Complexo, Hospital

Simulação de abandono de área no Hospital Pequeno Príncipe é realizada em 8’36’’

O treinamento de segurança mobilizou mais de mil colaboradores da instituição na manhã de quarta, dia 5

Neste ano, a simulação de abandono de área contou com a participação de mais de 1.050 colaboradores, sendo esse o recorde de público.

Pela terceira vez, o Hospital Pequeno Príncipe realizou a simulação de abandono de área, que mobilizou mais de 1.050 profissionais na manhã de quarta-feira, dia 5. Com o recorde de público participante, o abandono total dos prédios foi realizado em 8’36’’. A paramentação dos brigadistas e combate da simulação de um princípio de incêndio na central de gás durou 2’17’’.

Esse treinamento é uma exigência legal do Corpo de Bombeiros e uma necessidade para garantir a segurança de todos os pacientes, familiares e colaboradores, em caso de uma situação inesperada. “Nós esperamos que nunca aconteça, mas é importante estarmos preparados para essas eventualidades. Agradeço a cada um, pois foi superimportante a participação de vocês. Queremos realizar essa simulação anualmente e evoluir constantemente”, enfatizou o diretor administrativo-financeiro, André Teixeira.

Colaboradores se passaram por vítimas para que pudesse ser simulada também a atuação dos socorristas.

Para que a simulação parecesse o mais real possível, foram feitas maquiagens no rosto e braços de colaboradores que se passaram por vítimas e a fumaça foi produzida com o gelo seco. Além de reforçar as rotas de saída de cada local do Hospital, a ação fortaleceu os treinamentos que já são realizados anualmente, como de brigadistas e socorristas.

A instituição adotou todas as medidas para manter o atendimento aos pacientes sem nenhuma intercorrência, pois parte da assistência manteve a rotina de atividades sem quaisquer alterações. As áreas de emergência funcionaram normalmente e os pais e pacientes também foram orientados sobre a simulação e a sua importância.

Histórico da simulação de abandono de área no Hospital Pequeno Príncipe

O primeiro treinamento de segurança, realizado em 2016, contou com cerca de 900 colaboradores participantes. A evacuação do prédio durou 9’15’’ e a paramentação dos brigadistas e combate da simulação de um princípio de incêndio na central de gás durou 2’58’’. Em 2017, os números diminuíram para 7’46’’ e 2’17’’, respectivamente, com a participação de mais de 950 profissionais.

+ Notícias

Faça sua doação