Imagem 146_tarja

Complexo, Hospital

Pequeno Príncipe incentiva engajamento em programas de voluntariado

Há 96 anos, a instituição conta com o apoio de cidadãos que fazem a diferença na causa da saúde infantojuvenil

Ser voluntário é abrir mão dos próprios interesses em prol das necessidades do próximo. É um trabalho de intensa dedicação às pessoas e causas. No Hospital Pequeno Príncipe, além de transmitir amor, eles também precisam assumir responsabilidades. Hoje, a instituição conta com 500 voluntários ativos. O alto índice é resultado de 96 anos de pessoas mobilizadas pela missão de promover a saúde de crianças e adolescentes.

Tudo começou em 1919, quando um grupo de mulheres da sociedade curitibana se reuniu para viabilizar o atendimento em saúde à população carente da cidade, primordialmente as crianças. Quase um século depois, esse trabalho continua dando frutos. Até agosto deste ano, 3.353 visitas e 46.836 atendimentos foram realizados pelos colaboradores em ambulatórios, brinquedotecas e enfermarias.

Como ajudar?

Algumas características são essenciais para quem deseja ser um voluntário, como ter responsabilidade, seguir normas, ser pontual e assíduo, além de manter discrição. “O que as pessoas devem entender é que elas serão voluntárias do Hospital e não de algumas crianças”, relatou Rita Lous, coordenadora do Setor de Voluntariado da instituição.

Para ser voluntário no Pequeno Príncipe é preciso ter mais de 18 anos. As inscrições são feitas pessoalmente no Setor de Voluntariado. Os interessados devem escolher um dia da semana e período de atuação (manhã, tarde ou noite), de acordo com a modalidade e a disponibilidade das vagas. Após a inscrição, os candidatos passam por uma entrevista e posteriormente por um treinamento e visita no Hospital. Novas vagas são disponibilizadas no primeiro dia útil de cada mês.

Com a palavra, as crianças

Alguns pacientes expressaram o quão importante e especiais são os voluntários. Confira os depoimentos:

Kaike_Riski (8)Eu gosto muito deles, são divertidos. Eles me ajudar a melhorar e trazem brinquedos, pode ser qualquer um.

Kaike Riski, quatro anos.

Larissa_Pacheco (1)Uma vez eu liguei para uma tia que me trouxe um brinquedo de música. É porque eu estou internada e por isso ela me ajuda.

Larissa Pacheco, sete anos.

Izabelly_Amaral (2)Eles são muito legais, ontem mesmo eu fiquei aqui na brinquedoteca mexendo na casinha. Foi super divertido.

Izabelly do Amaral, seis anos.

Roberto_Jesus (2)Eu gosto de pintar o desenho do batman com eles. É o meu preferido.

Roberto Jesus, sete anos.

Julio_Cesar_Medeiros (2)Eu gosto dos voluntários, sempre brinco com a tia Elizângela. Nós conversamos sobre a escola e tudo mais.

Julio César Medeiros, oito anos.

+ Notícias

Cissa Guimarães traz alegria e carinho a pacientes e seus familiares

A tarde desse sábado, dia 10, foi bastante movimentada em diversas áreas do Hospital Pequeno Príncipe pela presença de uma artista renomada. Com uma das vozes mais conhecidas da televisão brasileira, Cissa Guimarães trouxe mensagens de esperança e carinho para crianças e adolescentes em tratamento no Pequeno Príncipe e seus familiares. Em todos os corredores […]

Faça sua doação