Complexo, Doe, Gols Pela Vida, Hospital

Pequeno Príncipe apresenta resultados de 2017 em São Paulo

Evento reuniu representantes de empresas que contribuem, via Renúncia Fiscal, com o maior hospital exclusivamente pediátrico do Brasil

Representantes de 38 empresas participaram do evento de prestação de contas do Hospital Pequeno Príncipe em São Paulo.

No dia 5 de abril, o Hospital Pequeno Príncipe realizou um café da manhã de prestação de contas referente às atividades de 2017, em São Paulo, para empresas que apoiam a instituição via Renúncia Fiscal. Participaram do evento representantes de 38 entidades socialmente responsáveis.

O encontro, realizado no hotel Staybridge Suítes São Paulo, já faz parte do calendário de relacionamento do Hospital com seus doadores, reforçando o compromisso com a transparência e o respeito aos seus investidores. O diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, abriu o evento e ressaltou a busca contínua pela excelência na gestão. “Queremos ser uma S.A. das ONGs. Porém, enquanto uma S.A. atua com excelência para proteger os seus sócios, no nosso modelo de atuação o que buscamos proteger é a nossa missão”, explicou.

Carneiro salientou a importância do investimento social privado, que tem permitido ao Pequeno Príncipe avançar em inovações. “Com o subfinanciamento do SUS, não seria possível avançar”, enfatizou.

A diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro, apresentou os resultados de atendimento de 2017, bem como todos os valores captados e aplicados em cada projeto incentivado. “Eu gostaria de ressaltar que a cada R$ 100 gastos no atendimento, o SUS repassa aos hospitais R$ 60, de acordo com dados da Femipa. Quando falamos em atendimento pediátrico, calculamos que esse repasse gira em torno de R$ 40 porque o atendimento pediátrico tem custos agregados, como o atendimento psicológico, o fracionamento de medicamentos na farmácia, que exige cerca de 30% a mais de equipe, a produção de mamadeiras, entre outros, que não são cobertos pelo SUS”, explicou.

Ety também ressaltou que o Complexo tem investido em trabalhos que têm grande potencial de inovação em diagnóstico e tratamento, especialmente para as doenças complexas da infância. A médica imunologista e pesquisadora Carolina Prando apresentou os principais projetos em andamento no Instituto de Pesquisa Pele Pequeno Príncipe, salientando o privilégio de trabalhar em uma instituição que alia assistência, ensino e pesquisa.

 Investidores e apoiadores

O diretor médico da Care Plus, Ricardo Salem, participou do evento. De acordo com o profissional, para a empresa é uma grande satisfação apoiar uma instituição com princípios tão nobres e tão alinhados à filosofia empresarial. “É um orgulho enorme para a gente poder apoiar essa causa e conseguir enxergar um resultado prático de um dinheiro muito bem aplicado. Obrigado pela oportunidade de oferecer à nossa empresa a oportunidade de estar junto com vocês neste projeto”, declarou.

 

Uma vida transformada

Durante o evento, Rafaela Borges Axiotes Aloise, mãe do pequeno Daniel Borges Axiotes Aloise, de 2 anos, contou a sua história de superação no Hospital Pequeno Príncipe, que emocionou todos os convidados. Portador de uma imunodeficiência combinada grave, ele foi diagnosticado através de um projeto desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe e do Hospital Pequeno Príncipe. Com o diagnóstico correto, Daniel foi submetido ao transplante de medula óssea e se recupera bem. “Nunca tinha ouvido falar sobre essa doença. A pesquisa salvou a vida do meu filho. E eu sou muito grata ao Hospital por isso. E sou grata a vocês também, que ajudam o Hospital”, falou Rafaela.

 

 

+ Notícias

Faça sua doação