Crianças estão mais propensas a contrair o vírus da gripe - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

    Crianças estão mais propensas a contrair o vírus da gripe

    A facilidade de contaminação é grande, mas tomar a vacina e ter cuidados como higienizar corretamente as mãos e manter os ambientes arejados são as melhores formas de prevenção
    15/04/2013

    A gripe é a doença respiratória que mais atinge as pessoas, e seu vírus (influenza) é transmitido pelo ar, por meio de gotículas expelidas em tosse e espirro. Como a facilidade de contaminação é grande, deve-se ficar alerta para diminuir a chance de contágio, especialmente em crianças. Por estarem com o sistema imunológico ainda em desenvolvimento, elas são mais propensas a ter complicações decorrentes da doença, como pneumonia, otite, sinusite e outras infecções virais.

    A médica Heloísa Ihle Garcia Giamberardino, coordenadora do Serviço de Infecção e Controle de Vacinas do Hospital Pequeno Príncipe, destaca a importância da prevenção. “A vacina é a melhor forma. Ela é segura, facilmente tolerada e sem efeitos colaterais. O pais não devem perder essa oportunidade”, afirmou.

    Tão importante quanto a imunização são os cuidados para evitar contrair a doença. De acordo com a médica, basta que adultos e crianças sigam algumas regras básicas, como higienizar corretamente as mãos, manter a casa arejada, e não permanecer em ambientes fechados com aglomeração de pessoas. “Deve-se criar o hábito de utilizar álcool nas mãos e manter ambientes limpos.”

    A profissional orienta para os sinais mais comuns da gripe, como febre, tosse constante, lacrimejamento, mal-estar e dores pelo corpo. Ela ainda ressalta que o ideal é procurar um médico até 48 horas após o início dos sintomas, para maior eficácia do tratamento.

    Campanha
    Teve início hoje (15) em todo o Brasil a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe. O objetivo do Ministério da Saúde é vacinar 32 milhões de pessoas até o dia 26. A vacina é gratuita e pode ser encontrada em 65 mil postos espalhados pelo país. O público-alvo são idosos, indígenas, profissionais de saúde, presidiários, gestantes, mulheres que tenham tido bebê nos últimos 45 dias, e crianças de 6 meses a 2 anos.

    Dados do Ministério da Saúde apontam que a vacinação pode reduzir em até 45% as hospitalizações por pneumonia e em até 75% as mortes por complicações da influenza. O Sul, segundo médica Heloísa Ihle Garcia Giamberardino, é a região brasileira com o maior número de casos de gripe. Por isso, o Paraná receberá este ano 2,8 milhões de doses da vacina.

    + Notícias

    02/12/2022

    Mitos e verdades sobre convulsões

    Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
    29/11/2022

    Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

    Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
    25/11/2022

    Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

    O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
    24/11/2022

    Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

    A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
    23/11/2022

    Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

    Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
    21/11/2022

    Pequeno Príncipe atua na prevenção da resistência aos antimicrobianos

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 1,3 milhão de pessoas morram a cada ano devido aos efeitos dessa resistência  
    Ver mais