Notícias

I Simpósio de Infecção no Sistema Nervoso do Complexo Pequeno Príncipe

Os quadros infecciosos do sistema nervoso, sejam agudos ou crônicos, causam grande impacto na saúde pública do país, tanto pela sua incidência como pela mortalidade e morbidade. As doenças de etiologia viral, bacteriana, fúngica ou parasitária podem causar importante comprometimento da qualidade de vida dos pacientes, no caso de seqüelas ou doenças crônicas. Porém, essas doenças infecciosas do sistema nervoso são potencialmente preveníveis e tratáveis.
 
O I Simpósio de Infecção no Sistema Nervoso do Complexo Pequeno Príncipe vai reunir profissionais da área de saúde envolvidos na prevenção, diagnóstico, terapia e pesquisa básica das principais doenças infecciosas que comprometem o sistema nervoso em crianças e adultos. O evento proporcionará o debate entre especialistas e profissionais de saúde com o objetivo de integrar e abrir linhas de discussão e pesquisa sobre neuroinfecção. 
 
Comissão Organizadora – Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe
 
Dr. Sérgio Monteiro de Almeida
Dra. Libera Maria Dalla Costa
Dra. Marion Burger

SERVIÇO:
 
Data: 28 e 29 de maio de 2010
Local: Faculdades Pequeno Príncipe – Avenida Iguaçu, 1333
Valor: R$ 30,00 – até o dia 15 de maio – R$ 50,00 após o dia 15.
Inscrições: de 03 a 21 de maio, pelo e-mail eventos@hpp.org.br
O pagamento deve ser feito por meio de depósito em conta-corrente
Banco HSBC
Agência: 0038
Conta-corrente: 21154-06
O comprovante deve ser enviado com o nome do participante pelo fax: 41 3310-1241.
Informações: 41 3310-1415
 
PROGRAMAÇÃO
 

28 de maio 2010
18h30 – 19h Credenciamento
19h – 19h30 Abertura
19h30 – 20h15 Palestra
Neurocisticercose: aspectos atuais, prevenção tratamento e controle
Dr. Osvaldo Takayanagui, professor titular de Neurologia, USP, Ribeirão Preto.
Coordenador: Dr. Sérgio M. de Almeida (UFPR/Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe) 
 
29 de maio 2010
Mesa redonda: Meningites Agudas
Coordenador: Dra. Cristina Terumi Okamoto (Hospital Pequeno Príncipe)8h30 – 8h50 Meningites virais. Dra Luine R. Vidal (UFPR)
8h50 – 9h10 Meningites bacterianas em recém-nascidos. Dr. Fábio Motta (Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe)
9h10 – 9h30 Meningite pós-cirúrgica. Dr. Silvio Machado (Hospital Pequeno Príncipe).
9h30 – 9h50 Mecanismos de resistência bacteriana. Dra. Libera Maria Dalla Costa (Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe/UFPR)
9h50 – 10h10 Discussão
 

10h10 – 10h30 Coffee Break  
 
Mesa redonda: Infecção de HIV no SNC
Coordenador: Dra. Maria A. Dilay Oba (Secretaria Estadual de Saúde – PR)10h30 – 10h50 Importância dos subtipos de HIV. Indianara Rotta (UFPR/Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe)
10h50 – 11h10 Infecção do HIV no SNC. Dr. Sérgio Monteiro de Almeida (UFPR/ Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe)
11h10 -11h30 Avaliação neuropsicológica em crianças portadoras de HIV. Dra. Ana Paula de Pereira (UFPR)
11h30 – 11h50 Discussão
 
12h – 14h Intervalo
 
Mesa redonda: Meningoencefalites Virais
Coordenador:
Dr. Alfredo Lohr (Hospital Pequeno Príncipe)14h – 14h20 Encefalite por vírus da família Herpes. Luis Felipe Cavalli Pessa (UFPR)
14h20 – 14h40 Vírus Dengue no SNC. Dra. Meri Bordignon Nogueira (UFPR)
14h40 – 15h Arenavirus. Dra. Sonia Mara Raboni (UFPR)
15h – 15h20 Raiva. Dra. Márcia Z. da Silveira (Secretaria Estadual de Saúde- PR)
15h20 – 15h40 Discussão
 
Mesa redonda: Infecções Crônicas
Coordenador:
Maria Julia Bugalho (Hospital Pequeno Príncipe)15h40 – 16h Neurotuberculose. Dra. Marina K. Assahide (Hospital Pequeno Príncipe)16h – 16h20 Meningites por cryptococcus. Dr. João França (UFPR)
16h20 – 16h40 Toxoplasmose congênita e SNC. Dr. Victor Horácio de Souza Costa Júnior (Hospital Pequeno Príncipe)16h40 – 17h Discussão
 
17h – 17h20 Coffee Break 
 
17h20 – 18h10 – Palestra
Vacinas – atualidades. Dra Marion Burger, Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe/ Secretaria Municipal de Saúde, Curitiba – PR.
Coordenador: Dra. Maria Kinoshita Assahide (Hospital Pequeno Príncipe)
 
18h15 Encerramento

Pequeno Príncipe vence Prêmio Aberje Sul 2006

O Hospital Pequeno Príncipe é o vencedor do Prêmio Aberje Sul 2006 em duas categorias: boletim externo e publicação especial.

