Complexo, Hospital

Desafios estratégicos em discussão na 2.ª Clínica Hacking Health CWB

O evento, que conta com o apoio do Hospital Pequeno Príncipe, foi realizado no Impact Hub Curitiba

Os participantes uniram esforços para apontar os desafios estratégicos do HH CWB.

Profissionais das áreas de tecnologia, saúde e design uniram esforços na 2.ª Clínica Hacking Health CWB, realizada na noite de terça-feira, dia 16, na Impact Hub Curitiba. O evento, que conta com o apoio do Hospital Pequeno Príncipe, tem por objetivo buscar soluções tecnológicas em favor da vida.

Reunidos em grupos de trabalho, participantes de diferentes áreas trocaram experiências e formularam perguntas norteadoras das atividades, que também foram chamadas de desafios estratégicos. Fora isso, as equipes conheceram a ferramenta sparkboard, que será fundamental para a organização das ideias e desenvolvimento dos projetos “Essas questões não têm que apontar soluções. Esse momento será apenas no Hackathon, em julho. O momento é de observar necessidades, problemas e provocar indagações”, comenta o designer Iuri Coutinho de Alencar, da equipe do HH CWB.

Para o médico Fernando Carbonieri, criador do portal Academia Médica, diretor de marketing da Associação Brasileira de Startups de Saúde e um dos responsáveis pelo Hacking Health CWB, a iniciativa já é um sucesso. “A adesão está muito bacana e devemos ter um resultado bastante satisfatório em Curitiba”, conta.

Mais uma clínica será realizada em junho. Em julho, de acordo com a previsão dos organizadores, deve ser promovido o Hackathon – momento em que os participantes desenvolvem as soluções propostas. Para mais informações, acesse a página do Hacking Health – Curitiba no Facebook  (www.facebook.com/HHCWB/) ou o site hackinghealth.ca/city/curitiba-brazil/.

O que é o Hacking Health?

O Hacking Health é uma ação colaborativa, que teve início em 2012 no Canadá. Agentes da saúde (hospitais, médicos e outros profissionais), desenvolvedores, administradores e demais interessados unem esforços em busca de soluções tecnológicas que beneficiem os trabalhos na área.

Em março e abril, o Hospital Pequeno Príncipe recebeu os primeiros encontros do Hacking Health CWB. “O projeto já está em 45 cidades do mundo e cresce rapidamente no Brasil. Somos o quarto país em número de participantes e ações, atrás apenas do Canadá, França e México. É uma iniciativa que busca o empoderamento da área da saúde e esse encontro é o pontapé inicial para a formação de uma comunidade engajada nesse objetivo”, analisa Gib de Medeiros, embaixador do movimento no país.

+ Notícias

Faça sua doação