Complexo, Hospital

Dia Mundial da Sepse: o reconhecimento precoce pode salvar vidas

Neste 13 de setembro, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância dos profissionais de saúde na detecção precoce dessa infecção grave disseminada, que é responsável por cerca de 240 mil mortes por ano no Brasil

O Brasil tem uma das mais altas taxas de mortalidade do mundo pela sepse. Estima-se que 400 mil novos casos são diagnosticados por ano, com 240 mil mortes, segundo o Instituto Latino Americano da Sepse (ILAS). Neste 13 de setembro, que marca o Dia Mundial da Sepse, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância de cada profissional que atua na assistência ao paciente para a detecção precoce dessa infecção grave disseminada. O tratamento, quando iniciado na primeira hora do diagnóstico médico, pode salvar vidas.

Mas, afinal, o que é a sepse? 

A sepse é um conjunto de sinais e sintomas provocado por infecção generalizada que pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos. Evolui muito rápido e pode levar à morte do paciente. Cada hora de atraso na administração do antibiótico aumenta o risco de mortalidade em cerca de 8%.

Embora não existam sintomas específicos, todos os profissionais de saúde precisam ficar atentos aos sinais quando o paciente apresentar:

  • Temperatura acima de 38 °C (febre).
  • Temperatura abaixo de 36 °C (hipotermia).
  • Aceleração dos batimentos cardíacos.
  • Aceleração da frequência respiratória.
  • Fraqueza intensa.
  • Falta de ar.
  • Vômitos.
  • Diminuição da quantidade de urina.
  • Queda da pressão arterial.
  • Alterações da consciência com sonolência, agitação ou confusão mental.

+ Notícias

Faça sua doação