Otorrinolaringologia é referência em implante coclear no Paraná

Notícias

ALTA COMPLEXIDADE | Otorrinolaringologia transforma vidas

A especialidade é referência em implante coclear no Paraná. Saiba mais sobre o serviço na série de alta complexidade
19/12/2022
Otorrinolaringologia do Pequeno Príncipe é referência em implante coclear no Paraná
O Serviço de Otorrinolaringologia conta com uma sala própria no Centro Cirúrgico com equipamentos exclusivos e uma estrutura especial para o atendimento do público infantojuvenil.

Há 12 anos o Hospital Pequeno Príncipe realiza com sucesso cirurgias de implante coclear (auditivo) no Paraná. Só em 2021 foram 20 implantes desse tipo, sendo 70% deles pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital é referência nacional pela alta complexidade dos casos tratados, e a instituição é a única exclusivamente pediátrica do país habilitada pelo Ministério da Saúde para realizar implante auditivo de graça.

De acordo com o médico responsável desde a formalização do serviço, Lauro João Lobo Alcântara, isso faz com que o Pequeno Príncipe seja procurado por pacientes de todo Brasil.   “Recebemos muitos pacientes do nosso Estado, mas de outras partes do país também, como a região Norte e Nordeste. Nosso diferencial é tratar crianças e adolescentes com síndromes complexas com humanização e excelência”, ressalta.

Cirurgias otorrinolaringológicas como implante coclear são comuns e rotineiras. O serviço conta com uma sala própria no Centro Cirúrgico com equipamentos exclusivos e uma estrutura especial para o atendimento do público infantojuvenil, que vai de bebês até adolescentes.

Em 2021, o Serviço de Otorrino realizou 20 procedimentos de implante coclear e 3.552 consultas ambulatoriais
Além dos médicos otorrinolaringologistas pediátricos, outros profissionais como fonoaudiólogos, psicólogos, entre outros, são fundamentais no tratamento de pacientes da especialidade.

Quando fazer o implante?

O procedimento é indicado para crianças e adolescentes com perda auditiva severa ou profunda, que não têm um resultado efetivo utilizando aparelho auditivos convencionais. Na cirurgia de implante coclear, o médico insere na parte interna do ouvido do paciente um dispositivo eletrônico, que faz com que ele volte a escutar sons, assumindo as funções auditivas ausentes.

“Esse equipamento passa a fazer a função da cóclea, codificando os sons, transformando os sinais sonoros em impulsos bioelétricos, caminhando para as vias centrais auditivas”, explica o chefe do serviço. O Pequeno Príncipe conta com uma equipe multiprofissional para acompanhamento pós-cirúrgico e a reabilitação dos pacientes.

Segundo o médico, o procedimento deve ser realizado o mais precocemente possível, assim que o diagnóstico é feito e se observa que não há resultado com o aparelho auditivo convencional. Quanto antes o procedimento for feito, maior a chance de acompanhar o desenvolvimento cerebral, seja para audição ou linguagem. A idade, no entanto, não deve ser um fator limitante, já que o equipamento pode ser implantado também em adolescentes.

Outros procedimentos de alta complexidade

O Serviço de Otorrinolaringologia do Pequeno Príncipe realiza também outras cirurgias de alta complexidade. Um exemplo é a cirurgia de base de crânio, que tem o objetivo de tratar lesões situadas em um local profundo na base do crânio e face (ouvido e cavidade nasal, por exemplo).

Entre as doenças otorrinolaringológicas que precisam de cirurgia também está a estenose de traqueia, que pode causar problemas respiratórios graves. No Pequeno Príncipe, grande parte das cirurgias de estenose de traqueia é realizada em pacientes que ficam um longo período entubados e precisam ser colocados em ventilação artificial.

“Em alguns casos, é possível fazer o processo de dilatação da traqueia com endoscopia. Mas geralmente o problema não é resolvido e a cirurgia se faz necessária”, esclarece o otorrinolaringologista.

Serviço de Otorrinolaringologia do Pequeno Príncipe
Parte da equipe do Serviço de Otorrinolaringologia do Pequeno Príncipe, em 2019.

O Pequeno Príncipe é signatário do Pacto Global desde 2019. A iniciativa presente nesse conteúdo contribui para o alcance do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde e Bem-Estar (ODS 3). 

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – FacebookInstagramTwitterLinkedIn e YouTube.

+ Notícias

13/07/2024

ECA: ampliação de leis fortalece proteção contra violência

Entre as atualizações, está a inclusão de bullying e cyberbullying no Código Penal. Neste Dia do ECA, o Hospital Pequeno Príncipe chama a atenção para dados alarmantes destes tipos de violências
10/07/2024

Por que é importante não reprimir o choro?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas de como criar um ambiente seguro e acolhedor para crianças e adolescentes expressarem as emoções
09/07/2024

Sessão de cinema diverte pacientes da hemodiálise

Crianças e adolescentes atendidos no Hospital Pequeno Príncipe saíram do espaço com o coração aquecido e memórias inesquecíveis
08/07/2024

Nota de solidariedade ao hospital pediátrico bombardeado em Kiev

Pequeno Príncipe manifesta a dor pela violência cometida contra pessoas inocentes, dentre elas crianças doentes e hospitalizadas
04/07/2024

Tratamento de efluentes: Hospital e Sanepar assinam parceria

Iniciativa pioneira no país vai testar diferentes maneiras de reduzir antibióticos e combater o surgimento de superbactérias no esgoto hospitalar
03/07/2024

Como o celular e as redes sociais afetam os adolescentes?

Hospital Pequeno Príncipe dá dicas sobre como promover a utilização equilibrada e responsável dessas tecnologias
Ver mais