Post_Campanha

Complexo, Hospital

Pequeno Príncipe apoia movimento nacional pelo acesso à saúde

Iniciativa das Santas Casas e hospitais filantrópicos do Brasil tem como tema “Acesso à Saúde – Meu Direito é um Dever do Governo”. Esta segunda-feira, 29 de junho, é o Dia D Municipal da campanha

Post_CampanhaO Complexo Pequeno Príncipe apoia a campanha “Acesso à Saúde – Meu Direito é um Dever do Governo”. A iniciativa – proposta pelo Movimento Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos no Sistema Único de Saúde (SUS) – pretende fazer um alerta sobre a condição financeira precária das instituições de saúde de todo o Brasil devido ao subfinanciamento, que atinge a todos, mas é ainda maior nos pediátricos.

O objetivo da campanha é esclarecer a sociedade sobre a crise enfrentada pelos hospitais filantrópicos. As entidades têm prestado um atendimento à saúde de qualidade, porém não têm recebido recursos financeiros suficientes para o custeio dos serviços prestados aos pacientes provenientes do SUS.

Para iniciar a mobilização em todo o Brasil, nesta segunda-feira, 29 de junho, ocorre o Dia D Municipal do Movimento Acesso à Saúde. Na ocasião, gestores dos hospitais de diversas cidades do país vão esclarecer para autoridades e representantes de vários setores da sociedade as dificuldades enfrentadas pelas instituições. Na data, o Hospital Pequeno Príncipe realizará uma mobilização interna para convidar seus colaboradores a se engajarem nessa causa.

“Essa luta é de todos nós e precisamos envolver toda a comunidade”, afirma o diretor corporativo do Complexo, José Álvaro da Silva Carneiro. “No Pequeno Príncipe, mais de 60% dos nossos pacientes vêm do SUS, mas apenas 40% do orçamento provêm da administração pública. Enfrentamos desafios diários para tentar equilibrar as contas. Assim, precisamos do compromisso do governo de um pagamento justo e em dia, para mantermos nosso atendimento de qualidade”, completa.

Medidas urgentes
Para o Movimento Nacional, mostrar a realidade das instituições à população e as consequências para o SUS de um provável colapso dos hospitais beneficentes – que respondem por mais de 50% da assistência pública brasileira – pode contribuir para que melhorias sejam alcançadas.

“Estamos certos de que a divulgação dessa realidade e a mobilização em torno do tema são indispensáveis para que medidas urgentes que garantam o direito à saúde dos cidadãos sejam tomadas. Esse é o objetivo principal do nosso movimento”, finaliza o presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), Edson Rogatti.

Serviço
Dia D Municipal do Movimento Acesso à Saúde
– 29 de junho (segunda-feira)
– Cada instituição participante terá a sua agenda para a data. O Hospital Pequeno Príncipe realizará uma mobilização interna para convidar seus colaboradores a se engajarem na causa.

Raio-x do SUS
– 71% da população brasileira não têm plano de saúde e depende do SUS para o seu atendimento.
– Nos últimos 30 anos, o Sistema Único de Saúde reduziu o total de leitos de 500 mil para 300 mil.
– A cada R$ 100 gastos em um tratamento via Sistema Único de Saúde, os hospitais recebem apenas R$ 65 da administração pública.
– No Hospital Pequeno Príncipe, cerca de 65% de sua capacidade é destinada a pacientes do SUS.
– Quatro situações verificadas atualmente na instituição são muito graves: o subfinanciamento do Sistema Único de Saúde, o atraso no repasse de verbas públicas (a partir de 2013), o aumento constante dos gastos com custos fixos e a “inflação na saúde”, que é o dobro da divulgada pelos índices convencionais, sem que haja contrapartida na receita.

+ Notícias

Faça sua doação