Anestesiologia é referência nacional de ensino e humanização

Notícias

Anestesiologia do Pequeno Príncipe é referência nacional de ensino e humanização

A equipe é composta por 15 profissionais especialistas no cuidado de crianças e adolescentes
24/10/2022
anestesiologia, anestesiologia pediatrica, ceima, hospital pequeno principe
O Hospital Pequeno Príncipe é um dos poucos centros do Brasil especializado em anestesiologia para crianças e adolescentes.

 

A anestesiologia é a especialidade médica que consiste em proporcionar ausência de dor em um paciente que é submetido a uma intervenção cirúrgica ou a um exame. Toda equipe do Hospital Pequeno Príncipe tem formação na área da pediatria, garantindo segurança e conforto a todos os pacientes. Devido à expertise no atendimento infantojuvenil, a instituição se tornou referência nacional para o ensino e treinamento dessa especialidade, e conta com um programa de ensino em anestesiologia pediátrica que recebe profissionais do Brasil e de outros países.

No Pequeno Príncipe, a equipe do Serviço de Anestesiologia é composta por 15 profissionais especialistas no cuidado de meninos e meninas desde 1 dia de vida até antes de completarem 18 anos. O anestesiologista é responsável pela avaliação de crianças e adolescentes, pela escolha do tipo de anestesia compatível com cada paciente, por monitorar o estado geral – nível de consciência, respiração, pulso e pressão arterial – durante o procedimento, além da vigilância na recuperação da anestesia.

“O anestesiologista pediátrico precisa de um conhecimento específico e aprofundado em anatomia e fisiologia das diversas faixas etárias que compõem a população pediátrica. Por exemplo, atendemos pacientes com poucas horas de vida, com anatomia e fisiologia ainda em desenvolvimento e que precisam de cuidados diferentes de uma criança de 10 anos, por isso, quando o anestesiologista trabalha com pediatria, a especialização faz muita diferença no cuidado”, pontua a chefe do Serviço de Anestesiologia, Carolina Rizzoni Silveira.

anestesiologia, anestesiologia pediatrica, anestesiologia pequeno principe, hospital pequeno principe, centro cirurgico
Toda equipe do serviço tem formação na área da pediatria, garantindo segurança e conforto aos pacientes.

Alta complexidade da anestesiologia

O anestesiologista é responsável por manter as funções vitais do paciente em níveis seguros e é preparado para identificar e tratar quaisquer alterações que possam ocorrer, por isso é essencial para o centro cirúrgico. A alta complexidade do serviço está ligada diretamente ao conhecimento amplo dos profissionais sobre anatomia, fisiologia e sistema nervoso de diferentes faixas etárias de um mesmo público.

“A diferença entre anestesiar um adulto e uma criança está no grau de maturidade do organismo. O sistema nervoso de um recém-nascido é imaturo, a fisiologia do coração é mais delicada. Já o adulto tem maturação, o fígado consegue catabolizar de maneira adequada o medicamento, por exemplo, e uma criança não. E quando se fala em criança, estamos falando de pacientes com 700 gramas, 3 quilos, 20 quilos. Cada processo de anestesia é diferente”, detalha o médico Sérgio Bernardo Tenório.

Além disso, o cálculo de medicamentos e a monitorização do estado do paciente em cirurgias longas também tornam o serviço complexo. Tenório explica que a anestesia é um processo que pode durar diversas horas e até dias, e isso é possível por meio do conhecimento do profissional sobre os medicamentos e também sobre as crianças e os adolescentes.

“Nós levamos em consideração a fisiologia da criança, a ação do medicamento sobre o organismo, porque às vezes você tem uma estrutura que não pode usar determinado medicamento ou tem que usar uma quantidade menor. Já tivemos cirurgias que duraram 30 horas no Pequeno Príncipe, e durante todo tempo o anestesiologista permaneceu ao lado do paciente, monitorando os sinais vitais, prevendo possíveis instabilidades e realizando o cálculo de remédios anestésicos”, conta Tenório, que trabalha na instituição desde 1979.

anestesiologia, anestesiologia pediatrica, anestesiologia pequeno principe
Em 2021, a especialidade de anestesiologia liderou os teleatendimentos da instituição (72,5% das consultas foram remotas).

Avaliação pré-anestésica

A administração de uma anestesia no paciente pediátrico apresenta alguns desafios, como estruturas mais delicadas para acessos vasculares, diferenças anatômicas para acesso de vias aéreas e bloqueios anestésicos, além de síndromes genéticas e outras doenças que podem estar associadas, modificando o planejamento anestésico, tornando-o mais complexo.

