40% das vítimas de fumo passivo no Brasil são crianças - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

40% das vítimas de fumo passivo no Brasil são crianças

Em médio e longo prazo, os meninos e meninas também sofrem as mesmas consequências de quem faz uso ativo do cigarro, e ficam sujeitos ao aparecimento de doenças cardiovasculares e pulmonares
31/05/2017

O uso do tabaco causa a morte de mais de 7 milhões de pessoas no mundo, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).  O cigarro também prejudica as crianças que convivem com os fumantes. Elas representam cerca de 40% das vítimas de fumo passivo no Brasil.

Por conta disso, neste Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio, o Hospital Pequeno Príncipe alerta para as consequências dessa substância, que pode provocar o aparecimento de doenças cardiovasculares e pulmonares. Muitas pessoas não sabem que apenas tocar, por exemplo, em um móvel contaminado com a nicotina é suficiente para transmitir doenças. “Os pais, muitas vezes, fumam e essas substâncias ficam impregnadas nas casas. Quando a criança toca nesses lugares, ela também corre riscos de saúde”, explica o pediatra do Pequeno Príncipe, Nilton Kiesel.

Além disso, de acordo com o médico, crianças com asma que convivem com adultos fumantes têm 20% mais chances de ter pneumonia. “Não adianta fumar nas varandas ou sacadas. Os pais devem sair de casa, afastar-se por cerca de 50 a 100 metros, e só retornar depois de duas horas. Caso contrário, trazem as substâncias da nicotina na própria respiração”, afirma.

Avanços
A proibição de fumar em locais públicos tem melhorado a qualidade de vida das pessoas. Além disso, colabora para não incentivar outros indivíduos a fazer o uso do tabaco. O fim das propagandas de cigarro e a padronização das embalagens do produto, que trazem informações sobre os malefícios do fumo, também colaboram com esse processo.

Desafios a serem superados
Segundo informações da OMS, o uso do tabaco ainda custa às famílias e governos mais de US$ 1,4 trilhão. Essas despesas são decorrentes de gastos com a saúde e o decréscimo de produtividade. Os resíduos do cigarro também contêm mais de 7 mil substâncias químicas tóxicas que envenenam o meio ambiente, sendo algumas delas cancerígenas para humanos.

+ Notícias

08/02/2023

Gravidez na adolescência: a prevenção começa com educação e diálogo

Um ambiente acolhedor e de confiança é fundamental para o desenvolvimento saudável de meninos e meninas  
07/02/2023

Nota de pesar pelo falecimento do pediatra Danilo Cerqueira Leite Junior

O médico, com mais de 50 de formação, atuou no Pequeno Príncipe e contribuiu com cuidados a milhares de crianças e adolescentes que passaram pelo Hospital nas últimas décadas
06/02/2023

ALTA COMPLEXIDADE | Serviço de Cirurgia Vascular

O Hospital Pequeno Príncipe tem equipe especializada no tratamento de doenças do sistema circulatório em crianças e adolescentes
03/02/2023

Gravidez na adolescência: quais são os riscos?

A gestação nessa fase, que compreende dos 10 aos 19 anos, gera uma série de consequências para a vida da mãe e do bebê
01/02/2023

Volta às aulas e a imunização de crianças e adolescentes

As medidas de higiene das mãos, etiqueta ao tossir e uso de máscara também auxiliam a evitar a disseminação de doenças
27/01/2023

Hanseníase: atenção aos sinais e sintomas auxilia diagnóstico

Neste Dia Mundial de Combate à Hanseníase, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de se buscar os serviços de saúde logo no aparecimento dos primeiros sinais e lembra que a doença tem cura
Ver mais