Enfermagem

Histórico

Em 1969, o Hospital das Crianças César Pernetta era mantido pela Fundação Hospitalar do Paraná. Os serviços do Hospital como um todo eram gerenciados pelas Irmãs Apóstolas do S. C. de Jesus. Na Enfermagem havia apenas duas enfermeiras formadas e os outros profissionais eram apenas atendentes de enfermagem. Em 1971, com a admissão das primeiras três Técnicas de Enfermagem e com a colaboração das mesmas, foi iniciado o 1º Curso de Atendentes no Hospital.

A situação da assistência de Enfermagem era muito precária. Na época, os materiais e equipamentos eram muito rudimentares. O trabalho era feito com muita dificuldade; as seringas e agulhas eram fervidas nos próprios Setores, efetuando assim uma esterilização por ebulição. As punções venosas eram realizadas com agulhas metálicas de insulina. Alguns tipos de soros eram preparados na própria farmácia do Hospital em frascos de vidro, como também algumas fórmulas de medicamentos e pomadas. O oxigênio era fornecido em cilindros e quando se fazia necessário tinha que trazê-lo a braços do quintal para dentro da enfermaria. Incubadoras eram as famosas isoletes que continham o tanque de água para fornecer o calor.

A enfermagem, além de desenvolver suas funções, também cuidava da limpeza das enfermarias. O piso era todo de madeira, menos os corredores. Aplicava-se cera em pasta (a famosa cera Canário), vermelha e amarela, deixando os joelhos todos marcados. Havia banheiras para os banhos de imersão – estas também eram higienizadas pelas atendentes, após os banhos.

Grande parte das cirurgias era realizada através da anestesia por inalação de éter sulfúrico. As amídalas eram extraídas rapidamente. A pessoa da enfermagem sentada numa cadeira especial, segurava a criança envolvida em um lençol bem apertado, em seu colo, segurava ao mesmo tempo a máscara de éter na boca e nariz até adormecer e num piscar de olhos as amídalas eram pinçadas e extraídas.

A confecção de gesso para imobilizações também era trabalhosa: preparava-se a massa com as mãos numa bacia e depois passava a massa nas ataduras de gazes ou de crepom e então aplicava no paciente.

As crianças ficavam sem a presença dos pais. As visitas eram semanais: só aos domingos. As internações eram de longa permanência, até de anos. Tanto que era oferecida a catequese e as crianças eram preparadas para 1ª Eucaristia no próprio Hospital.

Graças aos grandes avanços da tecnologia e da medicina, como também da informática, hoje eles proporcionam um enormidade de inovações de materiais e equipamentos de alta tecnologia e qualidade que contribuem enormemente na qualidade e segurança de procedimentos médicos e de enfermagem. Houve uma transformação galopante em todos os aspectos. Os ambientes hospitalares foram se transformaram em ambientes mais aconchegantes e humanos, assegurando assim uma assistência humana, integral, técnica, científica, segura e de ótima qualidade aos clientes.

Hoje, a família participa e acompanha todo o processo do tratamento e enfermidade de seus filhos, como também contribuem com o serviço do Hospital avaliando e sugerindo mudanças através do sistema Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC).

Visão da Enfermagem

Tornar o serviço de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe uma referência nacional e internacional na excelência do cuidado prestado à criança e ao adolescente, comprometido com uma atuação humana e solidária, desenvolvendo um processo de melhoria contínua, qualidade e produtividade na assistência prestada.

Missão da Enfermagem

Proporcionar às crianças e aos adolescentes e seus familiares um cuidado humano, solidário, integral, profissional e atualizado.

Descrição da atividade

A SAE está informatizada e implantada em todos os Setores de Enfermagem. Ela contribui para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem por proporcionar um cuidado humano individualizado, integral e científico ao cliente e sua família, bem como atende às questões legais pertinentes à mesma.

Este processo, sendo uma metodologia científica, possibilita aos profissionais de enfermagem a oportunidade de refletir, avaliar e aprimorar o cuidado de enfermagem, sendo validado por meio de uma estratégia de avaliação contínua.

O enfermeiro, com a aplicação da SAE, além de melhorar a qualidade do cuidado prestado, planeja, organiza, coordena, executa e avalia os serviços da assistência de enfermagem, além de ter a possibilidade de registro das suas atividades, o que aumenta a visibilidade do seu trabalho e promove maior interação com a equipe multiprofissional.

O Serviço de Enfermagem conta também com os seguintes serviços de suporte:

  • Serviço especializado em Auditoria de Enfermagem nas Contas hospitalares proporcionando segurança, rastiabilidade, agilidade e efetividade no processo do faturamento, reduzindo assim as glosas;
  • Serviço de Avaliação da Qualidade do Serviço de Enfermagem, com quatro auditorias mensais a cada setor, através de itens e indicadores que avaliam os procedimentos de Enfermagem (chamado “Quadro das Caretinhas”);
  • Serviço de Coordenação Técnica que avalia a qualidade técnica de todos os matérias, equipamentos e produtos antes da aquisição pelo Hospital;
  • Serviço de Educação Continuada (Educação em Serviço) e treinamento de todos os colaboradores de Enfermagem no 1º mês de sua admissão;
  • Comissão Ética de Enfermagem;
  • Comissão de Feridas;
  • Comissão de cateteres;
  • Núcleo de Estudos, Pesquisa e extensão em Enfermagem, o NEEPE.

Números relevantes

O Serviço de Enfermagem hoje conta com um quadro de 709 colaboradores sendo 65 enfermeiros qualificados, 98 técnicos de Enfermagem, 510 auxiliares de Enfermagem e 36 escriturários. Há 23 postos de enfermagem e 62 leitos em quatro UTIs (Pediátrica, Neo Natal ,Cirúrgica e Cardiológica).

Reconhecimento

O Serviço de Enfermagem é certificado pelo Sistema de Qualidade ISO 9001/2000, desde dezembro de 2005 e recertificado em agosto de 2006, como também os demais Setores do Hospital. Estamos em processo de adequações e aprimoramentos para a certificação em nível 3 para a ONA.

 

 

Faça sua doação