Complexo, Doe, Hospital, Instituto de Pesquisa

Ciranda de Biologia propõe aprendizado sobre a vida e sustentabilidade

A atividade, realizada no Setor de Educação e Cultura (Educ) do Hospital Pequeno Príncipe, permitiu que os pacientes fizessem experimentos e tivessem outras descobertas

A oficina Ciranda de Biologia promove ensinamentos sobre a vida, saúde e sustentabilidade para pacientes em tratamento na instituição e seus familiares ou responsáveis.

Não é possível modificar o mundo todo, mas há sempre uma oportunidade para ensinar às crianças como coisas simples podem transformar a realidade em que elas vivem. Pensando nisso, o Hospital Pequeno Príncipe recebeu a oficina Ciranda de Biologia, que promove ensinamentos sobre a vida, saúde e sustentabilidade para pacientes em tratamento na instituição e seus familiares ou responsáveis.

Os pacientes tiveram a oportunidade de colocar diversas ideias em prática.

Os cientistas do setor de pesquisa e desenvolvimento da Novozymes, Eduardo Alberto Borges da Silva e Kelly Cristina Leite Mulder, marcaram presença no Hospital durante o mês de junho para mostrar aos pacientes como a biologia se aplica na agricultura, saúde, meio ambiente e alimentação. De maneira lúdica e interativa, nesta segunda-feira, dia 25, por exemplo,  as crianças tiveram a oportunidade de colocar a mão na massa: após a explicação sobre a importância da fermentação no planeta, os meninos e meninas puderam fazer um experimento científico com produtos simples que são utilizados no dia a dia.

A atividade é uma oportunidade para as crianças compartilharem seus conhecimentos adquiridos na escola e pode ainda despertar o desejo pela ciência. “Eu quero fazer biologia e trabalhar com os animais”, contou Laryssa de Sales, 9 anos, após a oficina.

Importância

Além disso, a Ciranda de Biologia proporciona um momento de interação e distração entre os familiares e as crianças em tratamento. Luciano Sur, pai do paciente Eduardo Sur,  12, reconhece a importância do projeto: “Ações como essa são fundamentais para que eles melhorem ainda mais rápido”, completou.

Um projeto como esse permite uma conexão maior da instituição com a sociedade. Angela Fey, representante da Novozymes, reconhece que  o trabalho do Setor de Educação e Cultura é favorável não só para a recuperação das crianças, mas também para a qualidade de vida dos familiares e da comunidade em si. “Ter o feedback de um dos pais dizendo que minha presença lá foi fundamental para trazer um outro ar para a vida do filho, não tem preço que pague”, contou orgulhosa. “Logo essas crianças estarão fora do Hospital, daí podem ensinar a outros colegas que não tiveram a mesma oportunidade”, finalizou.

O projeto

A oficina Ciranda de Biologia faz parte do Projeto Educação, uma iniciativa da multinacional Novozymes, que visa, de 2015 a 2020, impactar um milhão de pessoas no planeta sobre o potencial que as ciências biológicas têm para resolver os principais problemas da humanidade. Até o fim do ano passado, mais de 300 mil pessoas em todo o mundo já haviam sido sensibilizadas. A empresa é signatária do Pacto Global e se compromete em contribuir com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

 

+ Notícias

Faça sua doação