Refluxo gastroesofágico - Hospital Pequeno Príncipe

Refluxo gastroesofágico

O que é?
O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago, com ou sem regurgitações ou vômitos. É um evento fisiológico normal que ocorre em todos os indivíduos, principalmente em bebês. Normalmente, nesses casos, o problema se resolve espontaneamente antes dos 18 meses de idade. Pode representar doença (doença do refluxo gastroesofágico) quando causa sintomas desagradáveis ou complicações, que interferem na qualidade de vida.

Quando acontece?
O refluxo gastroesofágico pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum em bebês. Nesse caso, costuma ser passageiro e acontece por imaturidade do sistema digestivo no primeiro ano de vida. A doença do refluxo gastroesofágico depende de alguns fatores, como anormalidades motoras, relaxamento transitório do esfíncter que separa o esôfago do estômago, problemas anatômicos, além dos hábitos de vida.

Dica para os pais ou responsáveis: mudanças simples na maneira como você alimenta seu bebê podem ter um grande efeito no refluxo. Procure a orientação de um médico e evite automedicação.

Causas

  • Hábitos alimentares inadequados
  • Hipotonia do esfíncter esofágico inferior (relaxamento inadequado do esfíncter)
  • Alteração da peristalse do esôfago (contrações musculares que conduzem o alimento para o estômago)
  • Aumento da secreção gástrica
  • Aumento da pressão intra-abdominal
  • Retardo de esvaziamento gástrico (estômago muito cheio por tempo prolongado)
  • Fragilidade das estruturas musculares na região abdominal
  • Reação a medicamentos
  • Hérnia de hiato
  • Obesidade

Sintomas possíveis

  • Regurgitação
  • Vômitos
  • Dor abdominal
  • Anorexia
  • Recusa alimentar
  • Azia
  • Dor na região do estômago
  • Dor no peito
  • Disfagia (dificuldade para engolir)
  • Dificuldade para ganhar peso
  • Sangramento gastrointestinal
  • Sintomas extraesofágicos, como tosse noturna, sibilância, pneumonia recorrente, odinofagia (deglutição com dor), rouquidão, sinusite crônica, laringite ou erosões dentárias

Dica para os pais ou responsáveis: os sintomas do refluxo gastroesofágico podem ser semelhantes aos de outros problemas de saúde. Observe o comportamento da criança para entender quando ela apresenta esses sinais e consulte seu médico para obter um diagnóstico preciso.

Diagnóstico
A história clínica e o exame físico detalhados são essenciais para o diagnóstico. No entanto, também é importante avaliar outras possibilidades que podem apresentar-se com refluxo ou vômito. Por meio dos exames complementares procura-se documentar a presença de refluxo gastroesofágico ou suas complicações, estabelecer relação entre o refluxo e os sintomas, avaliar a eficácia do tratamento e excluir outros diagnósticos, como alterações anatômicas ou malformações.

Existem diversos exames para investigação de refluxo e/ou vômitos, entre eles: endoscopia digestiva alta, radiografia contrastada de esôfago-estômago-duodeno, pHmetria esofágica, impedanciometria esofágica intraluminal, manometria esofágica. Para a adequada avaliação do paciente, é necessário um médico experiente que compreenda as capacidades e as limitações de cada um dos exames diagnósticos.

Quando devo procurar o Hospital Pequeno Príncipe?
O refluxo gastroesofágico pode ser considerado um processo fisiológico que ocorre várias vezes por dia em todas as pessoas saudáveis, independentemente da idade. Os pais ou responsáveis devem procurar o Hospital Pequeno Príncipe quando considerarem que o refluxo leva a sintomas desagradáveis, com consequências funcionais e/ou complicações. A presença de sinais de alarme indica a necessidade de avaliação imediata.

Tratamento
O tratamento sem medicamentos consiste em medidas posturais, como evitar refeições volumosas e altamente calóricas, modificar a dieta, perder peso e evitar tabagismo domiciliar. O tratamento medicamentoso só deve ser adotado (especialmente para bebês) após comprovação da ocorrência de doença de refluxo gastroesofágico.

Em crianças maiores e adolescentes que apresentam sintomas moderados sem sinais agravantes ou de complicações, o uso de medicações que inibem a produção de ácidos no estômago pode ser indicado. No entanto, deve-se evitar cursos prolongados ou repetidos de medicamentosos sem confirmação diagnóstica.

Dica para os pais ou responsáveis: não automedique a criança ou o adolescente. Procure um médico para diagnóstico e tratamento adequados.

Diferencial do Pequeno Príncipe
O Serviço de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva do Hospital Pequeno Príncipe conta com uma equipe de especialistas com amplo conhecimento e experiência em enfermidades gastrointestinais pediátricas. A instituição disponibiliza atendimento profissional, ético, humanizado e qualificado, além de infraestrutura e equipamentos adequados para o público infantojuvenil.

Conheça nossos especialistas

Ver menos