Tratamento de efluentes: Hospital e Sanepar assinam parceria

Notícias

Tratamento de efluentes: Hospital e Sanepar assinam parceria

Iniciativa pioneira no país vai testar diferentes maneiras de reduzir antibióticos e combater o surgimento de superbactérias no esgoto hospitalar
04/07/2024
tratamento de efluentes sanepar e pequeno príncipe
O projeto pioneiro entre o Pequeno Príncipe e a Sanepar pretende pesquisar solução de tratamento de efluentes.

Uma parceria inédita entre poder público e Complexo Pequeno Príncipe busca a solução para reduzir – ou até mesmo eliminar – os antibióticos de efluentes hospitalares. A Organização das Nações Unidas chama atenção para a exposição desavisada de pessoas à água contaminada com antibióticos, capaz de multiplicar patógenos resistentes a medicamentos. De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 87 países, mais de 50% das infecções bacterianas fatais estão tornando-se resistentes ao tratamento com antimicrobianos. Por isso, filtrar esses micropoluentes é fundamental.

O projeto pioneiro entre o Pequeno Príncipe e a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), pretende antecipar-se ao problema ao pesquisar uma solução de tratamento de efluentes. Parte do esgoto produzido nos hospitais é composto por secreções dos pacientes internados que recebem uma grande concentração de medicamentos que depois são eliminados pelo organismo. Atualmente, não existe legislação específica no Brasil que disponha sobre o assunto. Contudo, a expectativa é a de que os resultados obtidos a partir da experiência paranaense sirvam de referência e estimulem outras iniciativas.

A proposta prevê a utilização de protótipos para tratamento e testagem dos resíduos. “No Brasil, poucas instituições pesquisam efluentes. Principalmente buscando soluções como o desenvolvimento e testagem de elementos filtrantes que possam reter micropoluentes, categoria dos antibióticos. Desta forma, estamos confiantes nos resultados. Afinal, vão gerar conhecimento científico que ficará à disposição da sociedade e de outras empresas de saneamento do país”, ressalta o diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro Carneiro.

Evidências científicas

A maneira mais eficaz de eliminar ou reduzir a concentração de medicamentos e evitar a proliferação das bactérias residentes é o tratamento do volume de efluentes gerado nos hospitais. Por exemplo, o consumo de água mensal do Pequeno Príncipe é de 6.200 metros cúbicos, produzindo no mesmo período, 3.350 metros cúbicos de efluentes hospitalares. Dados da instituição, apontam que cerca de 65% de seus pacientes recebem antibióticos durante o tratamento. E são administrados mais de 90 tipos dessa medicação. É a presença desses antimicrobianos nos efluentes e no ambiente dos rios que favorece o desenvolvimento das superbactérias, grande preocupação da OMS e foco do projeto.

As atividades decorrentes da parceria são baseadas nas evidências científicas de trabalhos de mestrado e doutorado realizados pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. Os resultados forneceram um diagnóstico dos inúmeros resíduos medicamentosos gerados por hospitais, conforme explica a coordenadora da pesquisa, Líbera Maria Dalla Costa. “Hospitais em geral são locais de concentração elevada de medicamentos. Alguns deles passam pelo organismo humano quase que inalterados e vão direto para a estação de tratamento, onde não há capacidade de remoção pelo sistema convencional”, explica a pesquisadora com pós-doutorado na área de monitoramento da resistência a antibióticos, realizado no laboratório de saúde pública de Londres.

assinatura tratamento de efluentes
Assinatura do Acordo de Cooperação Técnica (ACT) entre Hospital e Sanepar.

Tratamento de efluentes em prol da sociedade

Presente na cerimônia de assinatura do Acordo de Cooperação Técnica (ACT), nessa terça-feira, dia 2, o governador em exercício, Darci Piana, enfatizou o benefício da ação para a população. “São instituições de excelência que, juntas, promoverão um grande avanço para a sociedade. Os dois lados possuem pesquisadores de ponta para desenvolver tecnologia paranaense em prol da saúde pública do estado”, considerou.

O diretor-presidente da Sanepar, Wilson Bley Lipski, falou da preocupação global com o surgimento de superbactérias, que passa pelo controle dos efluentes hospitalares. Ele também destacou a intenção da empresa de aprimorar a qualidade e a eficiência nessa área. “Queremos que o conhecimento técnico seja aplicado em benefício da sociedade. Este será um projeto-piloto, mas neste encontro já abrimos a conversa para outras oportunidades”, avaliou.

Por fim, o diretor de Inovação e Novos Negócios da Sanepar, Anatalício Risden, salientou a experiência da companhia. “A gente tem a prática para processar esse material de maneira a ter soluções. E é isso que vamos trabalhar em conjunto com o Pequeno Príncipe para constatar como podemos melhorar esse tratamento que a Sanepar faz. Nós temos que entregar uma água para consumo humano com condições plenas. O projeto-piloto deve alcançar o resultado nos dois próximos anos”, disse Risden.

Sobre a Sanepar

A Sanepar é uma das maiores empresas de saneamento ambiental do Brasil. Além disso, possui contrato de prestação de serviços de saneamento ambiental com 346 municípios e opera 1.180 poços profundos, 168 estações de tratamento de água (ETAs) e 260 estações de tratamento de esgoto (ETEs). Nas cidades em que atua, a companhia atende 100% com rede de água e alcança 78,9% de cobertura com rede de esgoto no estado do Paraná.

A crescente atuação e pesquisa consolida a empresa como referência nacional em desenvolvimento e inovação. A revisão constante dos processos visa à redução de custos operacionais, mitigação de impactos e melhoria do tratamento de água e esgoto. A preocupação com o meio ambiente leva a empresa a buscar a cooperação com a sociedade por meio de ações específicas, parcerias, cooperações e convênios.

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3), Indústria, Inovação e Infraestrutura (ODS 9) e Parcerias e Meios de Implementação (ODS 17).

Acompanhe também as redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade!
FacebookInstagramTwitter, LinkedInYouTube e TikTok.

+ Notícias

13/07/2024

ECA: ampliação de leis fortalece proteção contra violência

Entre as atualizações, está a inclusão de bullying e cyberbullying no Código Penal. Neste Dia do ECA, o Hospital Pequeno Príncipe chama a atenção para dados alarmantes destes tipos de violências
10/07/2024

Por que é importante não reprimir o choro?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas de como criar um ambiente seguro e acolhedor para crianças e adolescentes expressarem as emoções
09/07/2024

Sessão de cinema diverte pacientes da hemodiálise

Crianças e adolescentes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe saíram do espaço com o coração aquecido e memórias inesquecíveis
08/07/2024

Nota de solidariedade ao hospital pediátrico bombardeado em Kiev

Pequeno Príncipe manifesta a dor pela violência cometida contra pessoas inocentes, dentre elas crianças doentes e hospitalizadas
04/07/2024

Tratamento de efluentes: Hospital e Sanepar assinam parceria

Iniciativa pioneira no país vai testar diferentes maneiras de reduzir antibióticos e combater o surgimento de superbactérias no esgoto hospitalar
03/07/2024

Como o celular e as redes sociais afetam os adolescentes?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas sobre como promover a utilização equilibrada e responsável dessas tecnologias
Ver mais