Gengivoestomatite - Hospital Pequeno Príncipe

Gengivoestomatite

O que é?
Gengivoestomatite é uma doença contagiosa que aparece quando a criança tem contato com o herpes vírus do tipo 1 (HSV-1). Por isso essa enfermidade também é conhecida como estomatite herpética.

Quando os adultos têm esse tipo de inflamação na boca, geralmente não passa de uma afta ou úlcera bucal, mas em crianças a doença é mais dolorosa, caracterizada por pequenas feridas (vermelhas com a parte central esbranquiçada) na mucosa da boca e da garganta. As lesões também podem espalhar-se pelas bochechas, lábios, língua, amígdalas, céu da boca e gengivas, causando sofrimento.

Uma vez infectado, o paciente permanece com o vírus no organismo, em estado latente, podendo manifestar-se ou não. Os sintomas costumam aparecer sete dias após o contato e duram entre quatro e dez dias, sem deixar cicatrizes.

Quando acontece?
Crianças que têm entre 6 meses e 5 anos são as mais afetadas, principalmente quando apresentam febre ou estão com a imunidade baixa. É uma doença viral, mas nem toda criança manifesta os sintomas (só 20%). Pode ocorrer durante todo o ano.

Causas

  • Vírus (herpes vírus humano simplesdo tipo 1 – HSV-1)

Sintomas possíveis

  • Febre alta
  • Pequenas feridas na boca
  • Gengivas inchadas (que podem sangrar)
  • Dor forte na boca
  • Recusa para comer ou falta de apetite
  • Dor de garganta
  • Salivação excessiva
  • Irritabilidade
  • Insônia
  • Dor de cabeça e nas articulações
  • Gânglios com tamanho aumentado
  • Mau hálito

Dica para os pais ou responsáveis: os sintomas podem lembrar os que a criança tem quando aparecem os primeiros dentinhos, porque ela passa a salivar mais e tem dificuldade de engolir. Preste atenção à presença de lesões e procure um médico se desconfiar de que ela tem gengivoestomatite.

Diagnóstico
O diagnóstico da gengivoestomatite leva em conta a aparência e a localização das lesões na boca da criança. Em alguns casos, exames de laboratório podem ajudar a identificar se a doença é causada por um vírus ou determinar outras possíveis causas. Algumas enfermidades causam gengivoestomatite, caso da infecção de Vincent, síndrome mão-pé-boca, estomatite aftosa, eritema polimorfo e doença de Behçet.

Quando devo procurar o Hospital Pequeno Príncipe?
A febre e as lesões na boca fazem com que a criança tenha dificuldade na alimentação e higienização oral. As gengivas podem sangrar, e se houver mau hálito crianças maiores se sentem constrangidas. Procure o Pequeno Príncipe se o a criança tiver febre acima de 38°C por vários dias seguidos, parar de beber líquidos, ficar agitado ou mostrar cansaço excessivo. O Hospital está pronto para dar o melhor atendimento para a sua família.

Tratamento
A gengivoestomatite desaparece sozinha a partir do sétimo dia. Alguns medicamentos, quando usados nas primeiras 72 horas da doença, reduzem a replicação do vírus e diminuem as lesões. Mas eles devem ser receitados por um pediatra, então não automedique o menino ou a menina.

Outros remédios ajudam a amenizar os sintomas, como febres, dores e mal-estar. Mantenha a criança hidratada e bem alimentada (apesar do desconforto para comer) e cuide da higiene bucal. Como a gengivoestomatite é viral, evite contato próximo ao rosto e boca até que as lesões cicatrizem. Certifique-se de lavar as mamadeiras, chupetas, talheres e copos em água quente com sabão, e não deixe outras crianças compartilharem esses utensílios.

Ver menos