DSC_0053

Complexo, Hospital

Complexo Pequeno Príncipe e Federação Paranaense e Catarinense de Golfe firmam parceria

Com a presença da golfista olímpica Miriam Nagl, junto do atleta juvenil Daniel Celestino, foi apresentado um projeto de minigolfe para crianças no jardim da instituição

DSC_0072_reduzidaUma parceria entre o Complexo Pequeno Príncipe e a Federação Paranaense e Catarinense de Golfe (FPCG) promete mobilizar ainda mais pessoas em prol das atividades de assistência e pesquisa científica da instituição. Nesta segunda-feira, dia 25, na presença da golfista olímpica Miriam Nagl e do atleta juvenil Daniel Celestino, foi apresentado um projeto para a realização de um minigolfe às crianças no jardim da instituição.

De acordo com o presidente da federação, Daniel Neves, esse é um momento que merece ser comemorado. “Nós ficamos muito felizes em firmar essa parceria. Ela é como uma planta que está sendo regada, vai crescer e produzir muitos frutos, e, nesse caso, as beneficiadas serão as crianças”, destacou.

O coordenador técnico da federação, Enzo Miyamura, explicou como foi o processo de criação do projeto. “O minigolfe é simples, porém o campo tem alguns desafios. Pensamos em criá-lo de uma forma que todas as crianças tivessem acesso, mesmo as que estão com alguma dificuldade de locomoção no momento”.

A parceria é uma iniciativa do programa do Pequeno Príncipe, Gols pela Vida. “Uma plataforma de responsabilidade social no esporte que tem como padrinho o rei Pelé. Com ela, buscamos captar recursos e mobilizar pessoas em prol das atividades do Complexo. Estamos honrados em contar com a ajuda da federação nessa missão”, destacou o diretor coorporativo da instituição, José Álvaro Carneiro.

DSC_0073Miriam Nagl ficou impressionada com as atividades desenvolvidas no Hospital. “O que vocês fazem aqui é muito bom. Obrigada pela oportunidade de conhecer esse lugar. A parceria será, com certeza, um sucesso”, afirmou. Ao final da Olimpíada, a atleta contou que vai doar um taco de golfe para beneficiar a instituição.

Pequeno Príncipe e o golfe
Em maio, o Hospital Pequeno Príncipe convidou o golfista irlandês Rory McIlroy, número quatro do ranking mundial, para visitar a instituição durante a Olimpíada. Em um comunicado oficial, o atleta declarou que não virá ao Brasil por medo de contrair Zika vírus. Diante disso, a instituição foi amplamente citada pela imprensa internacional. Apesar da recusa, outros atletas se mostraram disponíveis para conhecer a instituição. “É muito bom contar com a presença da Miriam e do Celestino”, disse Carneiro.

Os atletas

– Miriam Nagl

A atleta nasceu em Curitiba e morou na cidade até completar oito anos, por conta do trabalho de seu pai. Em 1989, voltou à Alemanha com a família, onde começou a jogar golfe. Em 2014, porém, sua relação com o Brasil foi retomada. Incentivada pelo diretor do Circuito Europeu e com foco na Olimpíada, a atleta decidiu competir pelo país, já que essa era a forma mais viável de conseguir uma vaga olímpica. Objetivo alcançado, Miriam assumiu a liderança do ranking e conquistou um lugar nos Jogos do Rio em 2016.

– Daniel Voswinckel Celestino

Com apenas 15 anos, Daniel é uma das grandes promessas do golfe. O atleta começou a jogar em 2006, aos cinco anos. Seis anos depois, foi o mais jovem paranaense a ingressar na primeira categoria do golfe adulto. Atualmente, Daniel tem registro na Federação Paranaense e Catarinense de Golfe e é também atleta membro do “Programa de Alto Rendimento” da Confederação Brasileira de Golfe (CBG).

+ Notícias

Cissa Guimarães traz alegria e carinho a pacientes e seus familiares

A tarde desse sábado, dia 10, foi bastante movimentada em diversas áreas do Hospital Pequeno Príncipe pela presença de uma artista renomada. Com uma das vozes mais conhecidas da televisão brasileira, Cissa Guimarães trouxe mensagens de esperança e carinho para crianças e adolescentes em tratamento no Pequeno Príncipe e seus familiares. Em todos os corredores […]

Faça sua doação