Complexo, Hospital

A vacinação é um dos métodos de controle de mortalidade com maior eficácia na história

Neste Dia Nacional da Imunização, o Hospital Pequeno Príncipe relembra a importância dessa medida na prevenção e erradicação de doenças

Depois do tratamento da água, a vacinação é o método de controle de mortalidade com maior eficácia na história. Além de seguro, o procedimento traz um benefício indiscutível para a saúde. Neste Dia Nacional da Imunização, 9 de junho, o Hospital Pequeno Príncipe destaca a importância dessa medida na prevenção e erradicação de doenças.

Quando um indivíduo é imunizado, faz um bem não apenas para si, mas para todos à sua volta. “Ocorre uma quebra na cadeia de transmissão da doença”, explica a pediatra e coordenadora do Centro de Vacinas Pequeno Príncipe, Heloísa Giamberardino. “A vacinação contribui para a saúde pública e deve ser contínua”, complementa a médica.

De acordo com a profissional, a vacina consiste em expor a pessoa a um antígeno, ou seja, uma substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpos. “Existem diferentes vacinas com doses variadas. Elas são criadas a partir de um rigoroso estudo científico que vai constatar a quantidade de antígeno necessária para a produção de um nível de anticorpos suficiente para que haja prevenção”, aponta a pediatra.

Público infantojuvenil

No caso das crianças e dos adolescentes, as vacinas são ainda mais importantes. “Geralmente, essa é a fase na qual a proteção natural do organismo é menor. A imunização inicia com o nascimento do bebê e deve permanecer até a fase adulta. No começo da vida, como não têm muitos anticorpos e ainda não possuem o sistema imunológico totalmente desenvolvido, os meninos e meninas merecem ainda mais atenção”, afirma Heloísa.  Por isso, é preciso estar atento ao Calendário Nacional de Vacinação;

3 Curiosidades sobre a imunização

– É possível receber duas vacinas de uma vez só?

Sim, algumas vacinas são, inclusive, combinadas para facilitar a imunização. Não é possível misturar as doses, mas tomá-las no mesmo dia, em locais diferentes no corpo, é aproveitar a oportunidade da visita a uma Unidade Básica de Saúde ou em um Centro de Vacinas.

– Quem tem reação anafilática ao ovo pode receber vacina?

Sim, mas deve fazer isso em um ambiente controlado e com supervisão médica, já que depois de receber a vacina é preciso ficar atento às reações.

– Quanto tempo demora a reação a uma vacina?

Geralmente, a reação da vacina ocorre logo após a imunização ou 48 horas depois. Pode demorar até no máximo uma semana. Porém, a reação é leve, de baixa gravidade e os sinais devem desaparecer sozinhos.


Centro de Vacinas Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe conta com um Centro de Vacinas especializado e exclusivo em imunização para garantir atendimento integral a todas as faixas etárias. O espaço, que tem 18 anos de história, é regulado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e certificado pela Sociedade Brasileira de Imunização (SBIM).

Oferece vacinação domiciliar, realiza campanhas de vacinações externas, orientações sobre calendários vacinais e supervisão médica integral. Além da aplicação de vacinas, a unidade faz avaliação pré-vacinal e suporte médico para eventuais reações. Há destaque também na área científica, com a elaboração de guias de imunização, assim como a participação em eventos nacionais e internacionais.

Serviço: Centro de Vacinas Hospital Pequeno Príncipe
Atendimento: das 8h às 19h (segunda a sexta-feira) e das 8h às 18h (sábado)
Endereço: Rua Desembargador Motta, n.º 913
Telefones: (41) 3310-1414 | 3310-1141

 

+ Notícias

Faça sua doação