rosângela Réa, do Hospital Pequeno Príncipe, explica que o crescimento e o desenvolvimento das crianças devem ocorrer em harmonia. Um dos sinais que ajudam os pais e responsáveis a perceberem com facilidade se essa relação está desproporcional é o distanciamento progressivo da altura da criança em relação aos seus colegas de turma.

“Mas é importante lembrar que o crescimento não é linear, podendo variar conforme a fase de vida da pessoa. Na puberdade, por exemplo, tanto o desenvolvimento como o crescimento costumam ocorrer de maneira acelerada, constituindo o chamado estirão puberal”, enfatiza a especialista. Além disso, pode haver aceleração do crescimento e desenvolvimento puberal da criança antes do tempo, caracterizando a puberdade precoce, frequentemente associada à diminuição da estatura final.

A constatação ou confirmação do distúrbio no crescimento da criança deve ser feita pelo pediatra, que encaminhará o paciente ao endocrinologista quando julgar necessário. Para auxiliar no diagnóstico são realizados exames de laboratório e testes específicos de crescimento, além de radiografias de mãos e punhos para avaliação da idade óssea, que ajudam a determinar a altura prevista para cada indivíduo em um determinado momento.

Causas e tratamentos

A causa mais comum de baixa estatura é a idiopática, ou seja, a falta isolada do hormônio de crescimento, geralmente sem motivo definido. Mas várias doenças também podem afetar o crescimento, como os tumores de crânio, radioterapia na cabeça, infecções, doenças inflamatórias e distúrbios genéticos.

Nos casos em que a baixa estatura está relacionada à deficiência do hormônio de crescimento, a reposição dessa própria substância é indicada assim que o diagnóstico for confirmado, e de preferência antes que esteja próximo do fechamento das placas de crescimento (áreas de cartilagem) nos ossos longos (como os dos braços e pernas). Outros tratamentos são indicados quando as causas de crescimento lento não são hormonais e estão ligadas a problemas como doença celíaca e hipotireoidismo.

Durante o período de desenvolvimento da criança, muitos fatores contribuem para um bom crescimento, como uma alimentação suficiente em calorias e nutrientes essenciais, a exemplo do cálcio e das vitaminas, além de um sono adequado e da prática de exercícios e vida ao ar livre. “Uma vida saudável ajuda as crianças a atingirem todo seu potencial de crescimento”, ressalta a especialista do Pequeno Príncipe.

Serviço de Endocrinologia

O Serviço de Endocrinologia do Hospital Pequeno Príncipe conta com especialistas no desenvolvimento infantil que oferecem tratamento para crianças com baixa estatura, puberdade precoce, alterações do desenvolvimento sexual, diabetes e doenças da tireoide e das glândulas adrenais, por exemplo. O serviço também atende pacientes com enfermidades raras, como a osteogênese imperfeita, conhecida como doença dos ossos de vidro.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
20/11/2022

Dia Mundial da Criança chama atenção à defesa de direitos

Em sua trajetória centenária, o Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas  
18/11/2022

Eletrofisiologia: Pequeno Príncipe é pioneiro em pediatria e mapeamento do coração em procedimento cirúrgico

O serviço também é referência no Brasil na realização de procedimentos invasivos e colocação de dispositivos eletrônicos no público infantojuvenil
Ver mais