Alex doa camisa do jogo 1000 ao Pequeno Príncipe e realiza sonho de paciente coxa-branca - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Alex doa camisa do jogo 1000 ao Pequeno Príncipe e realiza sonho de paciente coxa-branca

O meia alviverde também doou uma camisa do jogo 999 e visitou a sala de fisioterapia do Hospital que leva o seu nome
07/03/2014

DSC_0060Passava das 13 horas desta sexta-feira, 07, quando Alex chegou ao Hospital Pequeno Príncipe. Na agenda, o meia coxa-branca faria mais uma ação em prol da instituição da qual é embaixador do Programa Gols pela Vida desde 2010, doando a camisa usada no jogo 1000 da carreira – que resultou na vitória alviverde contra o JMalucelli, no qual marcou o gol decisivo em uma cobrança de pênalti.  Para surpresa de todos, Alex também doou a camisa do jogo 999, que é verde e amarela em comemoração à Copa 2014.

No hall do Hospital, Ney Carlos Nardino Filho, 13 anos, paciente da instituição há seis anos, escrevia a história da sua relação com o Pequeno Príncipe e nem imaginava que em poucos minutos estaria diante do craque Alex, ídolo do menino, único coxa nascido em um lar atleticano. Ney perdeu a voz, não sabia o que fazer, paralisou. Alex foi até o garoto, o cumprimentou e sentou ao seu lado para uma conversa tímida.

“Eu não esperava conhecer o Alex. O Tcheco esteve aqui e disse que eu poderia entrar em campo e achei que fosse conhecer o Alex nesse dia. Estou bastante feliz”, revelou o menino. O pai atleticano também se rendeu ao jogador mais badalado do futebol paranaense. “Eu sou atleticano, mas quem não respeita e não gosta do Alex? É uma honra conhecê-lo.”

O jogador também encontrou a menina Luana dos Anjos Silva, 13 anos, uma superfã do Coritiba. Ela contou que há algum tempo ganhou uma camisa – que estava vestindo nesta sexta-feira – autografada por Alex. O craque abriu um sorriso ao ver a garota e disse que se lembra de quando assinou a camisa.

O atleta sabe a importância desse tipo de ação para os pacientes. “É uma satisfação grande porque eu tenho aquilo que a maioria das pessoas desejam, que é saúde. Esse é o nosso bem maior. Espero que de alguma forma eu possa ajudar o Ney. Espero que ele ganhe força e a condição de recuperação dele seja sempre melhor.”

Além disso, Alex sabe que sua participação em ações como essa são importantes porque trazem visibilidade para o Pequeno Príncipe. “É uma chance de chamar a atenção de outras pessoas, de empresários e jogadores de futebol. Nossos governantes têm suas obrigações, mas as pessoas físicas e jurídicas podem ajudar. Minha participação aqui traz uma alegria grande para mim e para minha família, mas é uma participação pequenininha diante de tudo o que todos os cidadãos podem fazer”, avalia.

“A visita do Alex traz alegria, traz a lembrança que saúde é um superprivilégio, traz a postura do atleta relacionada à saúde. A visita dele toca em um ponto importante, que é oferecer o que a gente tem de melhor, nosso tempo, energia. E olhar o Ney aqui, agora com a camisa do Coxa também assinada pelo Alex é muito emocionante”, ressalta o diretor-corporativo do Pequeno Príncipe, José Álvaro Carneiro.

Programa Gols pela Vida
As camisas recebidas integrarão o acervo do Programa Gols pela Vida, plataforma para captação de recursos para apoiar a diminuição da mortalidade infantojuvenil, que tem como padrinho o maior jogador de futebol de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento – Pelé – e conta com uma rede internacional de fortalecimento de pesquisa.

Alex e o Pequeno Príncipe
Alex é embaixador do Programa Gols pela Vida desde junho de 2010. É padrinho da Sala de Fisioterapia “Alex de Souza”, onde se encontra o pediasuit, equipamento doado pelo jogador que é utilizado no tratamento de crianças com dificuldades motoras. Dentre outras iniciativas, o craque é um dos líderes do Jogo das Estrelas que acontece, anualmente, no Torneio Gols pela Vida.

+ Notícias

23/05/2022

Voluntários do Pequeno Príncipe retornam às atividades presenciais

A retomada foi possível com todos os cuidados que o momento de pandemia do coronavírus ainda exige
19/05/2022

Representantes do CEDCA visitam o Centro de Reabilitação e Convivência Pequeno Príncipe

A unidade, que foi reestruturada, atende a diferentes tipos de deficiências de forma integral e humanizada
18/05/2022

Em um ano, Hospital atende mais de 600 crianças e adolescentes vítimas de violência

Em comparação com o ano anterior, o aumento de casos foi de 11%; mais da metade das ocorrências aconteceu na residência da própria criança
17/05/2022

Pequeno Príncipe inicia campanha televisiva para captação de recursos

A iniciativa busca dar mais visibilidade para a causa da saúde infantojuvenil, além de contribuir para a sustentabilidade econômico-financeira da instituição
16/05/2022

Atualização do calendário vacinal pode prevenir casos de SRAG no público infantojuvenil

Diversas doenças respiratórias podem evoluir para a síndrome aguda grave. O Pequeno Príncipe alerta que as medidas de prevenção, como a imunização, precisam ser mantidas
15/05/2022

Sintomas da mucopolissacaridose aparecem na primeira infância

A doença rara é genética e neurodegenerativa, que evolui com sintomas multissistêmicos
Ver mais