Diminuição das vacinações faz com que doenças erradicadas voltem a circular no Brasil

Com a onda da não vacinação, muitas doenças que já haviam sido erradicadas têm voltado a circular em nosso país, como o sarampo e a poliomielite.

A Coordenadora do Centro de Vacinas e do Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar do Pequeno Príncipe, Heloísa Giamberardino, explica que, além da questão das imigrações, as vacinas têm sido vítimas do seu próprio sucesso; ou seja, como as doenças desapareceram, muitos pais, que nunca conviveram com elas, passaram a achar que não precisariam vacinar seus filhos.

Mas a especialista garante que “depois da água tratada, a vacina é a medida que mais trouxe saúde para as populações” e deixar de fazê-las é considerado uma negligência por parte dos pais. Em contrapartida, seguir o calendário vacinal é de suma importância para manter tais doenças controladas.

 

 

 

+ Fala, Doutor

Doenças respiratórias

O pneumologista Paulo Kussek explica que evitar aglomerações de pessoas e fazer a higiene correta das mãos e vias respiratórias, especialmente nos bebês, pode ajudar muito no combate as tosses, gripes e corizas

Autismo

O transtorno do espectro autista é um tema que envolve muitos mitos. O neurologista pediátrico, Antônio Carlos de Farias explica que a visão distorcida sobre essa condição pode interferir no tratamento multidisciplinar

Faça sua doação