Complexo, Hospital

Simpósio destaca atualidades e recomendações para 2017 sobre a influenza

Evento coordenado pelo Hospital Pequeno Príncipe contou com palestrantes de diferentes instituições do Paraná e de São Paulo, e ressaltou, entre outros temas, a importância da vacinação contra a gripe

dsc_0050Atualidades e recomendações para 2017 sobre a influenza foram os temas de um evento inédito em Curitiba, coordenado pelo Hospital Pequeno Príncipe. O Simpósio Sanofi Pasteur foi realizado na última semana, no hotel Four Points by Sheraton, e contou com apresentações de especialistas da área de Epidemiologia do Paraná e de São Paulo, que compartilharam com outros profissionais da área da saúde as experiências vivenciadas na temporada de influenza de 2016.

O simpósio – realizado em parceria com o governo do Estado, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a prefeitura de Curitiba – proporcionou a oportunidade de debates a respeito da doença e reforçou as novas questões que devem ser analisadas para a prevenção de infecção por vírus respiratórios. Dentre os assuntos abordados durante a programação, estiveram a influência do clima e os motivos para que 2016 tenha tido uma forte temporada de influenza no primeiro semestre, bem como a razão da normalização da situação no segundo semestre. De acordo com os especialistas, previa-se que fenômenos meteorológicos como El Niño e La Niña agravassem a disseminação dos vírus. Mas, felizmente, a quantidade de casos de influenza registrada não ultrapassou o esperado.

Importância da vacinação
dsc_0052A importância da vacinação também foi tratada no evento. Foi lembrado, por exemplo, que a vacina é a maneira mais eficaz de evitar infecção. Por isso, salientou-se a relevância da adesão à campanha de vacinação todos os anos, principalmente em etapas específicas da vida, como a gestação e a fase escolar. “Durante a gestação, a vacinação gera um impacto no recém-nascido com a redução de 45% a 48% de risco de hospitalização”, ressaltou a pediatra Heloísa Ihle Giamberardino, coordenadora do Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar (SECIH) do Pequeno Príncipe e responsável por guiar as atividades do simpósio.

Segundo o infectologista e professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Eitan Berezin, ao vacinar as crianças e os adolescentes, diminui-se também o número de casos de influenza na família. O médico aproveitou, ainda, para destacar a realização do evento. “É interessante termos a oportunidade de abordar o assunto influenza. É um momento de nos aprofundarmos sobre a enfermidade juntamente com outros especialistas”, completou.

Prevenção
A atualização da vacina contra a influenza ocorre todos os anos, a fim de garantir a eficácia do produto. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é a responsável por aprovar cada nova composição da vacina e, para isso, considera os novos vírus circulantes no Brasil e no mundo. As vacinas são disponibilizadas tanto na rede pública quanto na privada.

A vacina disponível na rede pública é a trivalente e reúne três tipos de cepas de vírus em combinação. Para 2017, as especificações da vacina trivalente contra a influenza são:
– um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09;
– um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2);
– um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008.

A vacina disponível na rede privada é a do tipo quadrivalente e reúne dois tipos de cepas do vírus influenza B. Para 2017, as especificações da vacina quadrivalente contra a gripe são:
– um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013;
– um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09;
– um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2);
– um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008.

+ Notícias

Faça sua doação