Dia_Mundial_do_Rim_PP

Complexo, Hospital

Prevenção de doenças renais deve começar na infância

Neste Dia Mundial do Rim, Pequeno Príncipe reforça aos pais cuidados que podem ser incorporados na rotina das crianças para evitar problemas de saúde

Diferentemente do que muitas pessoas pensam, o público infantojuvenil também pode ser Dia_Mundial_do_Rim_PPvítima de doenças renais. O comprometimento dos rins afeta o crescimento, o desenvolvimento cerebral e a qualidade de vida dos pequenos. Na infância, essa doença silenciosa é considerada grave e, em casos extremos, pode levar à hemodiálise e ao transplante de rim. Situações que afetam também o desenvolvimento físico, intelectual, emocional e social do paciente.

Neste Dia Mundial do Rim, 10 de março, o Hospital Pequeno Príncipe reforça alguns cuidados às crianças que devem ser incentivados pelos pais e podem ser, facilmente, incorporados à rotina dos pequenos.

Proteja os rins desde a infância
Incentive a criança a
:
– Beber água.
– Praticar exercícios físicos diariamente.
– Não consumir muito sal, açúcar e comida industrializada (como salgadinho, bolacha recheada, refrigerante, achocolatado, embutidos, entre outros).
– Fazer xixi a cada três ou quatro horas e sempre que tiver vontade.

Como responsável:
– Controle o peso corporal da criança.
– Não dê medicamento sem prescrição médica, inclusive anti-inflamatórios.
– Evite situações que provoquem a desidratação da criança (como pouca ingestão de água e exposição prolongada ao sol).
– Consulte um pediatra regularmente.

A nefrologista pediátrica do Pequeno Príncipe, Lucimary Sylvestre, destaca também a importância do diagnóstico precoce para evitar que a criança ou o adolescente chegue ao Hospital com o problema renal avançado demais. “Os pais devem ficar atentos para alguns sinais podem indicar o comprometimento renal na infância. Nesses casos, é importante procurar o pediatra ou uma Unidade Básica de Saúde mais próxima da residência”, orienta.

Sinais que podem indicar o problemas renais na infância:

Urina
– Frequência com que a criança vai ao banheiro por dia. É considerado pouco de uma a duas vezes e muito de dez a quinze vezes.
– Se a urina é escura e/ou com espuma.
– Se a criança sente dor ao urinar e se já teve infecção urinária.
– Se faz xixi na cama ou na roupa com frequência.

Pressão arterial elevada
– Crianças acima de três anos precisam ter a pressão arterial verificada em consulta de rotina ao pediatra.

Inchaço
Se a criança inchar de maneira inesperada.

Portador de doenças, como:
– Diabetes mellitus com mais de 5 anos de evolução.
– Mielomeningocele.
– Lúpus.
– Histórico de doença renal na família, como rim policístico e cálculo renal, por exemplo.

Serviço de Nefrologia do Pequeno Príncipe e Transplante de Rim
Criado há 30 anos, é referência nacional pelo atendimento de excelência disponibilizado a crianças e adolescentes de todo o país. É considerado um dos mais completos do Brasil e o único do Paraná a oferecer hemodiálise específica para o público infantojuvenil. O serviço se diferencia por possuir, em um mesmo local, uma diversidade de exames e todas as modalidades de terapias, o que garante agilidade e precisão no diagnóstico e tratamento. Por mês, realiza mais de 600 consultas e cerca de 50 pacientes fazem hemodiálise e diálise peritoneal. Desde 1989 realiza transplantes. De lá pra cá, já totalizou 320, sendo quatro somente neste ano.

  • Pequeno Príncipe entrega fôlder educativo para orientar os pais sobre cuidados que podem ser incorporados na rotina das crianças a fim de prevenir doenças renais desde a infância

+ Notícias

Faça sua doação