Tetralogia de Fallot

Tetralogia de Fallot

O que é?

A tetralogia de Fallot é uma doença cardíaca congênita (o bebê nasce com ela) e cianótica (que provoca cor azulada na pele), causada por uma combinação de quatro defeitos cardíacos: defeito do septo ventricular, estenose pulmonar, dextroposição da aorta e hipertrofia ventricular direita.

Essa combinação de defeitos leva à redução do fluxo sanguíneo para os pulmões, causando a mistura de sangue rico em oxigênio (vermelho) com sangue pobre em oxigênio (azul) resultando em níveis baixos de oxigenação no sangue, baixo ganho de peso e baixa estatura.

Quando acontece?

A tetralogia de Fallot é uma doença congênita (a criança nasce com ela). Em alguns casos, está relacionada a anormalidades cromossômicas e atinge menos de 15 mil crianças por ano no Brasil, ocorrendo igualmente em meninos e meninas.

Causas e fatores de risco

  • Genética (alteração no material genético durante a formação do bebê)
  • Rubéola ou outra doença viral durante a gravidez da mãe
  • Alcoolismo materno
  • Síndrome de Down
  • Síndrome da deleção 22q11.2 (síndrome de DiGeorge)
  • Outras anormalidades cromossômicas

Sintomas possíveis

  • Cianose (pele, lábios e unhas azulados)
  • Falta de ar
  • Má alimentação
  • Problemas de crescimento
  • Dificuldade para ganhar peso
  • Intolerância a atividades que exijam esforço
  • Desmaios
  • Respiração rápida
  • Irritação
  • Sonolência
  • Brincadeiras e exercícios sempre na posição de cócoras

Fique atento! Os sintomas podem ser diferentes em cada criança e podem ser semelhantes aos de outras doenças. Nesse caso, o alerta é a cor azulada da pele, dos lábios e das unhas. Procure sempre um médico para obter um diagnóstico preciso.

Diagnóstico

A tetralogia de Fallot pode ser diagnosticada nos primeiros dias de vida, devido a um sopro alto no coração ou cianose de pele e mucosas (cor azulada). Alguns exames podem ser feitos para confirmar a presença dessa enfermidade: radiografia do tórax, ecocardiograma, eletrocardiograma e cateterismo cardíaco ou angiotomografia de tórax.

Ela também pode ser diagnosticada ainda no útero da mãe. O diagnóstico pré-natal (antes do nascimento) é importante porque os bebês com essa doença cardíaca podem ter outros problemas de saúde associados, e o médico pode avaliar a necessidade de cirurgia já no nascimento.

Se na família houver casos da doença, a criança precisará consultar um cardiologista, que investigará o histórico familiar e fará o diagnóstico adequado.

Tratamento

Apesar de grave, essa é uma doença tratável. O tratamento dependerá dos sintomas, da idade e do estado geral de saúde da criança. Também vai depender da gravidade da condição, do grau de estreitamento na artéria pulmonar e ramos pulmonares.

Todas as crianças que têm tetralogia de Fallot precisam fazer cateterismo cardíaco e cirurgia para corrigir o problema. A operação consiste no fechamento da comunicação interventricular, na ampliação da saída de sangue para o pulmão e na melhora na abertura da válvula pulmonar.

A maioria faz o procedimento cirúrgico antes de completar 1 ano de idade. Algumas precisam de um implante (shunt) para manter o fluxo sanguíneo pulmonar estável até o momento da correção total da doença.

Quando devo procurar o Hospital Pequeno Príncipe?

Crianças com tetralogia de Fallot precisam de acompanhamento com exames da evolução da função e do tamanho do coração. No Pequeno Príncipe, o paciente é cuidado com o monitoramento de qualquer alteração desde o primeiro momento.

Se notar que o bebê está com lábios e pele azulados, procure um médico para o diagnóstico correto. Se a doença não for tratada, poderá causar problemas sérios, como dificuldade respiratória, desidratação e convulsão. Com o tratamento adequado, as crianças com tetralogia de Fallot podem ter uma vida saudável.

Clique aqui e conheça os nossos especialistas.

Ver menos