Complexo, Hospital

Ler faz bem para a saúde

Neste Dia Nacional do Livro Infantil, o Pequeno Príncipe reforça a prática da leitura como uma importante ferramenta para a formação de cidadãos mais humanos e conscientes

Nos leitos, corredores e espaços de convivência, a leitura no Hospital Pequeno Príncipe é  uma prática diária. A instituição disponibiliza, desde 2001, livros para pacientes em tratamento e familiares. Além disso, conta com o apoio de educadores, professores e voluntários para ler, interpretar contos e fazer a alegria das crianças e adolescentes. Neste Dia Nacional do Livro Infantil, 18 de abril, o Hospital reforça a leitura como uma importante ferramenta para a formação de cidadãos mais humanos e conscientes.

“Quando lemos, abrimos portas para o conhecimento”, garante o psicólogo, educador e coordenador do Setor de Educação e Cultura do Pequeno Príncipe, Claudio Teixeira. Para ele, é por meio da leitura que compartilhamos cultura e eternizamos histórias. O profissional ainda ressalta: “Ler traz autonomia e faz bem para a saúde”.

De acordo com o educador, é no Hospital que muitos meninos e meninas têm o seu primeiro encontro com a leitura. “Nem sempre as crianças e adolescentes têm acesso a livros em suas casas ou escolas. Por isso, aproveitamos ao máximo a internação para inseri-los nesse mundo tão rico”, afirma. A instituição também realiza um importante trabalho de leitura com os bebês. “Lemos para eles com a presença dos pais, assim também os incentivamos a fazer o mesmo em suas casas”, destaca.

Ações especiais

O incentivo à prática da leitura faz parte do DNA do Hospital Pequeno Príncipe, que possui uma biblioteca que leva o nome da instituição. Ela conta com um acervo de mais de 1 mil livros e 4 carrinhos itinerantes, que levam o acesso inúmeras histórias para os pacientes que não podem deixar o leito. Somente em 2016, foram atendidos aproximadamente 2 mil crianças e adolescentes internados e 2.060 familiares.

Todas as semanas ainda é realizada a Hora do Conto. A iniciativa consiste em uma oficina de leitura compartilhada na biblioteca com vários pacientes e acompanhantes. Também ocorrem semanalmente leituras nos ambulatórios. Nelas, vários livros são disponibilizados para crianças e adolescentes que estão aguardando consultas ou realizando algum procedimento médico.

Além disso, a instituição conta com um biblioteca com acervo dedicado à área da saúde.

Uma leitora experiente

Já se foram dois livros na semana passada. Na última internação, que durou um mês, a paciente em tratamento no Hospital Pequeno Príncipe, Jacinan Paust Bosquetti, de 14 anos, garante que leu um por dia.  Para ela, ler é como entrar em um mundo novo. “É como se aqui no meu quarto estivessem várias coisas acontecendo ao mesmo tempo”, conta.

A menina, natural de Florianópolis (SC), garante que se distrai enquanto lê e vive histórias que nunca imaginou viver. “Parece que eu estou dentro do livro vivendo tudo aquilo”, ressalta.  Os livros favoritos de Jacinan são os de mitologia grega. “Eu amo a história da Medusa e aproveito enquanto estou no Hospital para pegar essas obras. A biblioteca da minha escola quase não têm títulos e ainda por cima está em reforma”, destaca.

+ Notícias

Faça sua doação