visita_didier_petit_20_11_2014 (159)

Higienização das mãos: um gesto simples que ajuda a salvar muitas vidas

Renomado especialista, Didier Pittet visitou o Hospital Pequeno Príncipe nesta quinta-feira, 20, e reforçou a importância de criar uma cultura em torno do tema para a mudança de comportamento das pessoas no dia a dia

A higienização das mãos deve ser a estratégia número um para prevenir doenças associadas a infecções em hospitais. Essa ideia foi defendida pelo médico epidemiologista e diretor do programa de Controle de Infecção do Hospital Universitário de Genebra, na Suíça, Didier Pittet. Ele – que é colaborador das estratégias de Segurança do Paciente da Organização Mundial da Saúde (OMS) – visitou o Hospital Pequeno Príncipe nesta quinta-feira, 20. A vinda da autoridade no assunto marcou a instituição do Dia da Higiene das Mãos do Hospital Pequeno Príncipe, a ser lembrado anualmente em 20 de novembro.

Segundo ele, o cuidado com a higienização das mãos é algo simples que pode salvar até oito milhões de vidas por ano. “É muito claro que se você educar pacientes, membros da família e os pais, incluindo esse simples gesto de higienizar as mãos, pode melhorar a qualidade geral de saúde da população”, afirmou. “Estudos realizados em diferentes lugares no mundo e, em particular nos países menos desenvolvidos, apontam que a falta de higiene das mãos está associada a diversas doenças e também à morte”, completou. visita_didier_petit_20_11_2014 (167)

Pittet defendeu a criação de uma cultura sobre o tema dentro dos hospitais. “Isso leva tempo. Mas implementando uma cultura, por meio da educação, da inovação e do monitoramento de dados, as pessoas passam a mudar de comportamento, aumenta-se a adesão delas à prática e, consequentemente, diminuem as taxas de infecção”, ressaltou. “E é preciso inovar para chamar a atenção dos profissionais da saúde para esse assunto”, acrescentou.

Ele falou sobre uma ação inovadora feita em 2009 para o lançamento do dia de promoção da higienização das mãos. Com o envolvimento de enfermeiras que trabalham com o médico, surgiu a ideia de uma dança. Em um trabalho em conjunto da sua equipe de saúde com dançarinos profissionais, foi produzido um vídeo (clique aqui e confira), que já teve mais de 250 mil visualizações no YouTube e estimulou outras pessoas a criar suas próprias versões da dança. “Isso significa que temos um “viral” na internet, o que é bom, pois a criatividade pode ser expressa, as pessoas estão felizes e dá a cada instituição onde isso foi elaborado a capacidade de dizer ‘sim, nós fizemos algo original e podemos ser vistos’”, disse.

Ações no Pequeno Príncipe
A coordenadora do Serviço de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar (SECIH) do Hospital Pequeno Príncipe, Heloisa Giamberardino, apresentou na ocasião o que tem sido feito para envolver os profissionais da instituição com a causa da higiene das mãos e as estratégias que estão sendo adotadas para melhorar os controles de infecção. “Buscamos criar um ambiente seguro para pacientes e colaboradores, e para isso fazemos, por exemplo, treinamentos sobre a higiene das mãos nas UTIs e enfermarias”, salientou.

Visita no Pequeno Príncipe

visita_didier_petit_20_11_2014 (197)

O médico epidemiologista e diretor do programa de Controle de Infecção do Hospital Universitário de Genebra, Didier Pittet, visitou nesta quinta-feira alguns setores do Pequeno Príncipe. Ele conheceu a estrutura das UTIs Geral e Cirúrgica, da área de Oncologia e de internamento geral, onde interagiu com pacientes. “É um lugar singular por ser um hospital pediátrico e, obviamente, tudo foi criado a fim de ser muito eficiente. Acima de tudo, o mais importante em uma instituição hospitalar não é só um sistema, mas sim as pessoas que trabalham nele. E posso dizer que aqui elas estão muito entusiasmadas com seu trabalho e em compartilhar suas dificuldades e seus sucessos. É um hospital muito ocupado e vejo famílias e pacientes que estão felizes em estar aqui. E isso é um sinal muito bom”, opinou.

Quando higienizar as mãos?

Ao iniciar o turno de trabalho; antes e após as refeições; após tossir ou espirrar; antes e após ir ao banheiro; antes do preparo de alimentos; após realizar a limpeza do ambiente; antes do preparo e manipulação de medicamentos; antes do contato com o paciente; antes da realização do procedimento asséptico; após riscos de exposição a fluidos corporais; após contato com o paciente; após contato com as áreas próximas ao paciente.

 

+ Notícias

Cissa Guimarães traz alegria e carinho a pacientes e seus familiares

A tarde desse sábado, dia 10, foi bastante movimentada em diversas áreas do Hospital Pequeno Príncipe pela presença de uma artista renomada. Com uma das vozes mais conhecidas da televisão brasileira, Cissa Guimarães trouxe mensagens de esperança e carinho para crianças e adolescentes em tratamento no Pequeno Príncipe e seus familiares. Em todos os corredores […]

Faça sua doação