Desse modo, a avaliação pré-anestésica é fundamental para o profissional entender as particularidades de cada paciente. Nessa consulta, os médicos conhecem o histórico da criança ou adolescente, realizam exame físico e, se necessário, solicitam exames e pareceres complementares.

“Alguns pacientes com comorbidades chegam para realizar procedimentos pouco complexos, porém frequentemente demandam cuidados adicionais por conta da sua condição clínica. Por isso, é importante avaliar individualmente cada criança e adolescente”, explica a média anestesiologista Roberta Scholz.

Humanização essencial no cuidado

Durante toda a preparação e até o processo de anestesia ser iniciado, o familiar acompanha o paciente, minimizando a ansiedade e humanizando o momento. “A criança continua segurando a mão do familiar, olhando para ele até a anestesia começar a fazer efeito. Algumas vezes, deixamos um filme no celular, uma música tocando, e ficamos conversando sobre assuntos que a criança tem afinidade. Isso tudo para que ela seja tratada da melhor maneira possível”, completa Carolina Rizzoni.

Tenório relembra uma história que o marcou muito, já que foi ele que – em seus mais de 40 anos de atuação na instituição – teve a sensibilidade de implementar essa permanência do familiar até a anestesia fazer efeito. “Um dos casos que lembro foi de um menino, que deveria ter 8 anos, que dissemos ‘vamos colocar um cheirinho para você dormir’, e ele insistia dizendo que não. Ele percebeu a movimentação no Centro Cirúrgico e perguntou: ‘Tio, vou ter que dormir mesmo?’; e eu: ‘Vai, sim’, e ele respondeu: ‘É que minha mãe disse que antes de dormir eu tenho que rezar’, e aí nós rezamos com ele”, lembra o médico.

Depois de o paciente adormecer, e o responsável ir para a sala de espera, a cirurgia é iniciada. Com o término do procedimento, o efeito do anestésico é encerrado. Na sequência, a criança ou adolescente vai acompanhada do médico anestesiologista para a sala de recuperação, onde continua sendo monitorada e, após despertar e com sinais vitais bons, segue para o quarto ou para a Unidade de Terapia Intensiva, se necessário.

Referência no ensino em anestesiologia

O programa de residência médica em Anestesiologia do Pequeno Príncipe – que tem duração de um ano – formou, nos últimos cinco anos, 23 profissionais, três deles da Colômbia. Nessa modalidade, o médico aprimora não somente a técnica, mas também a visão pediátrica e a humanização. Além disso, a instituição oferece fellow de um mês para médicos de Curitiba e de outros estados do país, que em quatro semanas acompanham a rotina de cirurgias de todas as especialidades e os protocolos do Hospital.

anestesiologia pediatrica, anestesiologia, centro cirurgico, cirurgia pediatrica
O Hospital é referência nacional para o ensino e treinamento da especialidade.

 

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

05/12/2022

Espetáculo de Natal vai alterar o trânsito no entorno do Hospital

As apresentações do “Papai Noel na Sumiçolândia” acontecerão nos dias 9, 10 e 11 de dezembro, às 21h, na fachada histórica da instituição
02/12/2022

Mitos e verdades sobre convulsões

Distúrbio que provoca grande apreensão nos pais, as convulsões precisam de acompanhamento médico
29/11/2022

Dia de Doar: renúncia fiscal tem potencial de arrecadar até R$ 8 bilhões

Data criada há 20 anos nos Estados Unidos pretende fortalecer cultura de doações no Brasil. Doações via Imposto de Renda podem ser feitas até dia 29 de dezembro
25/11/2022

Hemodinâmica: cateterismo evita cirurgias de grande porte em neonatos

O serviço do Hospital Pequeno Príncipe é referência nacional em pediatria e, em 2021, realizou 297 cateterismos
24/11/2022

Pequeno Príncipe vence o Prêmio Líderes Regionais Paraná 2022

A instituição foi premiada na categoria ESG – Responsabilidade Social. O reconhecimento destaca empresas, organizações e empresários que contribuíram para o desenvolvimento do estado
23/11/2022

Câncer pediátrico: diagnóstico precoce pode salvar até 84% dos pacientes

Referência nacional no tratamento de doenças onco-hematológicas há meio século, Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre sintomas
Ver mais