Oficina “Outras Formas de Olhar” traz conceitos de acessibilidade aos pacientes do Pequeno Príncipe - Hospital Pequeno Príncipe

Notícias

Oficina “Outras Formas de Olhar” traz conceitos de acessibilidade aos pacientes do Pequeno Príncipe

Por meio da ação, que beneficia a instituição, os participantes são sensibilizados pela causa dos deficientes visuais
16/09/2019
As atividades fizeram com que pacientes e responsáveis refletissem sobre a realidade dos deficientes visuais.

Tema emergente, a necessidade de garantir acessibilidade aos deficiente visuais vem ganhando espaço nas discussões sociais. Estima-se que cerca de 36 milhões de pessoas no mundo são cegas e outras 217 milhões têm baixa visão, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

É essa a temática do projeto “Histórias e Memórias do Instituto Paranaense de Cegos”. A ação, que beneficia o Pequeno Príncipe, promove as oficinas “Outras Formas de Olhar”, no Setor de Educação e Cultura (EDUC) do Hospital, que têm a intenção de dialogar e refletir sobre a questão da deficiência visual, em paralelo com a arte.

Uma das idealizadoras da oficina, Adriana Villar, vê a atividade como parte fundamental para abordar os temas de acessibilidade. “A intenção é trazer dinâmicas que sensibilizem as pessoas que enxergam e trazer um pouquinho da vivência dos deficientes visuais. Nós trazemos atividades de percepção tátil, livros com escrita em braile e imagens com audiodescrição”, explica.

Na oficina, os pacientes colocam vendas e acompanham desenhos animados, somente com audiodescrição. As crianças também exploram, a partir do tato,  objetos cotidianos. Para finalizar a atividade, todos os participantes criam desenhos em relevo e são desafiados, sem o auxílio da visão, para que descubram a ilustração feita pelo outro participante.

Sarah Tairá Bianchini Albuquerque, 16 anos, participou da oficina cultural no Hospital Pequeno Príncipe e gostou muito da ação. “Eu achei muito legal, porque mostra experiências diferentes, revela uma outra forma de sentir. É bem interessante, porque você nunca pensa como o outro está se sentindo ou como é a realidade do outro”, conta.

+ Notícias

11/04/2024

Renúncia fiscal transforma a vida de crianças e adolescentes

Destinação do Imposto de Renda contribui para a equidade no atendimento em saúde a pacientes vindos de todo o país
08/04/2024

Pronon e Pronas: Pequeno Príncipe contribui com consulta pública

Há dez anos, o Hospital elabora, executa e presta contas de projetos desenvolvidos dentro dos programas
07/04/2024

Dia Mundial da Saúde: “Minha Saúde, Meu Direito”

O Hospital Pequeno Príncipe desenvolve uma série de iniciativas em favor da proteção integral de meninos e meninas
02/04/2024

TDAH e autismo: quais são as semelhanças e diferenças?

A identificação da manifestação dos sintomas é crucial para o diagnóstico e tratamento adequados e individualizados
30/03/2024

Como ajudar a criança ou o adolescente com transtorno bipolar?

Por ser uma doença crônica, que não tem cura, o apoio dos pais, familiares e amigos é essencial
25/03/2024

Sociedade Paranaense de Pediatria: 90 anos em prol da saúde infantojuvenil

Berço da pediatria no Paraná, o Pequeno Príncipe se orgulha da semente plantada naquele 25 de março de 1934
Ver mais