Complexo, Hospital

Hospital Pequeno Príncipe promove curso prático com técnicas de correções de malformações urogenitais

Com o objetivo de atualização e troca de experiências sobre hispospádias, genitoplastia e extrofia vesical, médicos de diferentes regiões do Brasil estão em uma imersão na instituição com o cirurgião João Luiz Pippi Salle

O evento tem o objetivo de proporcionar a troca de experiências de forma prática com técnicas de correções de malformações urogenitais.

Até o próximo domingo, dia 14, o Hospital Pequeno Príncipe promove o 1º Curso Prático de Hipospádias, Genitoplastias e Extrofia Vesical – com técnicas de correções de malformações urogenitais – com o objetivo de proporcionar a troca de experiências de forma prática sobre esses temas tão presentes na urologia e cirurgia pediátricas. Durante cinco dias, 80 médicos de diferentes regiões do Brasil estão em uma imersão na instituição com o cirurgião e urologista pediátrico João Luiz Pippi Salle, que atualmente é chefe de Urologia Pediátrica do Sidra Medicine, em Doha (Catar).

Durante o curso, alguns médicos foram sorteados para participar da cirurgia, enquanto os demais assistiram as transmissões ao vivo no auditório.

Durante o evento de abertura, o diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, Donizetti Dimer Giamberardino Filho, reforçou a importância deste curso, que também posiciona a instituição como referência na pediatria ao longo desses 100 anos de história. “Esse é um momento de troca de vivências e conhecimentos, com a missão nobre de promover a saúde das crianças e adolescentes. Isso é resultado de muitos anos de trabalho de toda equipe de Urologia Pediátrica da nossa instituição, que existe desde a década de 1980”, enfatizou o diretor.

De acordo com o chefe de Urologia Pediátrica do Hospital Pequeno Príncipe, Antonio Carlos Moreira Amarante, que esteve à frente na organização e condução do curso, a ideia desta formação é tratar desde problemas comuns até os mais complexos e raros. “Para isso, vamos utilizar toda experiência do dr. Pippi e também dos nossos médicos. Foi surpreendente a quantidade de especialistas que vieram de fora do Paraná para participar do curso, que chamou a atenção por ser totalmente prático”, completou.

A expectativa é que sejam realizadas 16 cirurgias. Entre elas, correções de malformações dos aparelhos genitais femininos e masculinos, além de tratamentos de extrofia vesical por meio da técnica de Kelley. “Todos estão aqui para aprender com as complicações que surgem, pois assim podemos crescer e nos desenvolver. Parabéns ao Pequeno Príncipe pela iniciativa e por compartilhar uma estrutura excelente e médicos extremamente qualificados para essa missão de salvar ainda mais vidas”, destacou o cirurgião e urologista pediátrico João Luiz Pippi Salle, que é referência na área.

Homenagem especial

Parte da equipe da Urologia Pediátrica homenageia o cirurgião Antonio Ernesto da Silveira, ao lado do diretor técnico do Hospital Pequeno Príncipe, Donizetti Dimer Giamberardino Filho,

O evento de abertura do 1º Curso Prático de Hipospádias, Genitoplastias e Extrofia Vesical foi também um momento de agradecimento por todos os profissionais do Hospital Pequeno Príncipe que marcam a história da Urologia Pediátrica da instituição há 40 anos. Em especial, ao cirurgião e urologista pediátrico Antonio Ernesto da Silveira, que durante todo esse período dedica seu tempo, talento e amor à saúde infantojuvenil. “Tenho a maior alegria do mundo em fazer parte desta equipe. Todos são um orgulho para o futuro. Sinto um espírito familiar, pois tenho a certeza que aqueles que nos sucedem são ainda melhores que nós”, agradeceu emocionado o médico, que atuou como chefe da Urologia Pediátrica da instituição até 2018.

Confira os depoimentos de alguns participantes do evento

“Vim do Maranhão e vários motivos me trouxeram até aqui. Primeiro, por ser um assunto difícil e com um manejo complicado. Segundo que, para os urologistas, há uma formação deficiente na área de hipospádias infantis. E, por fim, quero desmitificar o desafio de operar hispospádias e levar todo conhecimento aos residentes”, contou a urologista pediátrica, Tereza Cristina de Melo, que atua no Hospital Materno Infantil do Maranhão.

“Já fui residente de cirurgia pediátrica no Hospital Pequeno Príncipe há cinco anos. Para mim, é um privilégio estar de volta, um misto de saudade e orgulho de fazer parte desta história. Estou buscando principalmente mais conhecimento em hipospádias, pois tenho pacientes com a complicação para operar. Tenho a certeza de boas referências profissionais”, disse a cirurgiã pediátrica Fernanda Heloisa Vargas, que atua no Hospital Santo Antônio de Blumenau, Unimed Itajaí e Pequeno Anjo de Itajaí.

“Sempre faço questão de estar nos cursos do Pequeno Príncipe, pois possuem uma qualidade excelente. As hipospádias são complexas e, mesmo quando a cirurgia é bem feita, há chances de complicações. Essa é uma oportunidade única e para aprendizado em curto tempo. São assuntos que não possuem as soluções escritas em livros”, contou o cirurgião pediátrico Percy Sandoval Ribera, que atua em diferentes hospitais de Joinville desde 1967.

+ Notícias

Faça sua doação