UTI Neonatal é referência em tratar malformações e doenças complexas

Notícias

ALTA COMPLEXIDADE | UTI Neonatal é referência em tratar malformações e doenças complexas

Hospital Pequeno Príncipe conta com equipamentos de ponta e equipes multiprofissionais especializadas em nenéns de alto risco
10/07/2023
UTI Neonatal Hospital Pequeno Príncipe
A UTI Neonatal do Hospital Pequeno Príncipe é diferenciada por atender pacientes de alta complexidade.

A UTI Neonatal do Hospital Pequeno Príncipe, além de receber pacientes prematuros, atende recém-nascidos com malformações e comorbidades (ou seja, com duas ou mais doenças relacionadas). Isso faz com que a unidade se diferencie pela alta complexidade dos casos recebidos de todos os estados do Brasil. A UTI Neonatal dispõe de 20 leitos com equipamentos de ponta – como respiradores de última geração – que garantem conforto e segurança para os pequenos pacientes, além de profissionais especializados em bebês de alto risco.

Os pacientes que chegam à UTI Neonatal do Hospital Pequeno Príncipe vêm das maternidades e hospitais com a necessidade de um atendimento multiprofissional, com cuidados intensivos 24 horas por dia e tratamentos diferenciados. A instituição é reconhecida como um centro de referência para tratar malformações (neurológicas, renais, cardíacas, hepáticas, intestinais, hemato-oncológicas, imunológicas, oftalmológicas, otorrinolaringológicas, esqueléticas e cutâneas) e também realizar intervenções cirúrgicas ou atendimento para diagnosticar e tratar doenças de alta complexidade e raras.

Fisioterapeuta
A UTI Neonatal conta com o cuidado multidisciplinar e humanizado.

Para o tratamento clínico, cirúrgico, investigativo, com a presença e participação ativa da família, a UTI Neonatal conta com a atuação conjunta de 22 médicos plantonistas, além  das 35 especialidades médicas especializadas na criança e no adolescente e também do cuidado multidisciplinar e humanizado que envolve equipes da enfermagem, fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, nutrição, farmácia, assistência social, odontologia, entre outras. Duas médicas neonatologistas diaristas – Vanessa Liberalesso e Viviane Janeri – atuam na supervisão e acompanhamento da evolução clínica dos pacientes, com a coordenação geral da médica intensivista Silmara Possas.

As malformações, que totalizam a maior prevalência de casos atendidos na UTI Neonatal do Hospital, são, em alguns casos, já tratadas pelos cirurgiões do Pequeno Príncipe, que realizam o procedimento antes mesmo do nascimento. Por isso, muitas famílias de outros estados se organizam ainda durante a gestação para que a criança nasça perto da instituição, para facilitar a assistência. “Logo quando o bebê nasce, já iniciamos a aproximação com os médicos da maternidade ou hospital para iniciar o plano terapêutico e também para que ele seja transportado até nós com segurança e qualidade”, explica Silmara Possas, coordenadora-médica da UTI Neonatal do Hospital Pequeno Príncipe.

Você sabia?

A história da UTI Neonatal no Hospital Pequeno Príncipe começou em 1991, sob os cuidados do médico Ivan Beira Fontoura, que há mais de 30 anos previu a necessidade de uma unidade voltada aos neonatos. Hoje, a instituição dispõe de 68 leitos em UTIs, divididas em Geral, Cirúrgica, Neonatal e Cardiologia.

UTI Neonatal
A instituição conta com equipamentos que melhoram a precisão do tratamento e garantem ainda mais segurança.

Interligação entre os serviços com a UTI Neonatal

Para um cuidado integral com os bebês, a UTI Neonatal tem a participação muito ativa de diferentes profissionais e setores para proporcionar o melhor tratamento e com extrema qualidade. Por exemplo, os fisioterapeutas são especializados em neonatos, e isso faz muita diferença para garantir a ventilação mais gentil e da forma mais natural possível. Os fonoaudiólogos também são muito importantes, pois grande parte dos neonatos apresenta dificuldade para sugar e deglutir, e isso já é trabalhado antes de o bebê ter a condição de receber uma dieta. Os odontólogos, por sua vez, são importantes justamente por conta dos pequenos ficarem tanto tempo expostos a uma ventilação invasiva.

Programa Família Participante
A presença de um acompanhante 24 horas por dia é direito garantido.

Por meio do Programa Família Participante, a presença de um acompanhante é direito garantido durante todo o período de internamento. Nesse quesito, faz-se necessária a atuação mútua dos psicólogos e assistentes sociais para atender tanto o recém-nascido como sua família de modo individualizado. “É como se esse bebê ainda não tivesse saído da barriga. A família ainda está ligada por ele, então é muito importante tratá-los conjuntamente”, pontua a coordenadora-médica, que explica que o tempo de permanência de internamento é prolongado.

A maior parte das malformações é cirúrgica, então a aproximação e a parceria com o Centro Cirúrgico e os cirurgiões das mais diversas especialidades são intensas. A equipe de médicos neonatologistas está sempre em constante troca e conversa com os cirurgiões específicos para cada caso para que o procedimento ocorra da melhor forma e com segurança. Por ser uma unidade com um viés cirúrgico, mas com uma junção com as mais diversas especialidades, é também muito procurada por residentes de diversos lugares do país.

O Pequeno Príncipe é referência em cirurgias cardiovasculares em recém-nascidos. Nesses casos, o bebê chega até a UTI Neonatal para encontrar o equilíbrio hemodinâmico e é acompanhado durante todo o tempo por neonatologistas e cardiologistas até que o diagnóstico e o plano terapêutico sejam definidos. Depois que a cirurgia é realizada, o paciente é recebido no pós-operatório imediato na UTI da Cardiologia e, posteriormente, retorna à unidade de cuidados intensivos a neonatos. “Tratamos a criança como um todo, usufruímos da expertise de cada área para que a evolução e a melhora sejam ainda mais efetivas”, conclui.

telemedicina UTI Neonatal
Por meio da telemedicina, as equipes de saúde trocam experiências com o Children’s National Hospital de Washington.

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3).

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

 

+ Notícias

22/07/2024

O que é a educação positiva?

Respeito mútuo, educação não violenta e encorajamento contribuem para a formação de crianças mais seguras, confiantes e responsáveis
19/07/2024

Pequeno Príncipe recebe representante do St. Jude Global e da Aliança AMARTE no Brasil

O Hospital integra o esforço global do St. Jude para combater o câncer, especialmente em países pobres e em desenvolvimento, e participa da Rede AMARTE no Brasil, com o mesmo propósito
16/07/2024

Corrida e Caminhada Pequeno Príncipe 2024: veja como foi!

A oitava edição contou com a participação de mais de duas mil pessoas em uma mobilização social que uniu esporte e solidariedade
13/07/2024

ECA: ampliação de leis fortalece proteção contra violência

Entre as atualizações, está a inclusão de bullying e cyberbullying no Código Penal. Neste Dia do ECA, o Hospital Pequeno Príncipe chama a atenção para dados alarmantes destes tipos de violências
10/07/2024

Por que é importante não reprimir o choro?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas de como criar um ambiente seguro e acolhedor para crianças e adolescentes expressarem as emoções
09/07/2024

Sessão de cinema diverte pacientes da hemodiálise

Crianças e adolescentes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe saíram do espaço com o coração aquecido e memórias inesquecíveis
Ver mais