Dia Nacional da Imunização: vacinas evitam doenças graves e milhões de mortes todos os anos - Hospital Pequeno Principe

Notícias

Dia Nacional da Imunização: vacinas evitam doenças graves e milhões de mortes todos os anos

Nesta data, o Pequeno Príncipe reforça a importância da imunização em crianças e em adultos
09/06/2021

Nos últimos anos, a cobertura vacinal para algumas doenças tem ficado abaixo da expectativa. Dados da Sociedade Brasileira de Imunização mostram que, até outubro de 2020, vacinas oferecidas para crianças com até 1 ano de idade, como a da febre amarela, hepatite B para bebês de até 30 dias e a segunda dose da tríplice viral, registraram índices pouco acima de 50%. A meta é de 90% a 95%, dependendo dos casos.

Neste 9 de junho, Dia Nacional da Imunização, fica esse importante alerta a toda sociedade. “Eu vejo com preocupação a baixa adesão às vacinas de forma geral. Não estamos conseguindo atingir a meta de vacinação para diversas vacinas do calendário básico, assim como contra a gripe/2021, e não podemos negligenciar essa imunização. A doença pode causar pneumonia, levar à internação e sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde com superlotação. Além disso, a vacina da gripe tem indicação universal e para todas as faixas etárias”, explica a médica pediatra Heloisa Ihle Garcia Giamberardino, coordenadora do Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar da instituição e responsável pelo Centro de Vacinas Pequeno Príncipe. “Apesar da pandemia, é preciso manter as outras vacinas em dia, pois quando a adesão cai estamos sujeitos à ocorrência de surtos por outras doenças infectocontagiosas e imunopreveníveis, que podem trazer muitas complicações, tanto em adultos quanto em crianças”, reitera a especialista.

A imunização salva milhares de vidas diariamente.

Desde o começo da pandemia, muito se fala dos desafios de manter a população imunizada. Crianças, adolescentes e adultos, por exemplo, têm à disposição mais de 18 vacinas diferentes. “Da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola, à que previne o HPV, vírus responsável pelo câncer de colo de útero. Pessoas que têm entre 20 e 59 anos também precisam estar com a carteira de vacinação completa”, diz a médica.

Avaliar a carteira vacinal e orientar as vacinas disponíveis por faixa etária, avaliando situações específicas de saúde, e outras como viagens, intercâmbios, atividades profissionais, pré-gestacional, por exemplo, fazem parte do serviço de imunização oferecido pelo Centro de Vacinas. “É um trabalho feito por especialistas e, assim, conseguimos prestar um atendimento completo, atualizado e seguro. Seguimos rigorosamente as orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI), associado às sociedades científicas, especialmente a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)”, relata a coordenadora.

As vacinas são tão importantes que, para determinadas vagas de emprego, por exemplo, o trabalhador deve apresentar algumas em dia. “Quem trabalha com alimentos, por exemplo, precisa ter a proteção contra hepatite A, pois a pessoa pode transmitir a doença de forma oral”, reforça a especialista.

“As vacinas evitam a morte de dois a três milhões de pessoas no mundo. A cada minuto, salvam de cinco a dez vidas. Elas, muitas vezes, são vítimas do seu próprio sucesso. E muita informação é compartilhada de forma errada, fora do contexto. Além disso, é preciso sempre avaliar o risco e o benefício de se tomar uma vacina. E já foi provado que existem muitos mais benefícios, tanto para a saúde individual como para a saúde coletiva”, conclui a médica.

A médica pediatra Heloisa Ihle Garcia Giamberardino, coordenadora do Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar da instituição e responsável pelo Centro de Vacinas Pequeno Príncipe, traz informações e orientações importantes neste Dia da Imunização.

Conheça o Centro de Vacinas Pequeno Príncipe

O Centro de Vacinas Pequeno Príncipe oferece mais de 20 imunizantes diferentes para crianças de 0 a 10 anos, 11 para adolescentes de 11 a 19, 13 para adultos de 20 a 59 anos e dez para pessoas com 60 anos ou mais.

Há 22 anos, o CEVA também conta com atendimento domiciliar, realiza campanhas externas de vacinação, orientações sobre calendários vacinais e supervisão médica e de enfermagem integral. Além da aplicação de vacinas, a unidade realiza avaliação pré-vacinal e suporte nos cuidados pós-vacina da equipe médica e de enfermagem. Há destaque também na área científica, com elaboração de guias de imunização, assim como a participação em eventos científicos nacionais e internacionais.

Serviço

Centro de Vacinas do Pequeno Príncipe

Atendimento: das 8h às 19h (segunda a sexta-feira) e das 8h às 18h (sábado)

Endereço: Rua Desembargador Motta, nº 913

Telefones: (41) 3310-1414 | 3310-1141

+ Notícias

29/11/2021

Nutrição pediátrica em consultório é destaque do Pequeno Príncipe Conhecimento

O assunto foi apresentado em cinco aulas com renomados especialistas na área
26/11/2021

Pequeno Príncipe vai auxiliar em ações estratégicas no Paraná na área de biotecnologia em saúde

Profissional da instituição foi convidada para integrar equipe que vai coordenar iniciativas para os próximos dez anos
26/11/2021

UTI Neonatal completa 30 anos salvando a vida de recém-nascidos complexos

Mais de oito mil bebês de todo o país já foram atendidos pela unidade que é referência para pacientes que precisam de tratamentos intensivos com equipamentos de ponta
23/11/2021

Câncer infantil: apenas 8,8% das crianças têm diagnóstico precoce da doença

Pioneiro no tratamento oncológico infantojuvenil no Paraná, Pequeno Príncipe realizou levantamento com seus pacientes entre 1998 e 2017. Neste Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil, o Hospital reforça a importância do diagnóstico precoce
19/11/2021

Representantes da Embaixada e do Consulado-Geral dos EUA conhecem o Complexo Pequeno Príncipe

Visita faz parte de ação de relacionamento entre a Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, mantenedora do Pequeno Príncipe, e o Centro Cultural Brasil-Estados Unidos de Curitiba – Inter Americano
19/11/2021

Excesso de telas na infância prejudica desenvolvimento saudável

Especialista do Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre os riscos da intoxicação digital infantil e aponta estratégias de prevenção e proteção
Ver mais