8 de agosto: Dia Nacional de Combate ao Colesterol - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

8 de agosto: Dia Nacional de Combate ao Colesterol

O acúmulo de gorduras no sangue é decorrente do aumento do colesterol no organismo e pode resultar em sérios problemas cardíacos
08/08/2016

DSC_0007Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) apontam que 20% das crianças e adolescentes, entre dois e 19 anos, apresentam níveis elevados de colesterol no sangue. Por conta disso, o acompanhamento das taxas de gordura no organismo desde a infância é fundamental para prevenir complicações futuras. Com o objetivo de alertar e conscientizar a sociedade, nesta segunda-feira, dia 8, é lembrado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol.

De acordo com a endocrinologista do Hospital Pequeno Príncipe, Rosângela Rea, o colesterol é um tipo de gordura necessária ao organismo. “Ele é responsável pela formação de alguns hormônios, vitamina D e ácidos biliares, que ajudam na digestão das gorduras”, explica. Apesar disso, é preciso equilíbrio. “O excesso de colesterol no sangue é prejudicial e aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares”, completa a médica.

Existem dois tipos de colesterol:
Sem título
Fatores de risco
O aumento do colesterol pode estar ligado a tendências genéticas e hereditárias. No entanto, a ingestão de gorduras saturadas contribui para isso ocorrer. “Carnes vermelhas, massas, doces, álcool e frituras aumentam a quantidade de colesterol no organismo e, por isso, devem ser evitadas”, salienta Rosângela.

Sintomas
O colesterol não apresenta sintomas. Apesar disso, as pessoas que tiverem histórico familiar de doenças cardíacas, por exemplo, devem ficar atentas. “Para esses indivíduos, o ideal é começar o acompanhamento ainda quando criança, a partir dos dois anos. É preciso observar na infância para prevenir complicações futuras”, relata a médica. A obesidade e o sedentarismo também podem ser indícios da alta taxa de colesterol no organismo.

Tratamento
O tratamento para colesterol alto exige mudanças de hábitos. “Comer de forma saudável, ingerir mais fibras e diminuir o consumo de gorduras é essencial nesses casos. Praticar atividades físicas, reduzir o estresse e manter a pressão arterial estável e o peso sob controle, são fundamentais para o equilíbrio”, afirma Rosângela. Quando a mudança de hábitos não é suficiente, no entanto, é necessário buscar orientação médica, para ver se há necessidade de tomar medicação específica.

+ Notícias

02/12/2022

Mitos e verdades sobre convulsões

Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
21/11/2022

Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
Ver mais