Complexo, Instituto de Pesquisa

Equipe do Instituto de Pesquisa percorre Paraná para capacitações em maternidades

Encontros buscam sensibilizar profissionais da saúde para a importância da realização de testes genéticos em recém-nascidos

Capacitação em Ponta Grossa
Capacitação em Ponta Grossa

Um grupo de pesquisadores do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe está em viagem pelo Paraná para promover capacitações em maternidades. O objetivo é disseminar o projeto 150 Mil Chances de Vida entre os profissionais de saúde, além de ressaltar a importância da realização de testes genéticos em recém-nascidos. A ação itinerante iniciou na segunda-feira, dia 06, e segue até quinta-feira, dia 9, quando a equipe chegará ao Noroeste do Estado, depois de percorrer mais de 600 quilômetros e passar pelas cidades de Ponta Grossa, Londrina, Apucarana, Maringá, Paranavaí, Umuarama e Campo Mourão. Ao todo, serão realizados sete encontros e está prevista a participação de representantes de 24 maternidades, de 16 municípios.

No projeto, é feita a análise de duas gotas de sangue do recém-nascido – para o bem-estar do bebê, a recomendação é que o material seja coletado no mesmo momento da punção para a realização do Teste do Pezinho. Por meio de testes em laboratório, é possível identificar uma mutação genética que predispõe a um tipo de câncer predominantemente infantil, o tumor de córtex adrenal (TCA), e diagnosticar imunodeficiências primárias (IDPs), doenças que atingem uma a cada 8 mil crianças nascidas vivas no mundo. A iniciativa – que engloba o Acre e Rondônia, além do Paraná – promove visitas de capacitação e sensibilização em maternidades dos Estados participantes.

De acordo com a pesquisadora do Instituto de Pesquisa, Heloísa Komechen, ter esse contato direto com as maternidades faz toda a diferença no progresso do projeto. “Faz parte do nosso plano de pesquisa esse encontro com as pessoas que fazem, em suma, a coleta do sangue. Nós viemos reforçar a magnitude do projeto, pois todos têm que estar envolvidos. Tanto para o tumor de córtex adrenal como para as imunodeficiências primárias, o diagnóstico precoce pode ser o diferencial”, afirma ela, que está envolvida com as análises relacionadas ao TCA.

Capacitação em Apucarana
Capacitação em Apucarana

Diagnóstico precoce salva vidas
O diagnóstico precoce aumenta a chance de cura em quase 100% nos casos de tumor de córtex adrenal e imunodeficiências primárias. O projeto 150 Mil Chances de Vida visa fazer 150 mil exames, sendo 84 mil testes para TCA e 66 mil para IDPs. Para a realização desse trabalho, profissionais da saúde que atuam nas maternidades e unidades básicas de saúde parceiras recebem diversas instruções, desde como abordar os familiares até como coletar o material para exame. Também é contemplada a aplicação de um instrumento de avaliação psicológica durante o período de acompanhamento pré-natal de gestantes. As capacitações são conduzidas por uma equipe multidisciplinar, formada, por exemplo, por pesquisadores e psicólogos.

Segundo a enfermeira-obstetra da Santa Casa de Misericórdia de Ponta Grossa, Juliana Machado Camargo, a resposta positiva por parte dos pais para a participação no projeto tem atingido uma grande parte dos nascidos-vivos na maternidade, o que é motivo de muita alegria. “O teste de DNA, como chamamos, é muito importante e nós agradecemos por fazer parte disso. Todo pai se preocupa com o filho e esses exames vêm para somar. De 240 nascimentos, nós realizamos, em média, coletas para 170 testes”, aponta Juliana.

  • Capacitação em Ponta Grossa

  • Capacitação em Ponta Grossa

  • Capacitação em Ponta Grossa

  • Capacitação em Londrina

  • Capacitação em Londrina

  • Capacitação em Londrina

  • Capacitação em Apucarana

  • Capacitação em Apucarana

  • Capacitação em Apucarana

+ Notícias

Faça sua doação