Complexo, Doe, Gols Pela Vida, Hospital, Instituto de Pesquisa

O acerto de contas com o “leão” pode fazer a diferença na vida de milhares de crianças e adolescentes

Contribuintes podem destinar até 3% do IR devido a instituições filantrópicas, como o Hospital Pequeno Príncipe. As declarações devem ser entregues até o dia 30 de abril

Tem início nesta quinta-feira, dia 7 de março, a entrega do Imposto de Renda (IR) 2019 (ano-base 2018) e os contribuintes podem ter mais um bom motivo para preparar a declaração o quanto antes: além de evitar imprevistos e multa, as pessoas que declaram pelo formulário completo, podem destinar até 3% do IR devido a ONGs que mantêm diversos trabalhos com a ajuda desse benefício.

“Este será o quarto ano que doo o meu IR para o Hospital Pequeno Príncipe. Conheci essa possibilidade quando divulgaram no meu trabalho, e, mesmo sendo do interior do estado (Wenceslau Braz), pensei em apoiar uma instituição com credibilidade e de referência. Por isso, escolhemos o Pequeno Príncipe, sem nunca ter precisado do Hospital. Temos a certeza de que o dinheiro está sendo muito bem aplicado e ajudando a muitas crianças; inclusive, no ano passado precisamos dos serviços do Hospital para a nossa filha de seis anos e pudemos ver de perto essa realidade. É fácil de fazer e não nos custa, é uma contribuição social para uma ONG que ajuda pessoas de todo o Brasil”, conta a bancária e contribuinte, Sandra Pereira da Silva.

Diante do cenário econômico desfavorável e do subfinanciamento na área da saúde, o Imposto de Renda faz mesmo a diferença para as entidades filantrópicas, como o Hospital Pequeno Príncipe. Poucos contribuintes sabem, mas quem faz a declaração na modalidade completa pode prever a doação de até 3% do IR devido por meio do Fundo para a Infância e Adolescência (FIA). A destinação deve ocorrer na declaração que deve ser entregue até 30 de abril.

Apesar de todos os esforços, atualmente menos de 2% das pessoas físicas utilizam essa modalidade, ou seja, mais de R$ 6 bilhões deixam de ser direcionados para a área da saúde no Brasil. “Contamos com a sensibilidade do contribuinte, que além de cumprir a sua obrigação com o governo federal, tem a oportunidade de ajudar a viabilizar as nossas atividades de assistência e pesquisa. O processo é simples e permite ao doador acompanhar como o recurso é utilizado. E para nós as doações pelo Imposto de Renda são de fundamental importância”, reforça a diretora executiva do Hospital Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro.

 

Uma história centenária de amor à infância e à adolescência

Há quase 100 anos, o maior hospital pediátrico do Brasil trabalha em prol de crianças e adolescentes de todos os estados brasileiros. O Pequeno Príncipe, reconhecido pela excelência técnico-científica e o atendimento humanizado, realiza por ano mais de 300 mil atendimentos ambulatoriais, 20 mil cirurgias e 22 mil internações.

Com a grave crise vivida por hospitais filantrópicos, o apoio de toda sociedade é fundamental para a manutenção dos trabalhos. Atualmente, apenas 30% do orçamento do Pequeno Príncipe é proveniente do governo, sendo que a instituição destina cerca de 70% da sua capacidade de atendimento para o Sistema Único de Saúde (SUS).

O potencial de doação é calculado automaticamente pelo Programa da Receita Federal e, em caso de IR a restituir, o valor adiantado agora é corrigido pela Taxa Selic. A doação pode ser feita independente se o IR é a pagar ou a restituir. Em caso de IR a pagar, o valor pago no DARF é subtraído da quantia a ser paga à receita. Em caso de IR a restituir, o valor é somado a próxima restituição. O site Doe Pequeno Príncipe (www.doepequenoprincipe.org.br) traz o passo a passo para quem deseja contribuir com a causa da saúde infantojuvenil.

+ Notícias

Faça sua doação