Complexo, Hospital

Pequeno Príncipe recebe a 1.ª Clínica Hacking Health CWB

A ação colaborativa reúne profissionais de diferentes áreas em prol de soluções tecnológicas para a saúde

A 1.ª Clínica Hacking Health CWB promoveu uma grande troca de experiências entre os participantes.

Com grande adesão de profissionais das áreas de tecnologia, saúde e design, o Hospital Pequeno Príncipe recebeu nesta terça-feira, dia 18, a 1.ª Clínica Hacking Health CWB. O encontro, batizado como “‘Dores’ da Pediatria”, tinha por objetivo reunir experiências e angústias da assistência que possam ser solucionadas ou aprimoradas com o auxílio dos participantes da iniciativa.

O Hacking Health é uma ação colaborativa, que teve início em 2012 no Canadá. Agentes da saúde (hospitais, médicos e outros profissionais), desenvolvedores, administradores e demais interessados unem esforços em busca de soluções tecnológicas que beneficiem os trabalhos na área. “Esse grande workshop reúne agora médicos, gestores, familiares dos pacientes, enfim, cidadãos dispostos a apontar e buscar soluções para diversos problemas”, comenta Ezequiel Kwasnicki, líder do HH na capital paranaense.

Em uma grande roda de apresentações bastante interativa, profissionais de diferentes áreas do Pequeno Príncipe trouxeram à tona questões importantes para compreensão e avaliação do grupo. Os temas discutidos levavam em consideração os seguintes aspectos: o que é bom e deve ser mantido; o que é ruim e deve ser eliminado; e o que não é realidade ainda e precisa ser implantado. “O interessante do Hacking Health é que ele coloca todos no mesmo nível e compartilhando ideais em comum”, fala o médico Fernando Carbonieri, criador do portal Academia Médica e diretor de marketing da Associação Brasileira de Startups de Saúde.

Para o diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, a instituição oferece uma base de dados diária bastante útil aos trabalhos. “Temos informações que podem ajudar muito no processo do Hacking Health e que com certeza trarão grandes oportunidades aos pacientes”, diz.

Novas clínicas serão realizadas nos meses de maio e junho. Em julho, de acordo com a previsão dos organizadores, deve ser promovido o Hackathon – momento em que os participantes unem esforços para desenvolver as soluções propostas. Para mais informações, acesse a página do Hacking Health – Curitiba no Facebook  (www.facebook.com/HHCWB/) ou o site hackinghealth.ca/city/curitiba-brazil/.

 

+ Notícias

Faça sua doação