Pequeno Príncipe realiza escuta ativa nos setores e oferece apoio psicológico aos profissionais - Complexo Pequeno Príncipe

Complexo, Hospital

Pequeno Príncipe realiza escuta ativa nos setores e oferece apoio psicológico aos profissionais

Em tempos de coronavírus, falar sobre saúde mental se tornou ainda mais necessário, especialmente entre aqueles que estão na linha de frente do atendimento contra a COVID-19

Falar de saúde mental durante a pandemia é imprescindível, tanto no cuidado com a população como com os profissionais que estão na linha de frente do atendimento à COVID-19.

Para ajudar a manter o equilíbrio e a harmonia, especialmente neste momento de pandemia, o Pequeno Príncipe realiza escuta ativa diária nos setores e oferece apoio psicológico. A iniciativa se fez necessária devido à importância de se falar em saúde mental, pois é cuidando de quem cuida que se mantém a integridade na assistência prestada.

O momento é de muita troca, acolhimento e alinhamento, proporcionando ainda mais segurança para todos os profissionais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que a pandemia do coronavírus irá gerar uma crise de saúde mental no mundo todo, por isso é tão importante a prevenção e atenção redobrada com esse tema. “Devido à uma preocupação da direção do Hospital, fizemos um diagnóstico institucional, para entender as principais dificuldades, preocupações e dúvidas, para então pensarmos em como agir e apoiar”, explicou o psicólogo do Pequeno Príncipe, Bruno Mäder.

A partir do diagnóstico, foi constatado que seriam realizadas três abordagens. A primeira, com relação à proteção. A segunda, sobre os fluxos internos, protocolos e cuidado com o paciente. E, por fim, o autocuidado e questões psicossociais, com relação à preocupação com a própria família. “Nós atendemos as necessidades de cada um e eles se sentiram valorizados e ouvidos, o que é essencial neste momento. Nos preocupamos em acolher, proporcionar respostas rápidas e claras, alinhando a comunicação e os fluxos, proporcionando ainda mais segurança para todos”, completou a coordenadora do Núcleo de Humanização, Maria Gloss.

Trabalho multidisciplinar
Uma união de forças e esforços, reuniu colaboradores de diferentes setores do Pequeno Príncipe para se engajarem e colaborarem com este projeto. Além do Serviço de Psicologia e do Núcleo Humanização, também fazem parte a Central de Atendimento ao Colaborador Pequeno Príncipe (CAC PP), o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), o Núcleo da Qualidade, o Serviço Social e o Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar (SECIH). “A questão de apoio psicológico, nós fazemos. Mas essa escuta ativa conta com profissionais que podem ajudar com as diferentes questões envolvidas, desde uso correto de EPIs até questões com a saúde pessoal”, explicou Mäder.

Por meio da atuação multidisciplinar, os profissionais vão até os setores, elencam as principais questões a serem trabalhadas, buscam as respostas necessárias e, então, fazem a devolutiva. “Aos poucos, unimos todas as informações em um só documento. Hoje, vemos que os colaboradores estão se empoderando com o cuidado. As dúvidas diminuíram, eles se acalmaram e aprenderam. Isso está muito relacionado também com o fato do próprio Hospital ter tomado atitudes concretas”, completou o psicólogo. Até o dia 14 de junho, foram realizadas 675 buscas ativas nas unidades, 92 reuniões de articulação e planejamento e 18 atendimentos presenciais.

Cuide da sua saúde mental
Falar de saúde mental durante a pandemia é imprescindível, tanto no cuidado com a população como com os profissionais que estão na linha de frente do atendimento à COVID-19. É possível e necessário cuidar da mente neste momento, veja como:

  • Controle sua respiração.
  • Pratique o otimismo e agradeça pelas pequenas coisas do seu dia.
  • Recorde boas lembranças.
  • Busque informações verdadeiras.
  • Evite a negação da realidade.
  • Enfrente as adversidades de maneira consciente.
  • Perceba que tendemos a ver as coisas pior do que elas realmente são.
  • Se necessário, busque apoio com um profissional especializado.

+ Notícias

Faça sua doação