Transtornos de aprendizagem

Transtornos de aprendizagem

O que são?

Muitos pais e responsáveis se preocupam quando percebem que as crianças não aprendem ou passam por dificuldades na escola. Esses problemas podem ser causados por diversos fatores: questões familiares, má adaptação ao programa pedagógico, problemas psicológicos, mudanças frequentes de escola, entre outros. Entretanto, algumas crianças não aprendem porque possuem alterações cerebrais. Essas diferenças no desenvolvimento neurológico geralmente são congênitas (a criança nasce com elas) e não têm a ver com inteligência. São os chamados transtornos de aprendizagem.

Existem diferentes tipos de transtornos de aprendizagem, como dificuldade de leitura (dislexia), de entender conceitos matemáticos (discalculia) e de escrita (disgrafia). Frequentemente, as crianças apresentam mais de um tipo de dificuldade e, em alguns casos, elas podem estar associadas a outra condição, como transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH), o que torna o aprendizado ainda mais desafiador.

Quando acontecem?

Os transtornos de aprendizagem podem ser congênitos (o bebê nasce com eles) ou adquiridos mais tarde, podendo ocorrer com qualquer criança. A incidência é maior quando existe histórico familiar de problemas semelhantes. Crianças com doenças neurológicas, como epilepsia, também podem ter problemas de aprendizagem.

Causas e fatores de risco

  • Genética (alteração no material genético durante a formação do bebê)
  • Problemas durante a gravidez
  • Problemas durante o nascimento (acúmulo de toxinas, trabalho de parto prolongado, parto rápido)
  • Problemas neonatais (prematuridade, baixo peso no nascimento, icterícia grave – tom amarelado nos olhos e na pele, asfixia perinatal, pós-maturidade, insuficiência respiratória)
  • Infecções do sistema nervoso central
  • Neoplasias (tumores que ocorrem pelo crescimento anormal de células em diferentes partes do corpo)
  • Desnutrição
  • Privação social grave e isolamento

Sintomas possíveis

  • Compreensão limitada da fala
  • Escrita desordenada
  • Dificuldades para organizar ou iniciar tarefas
  • Memória deficiente (recente e/ou remota)
  • Atenção curta
  • Problemas de motricidade fina
  • Dificuldades na alfabetização
  • Impulsividade
  • Hiperatividade
  • Problemas de disciplina
  • Agressividade
  • Timidez e medos excessivos
  • Dificuldade para ler, escrever e/ou calcular

Diagnóstico

Os pais ou responsáveis e os professores podem ser os primeiros a detectar os sinais de um transtorno de aprendizagem nas crianças. Para isso, é preciso ficar atento ao comportamento e ao desempenho das crianças em tarefas simples e também nas que exigem mais atenção, como a alfabetização.

Ao procurar um médico, ele vai avaliar vários aspectos para um diagnóstico correto, com avaliações cognitiva, educacional, médica e psicológica. Com base nessa avaliação médica detalhada é possível pensar no melhor tratamento. Alguns exames podem colaborar para esse diagnóstico, como exames de sangue, auditivo e visual.

Tratamento

O pediatra vai indicar o melhor tratamento de acordo com o histórico da criança, os sintomas apresentados e o grau de comprometimento causado pelos transtornos de aprendizagem.

Em geral, o tratamento inclui terapia médica, comportamental, psicológica e educação especial, com o auxílio de uma equipe multidisciplinar, que pode contar com neurologista, fonoaudiólogo, educador e psicólogo. O uso de medicamentos vai depender da avaliação do médico.

Atenção! Lembre-se de que o melhor a fazer é sempre procurar um médico e jamais dar medicações sem prescrição.

Quando devo procurar o Hospital Pequeno Príncipe?

Quanto mais cedo for diagnosticado o transtorno de aprendizagem, mais cedo começará o tratamento. Em geral, os primeiros sintomas são percebidos na escola.

Crianças com esses transtornos podem ter baixa autoestima, frustração e outros problemas. Procure o Pequeno Príncipe para garantir que elas tenham o acompanhamento e o tratamento adequados, com uma equipe multidisciplinar dedicada e atendimento humanizado.

Clique aqui e conheça os nossos especialistas.

Ver menos