Alergia nas crianças: o que pode causar?

Notícias

Alergia nas crianças: o que pode causar?

Os sintomas da alergia alimentar podem ser imediatos ou tardios e se manifestarem no trato gastrointestinal, no aparelho respiratório ou na pele
08/07/2022
alergia alimentar
Considera-se uma alergia alimentar quando há uma reação adversa que envolve o mecanismo imunológico.

 

Qualquer alimento pode causar uma reação alérgica, no entanto os alérgenos mais comuns, representando cerca de 90%, são as proteínas do leite de vaca, ovo, amendoim, soja, trigo e frutos do mar. Neste Dia Mundial da Alergia, lembrado em 8 de julho, o Hospital Pequeno Príncipe esclarece que a reação adversa a alimentos é um termo que se aplica quando há uma resposta clínica anormal que se segue à ingestão, contato ou inalação de um alimento e seus derivados.

Considera-se uma alergia alimentar quando há uma reação adversa que envolve o mecanismo imunológico. As reações de intolerância alimentar, entretanto, não são relacionadas a mecanismos imunológicos, sendo causadas por alimentos que contenham substâncias tóxicas ou farmacológicas, contaminantes químicos ou microbianos, ou que causem reações ou doenças metabólicas.

O primeiro passo para diagnosticar a alergia alimentar é a obtenção da história clínica e o exame físico detalhados, com especial atenção à avaliação nutricional. É necessário diferenciar as manifestações alérgicas de outras causas com sintomas similares, já que o tratamento da alergia alimentar implica a identificação e exclusão de alimentos da dieta. Também podem ser realizados exames laboratoriais como a dosagem de anticorpos específicos contra os antígenos dos alimentos, mas que avaliam apenas as reações de início imediato.

“Devemos lembrar que não se faz o diagnóstico quando um teste é positivo, nem se afasta alergia alimentar quando o resultado é negativo”, ressalta o chefe do Serviço de Gastroenterologia Pediátrica e Endoscopia Digestiva do Hospital Pequeno Príncipe, Mário Vieira. Os exames de endoscopia digestiva podem ser úteis nos pacientes com manifestações gastrointestinais e confirmar o diagnóstico de algumas afecções específicas.

Tratamento

A base do tratamento da alergia alimentar é a dieta de exclusão. A restrição na ingestão de alimentos não é isenta de dificuldades, portanto sua instituição deve ser considerada como uma prescrição medicamentosa, já que comporta uma determinada relação de risco-benefício. “A dieta deve ser individualizada, pois a eliminação de alimentos importantes pode levar ao risco de comprometimento nutricional. É preciso que os pais e familiares saibam claramente que mesmo uma pequena quantidade de alérgeno pode manter a doença e provocar reações adversas”, pontua o especialista.

Prevenção da alergia

“Os fatores de risco associados ao desenvolvimento das alergias são vastos e incluem aspectos genéticos e ambientais. No entanto, há poucas evidências a respeito de intervenções para diminuir o risco de doenças alérgicas”, destaca Vieira. A amamentação exclusiva com leite materno até os 6 meses e a introdução de alimentação complementar aproximadamente nesse período são recomendações que podem prevenir o desenvolvimento de alergia.

Restrições alimentares impostas à gestante não são recomendas, e a exclusão de alimentos da dieta da mãe que está amamentando deve ser considerada apenas se houver manifestação de sintomas de alergia no lactente em aleitamento materno. Considerando que a composição da microbiota intestinal pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de alergias, deve-se incentivar ainda o parto vaginal, utilizar antibióticos de forma criteriosa e evitar o uso de medicamentos inibidores de ácido utilizados para tratamento de doença do refluxo nos primeiros meses de vida.

Serviço de Gastroenterologia

O Serviço de Gastroenterologia Pediátrica do Hospital Pequeno Príncipe é o único serviço de referência com atendimento exclusivo à especialidade no estado do Paraná e um dos principais serviços de gastroenterologia pediátrica do país. Oferece atendimento a crianças e adolescentes que estão internados, assim como aos pacientes atendidos nos ambulatórios.

Acompanhe os conteúdos também nas redes sociais do Pequeno Príncipe e fique por dentro de informações de qualidade – Facebook, InstagramTwitterLinkedInYouTube

+ Notícias

05/08/2022

Cirurgia de correção de malformação rara é realizada por Pequeno Príncipe

A correção da extrofia de cloaca foi realizada pela técnica de Kelley, considerada inovadora
04/08/2022

Cientistas estão desenvolvendo gel bucal para tratar mucosite

Principal reação adversa da quimioterapia, a mucosite oral causa intensa dor e pode ser porta de entrada para outras infecções
02/08/2022

Doenças raras é tema de mesa-redonda organizada pelo Pequeno Príncipe

A iniciativa fez parte da programação da 74.ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
01/08/2022

Aleitamento materno favorece desenvolvimento da inteligência e estrutura da face

Especialistas do Hospital Pequeno Príncipe explicam ligação entre o neurodesenvolvimento e o crescimento ósseo adequado da face
28/07/2022

Hepatites A e B podem ser prevenidas por meio da vacinação

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe disponibiliza imunizantes contra essas duas formas da doença, que ocorrem de forma endêmica no Brasil
27/07/2022

Único hospital do Brasil com 35 especialidades pediátricas atrai estudantes de todo o país

Com 50 anos de existência, a residência em pediatria do Pequeno Príncipe ajuda a melhorar o déficit de especialistas em diversos estados brasileiros
Ver mais