Complexo, Doe, Gols Pela Vida, Hospital, Instituto de Pesquisa

Diagnóstico precoce aumenta em 80% as chances de cura do câncer infantil

Na data dedicada ao tema, o Hospital Pequeno Príncipe, referência no atendimento hemato-oncológico há 50 anos, chama a atenção para o problema, que é a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos no Brasil

O diagnóstico precoce do câncer infantil é fundamental para alcançar sucesso no enfrentamento da doença, lembrada em 23 de novembro: Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil. “Com o diagnóstico precoce, as chances de cura são de cerca de 80%”, ressalta a médica-chefe do Serviço de Oncologia do Hospital Pequeno Príncipe, Flora Mitie Watanabe.

A especialista lembra que, no início da doença, a criança está com o organismo mais resistente, em melhores condições nutricionais e existem menos órgãos acometidos pelo câncer. Este conjunto de fatores é que aumenta as chances de sucesso do tratamento.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 12.500 crianças e adolescentes devem ser diagnosticadas com o problema no Brasil em 2018, que é a principal causa de morte por doença entre crianças e adolescentes com idade entre 1 e 19 anos. No Paraná, a média é de cerca de 400 meninos e meninas por ano.

Milena destaca a atenção dos médicos e revela que já fez muitos amigos no Pequeno Príncipe.

Milena Oliveira de Paula, 12 anos, é uma das pacientes em tratamento no Hospital Pequeno Príncipe. A adolescente conta que os médicos são muito atenciosos e que já fez vários amigos em função do tratamento. Apesar da pouca idade, ela já entendeu a importância do diagnóstico precoce: “Tem que ficar atento aos sintomas e procurar um médico o mais rápido possível”, enfatiza.

A observação clínica realmente faz a diferença no combate ao câncer. “O pediatra tem o papel fundamental de ajudar as famílias neste primeiro atendimento, encaminhando a criança para um especialista”, reitera Flora Mitie Watanabe.

A médica-chefe do Serviço de Oncologia do Hospital Pequeno Príncipe, Flora Mitie Watanabe: “A maioria das crianças pode ser curada com o diagnóstico precoce”, fala.

Pequeno Príncipe é pioneiro no tratamento de doenças hemato-oncológicas

De forma pioneira, há 50 anos o Pequeno Príncipe cuida de crianças com doenças hemato-oncológicas. O Hospital é considerado o maior serviço exclusivamente pediátrico do Paraná na área, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde.

Apenas em 2017 foram realizadas 1.086 internações e 8.177 atendimentos ambulatoriais. Além da excelência técnico-científica do tratamento oferecido, no Pequeno Príncipe os pacientes, 80% deles atendidos pelo SUS,  recebem cuidado humanizado e podem contar com o apoio de profissionais de outras 31 especialidades oferecidas na instituição. Desta forma, recebem um atendimento integral, que favorece ainda mais a recuperação.

O Serviço de Transplante de Medula Óssea completa a estrutura oferecida e é um dos maiores do Brasil a atender pacientes exclusivamente pediátricos pelo SUS. Crianças de todo o país são atendidas pelo Pequeno Príncipe, que em 2017 realizou 33 transplantes de medula óssea.

Fique atento

Conheça os sintomas e, ao perceber qualquer um destes sinais, procure um pediatra.

+ Notícias

Faça sua doação