O Doar-te, voltado aos voluntários e parceiros da instituição, venceu na categoria boletim externo. Editado desde 2003, o boletim leva aos leitores informações sobre o dia-a-dia da instituição e compartilha com eles seus sonhos, necessidades e conquistas.

Na categoria publicação especial, o Hospital venceu com o livro “Um Hospital de Crianças”, que resgata a história de 85 anos de atenidmento em saúde às crianças e adolescentes do Paraná.

Ao vencer na região sul, o Pequeno Príncipe fica automaticamente selecionado para concorrer na fase nacional do prêmio.

Promovido pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), o prêmio está em sua 32ª edição e tem por objetivo reconhecer a excelência da comunicação organizacional e das relações públicas no Brasil por meio do incentivo e difusão das melhores práticas do setor.

Protocolo de dor começa a ser implantado no Pequeno Príncipe

O Hospital Pequeno Príncipe está implantando um novo protocolo. É o “Hospital sem Dor”, que vai siistematizar o cuidado com a dor. “Este cuidado sempre existiu aqui no Pequeno Príncipe, mas só agora estamos sistematizando”, informa a médica Luciana Valderez. A implantação do protocolo está sendo feita em parceria com o Instituto da Criança, do Hospital de Clínicas de São Paulo. “Vamos conhecer a realidade de cada setor do Pequeno Príncipe para então sistematizar o atendimento da dor”, explica a médica paulista Sílvia Barbosa.A equipe do Pequeno Príncipe passará a receber treinamento a cada dois meses.

A enfermeira Rita Tiziana Verardo Polastrini, também do Instituto da Criança, explica que a sistematização do cuidado com a dor na institutição paulista foi feita a partir de 1999, com a criação do Grupo da Dor. “O controle da dor é fundamental para melhorar a qualidade de vida da criança, além de ser uma questão de humanização”. Rita cita ainda o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que garante a toda a criança o direito a não sentir dor.

Foi o Grupo de Dor do Instituto quem estimulou a criação do Comitê de Pediatria na Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor. A partir daí, o combate à dor passou a ter uma divulgação mais massiva, e desde então está sendo implantado formalmente em vários hospitais do País.

Os principais passos do protocolo para enfermeiros e médicos são:

1) Identificar a dor do paciente (ter consciência da dor; saber da dor);
2) Avaliar a intensidade da dor, através de escalas especiais para as crianças. Nos recém-nascidos, a recomendação é de observação das expressões faciais;
3) Tratar a dor. Duas formas são recomendadas: – a medicamentosa, mais tradicional, que vem se modernizando com a chegada de novos medicamentos, como o óxido nitroso – não-medicamentosa, estimulando o lúdico da criança e utilizando para isso jogos, relaxamento, música, fisioterapia, entre outras atividades.

O combate à dor, portanto, envolve uma equipe multiprofissional, que vai além do tratamento convencional com medicação. Para a enfermeira, tratar a dor é um movimento institucional, que deve envolver família, paciente e profissionais. Todos devem estar envolvidos no combate à dor e na melhora da qualidade de vida da criança.

HPP forma turma de residentes

31 residentes se despediram do Hospital Pequeno Príncipe em janeiro. A formatura de Residência Médica e Estágios do HPP lotou o auditório da Sociedade Paranaense de Pediatria e emocionou médicos, familiares e amigos.

Os formandos concluíram cursos nas especialidades de Pediatria, Cirurgia Pediátrica, Ortopedia e Traumatologia, Neurologia, Gastroenterologia, Medicina Intensiva, Cardiologia, Urologia, Anestesiologia e Neurocirurgia.

Além dos médicos preceptores e supervisores dos residentes, estiveram na formatura autoridades das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde, o presidente do Conselho Regional de Medicina e a presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria.

Durante a solenidade, os residentes homenagearam a equipe de saúde do Hospital e os antigos preceptores da Pediatria, os médicos Augusto Molinari, Wilmar Guimarães, Walid Salomão Mousfi, Ismar Strachmann e Paulo Ramos João.

Também foram premiados pelo melhor trabalho científico da turma os formandos Diogo Hiroshi Becon Kussakawa e Edir Soccol Junior, da área de Ortopedia e Traumatologia.

Foram professores dos residentes os médicos Nohora Castanheda Vargas, Renato Pedro Torres, Ismar Strachman, Ana Maria, Paulo Ramos, Waldecir Vedoato, Vítor Palazzo, Maria Isabel, Walid Salomão, Nádia Pereira de Almeida, Geraldo Graça Filho, Mário Vieira, Flora Watanabe, Marina Assahíde, Rejane de Paula Meneses, Alfredo Lohr, Luiz Antônio Munhoz da Cunha, Paulo Kussek e Wilmar Guimarães.

Nova turma entra no Hospital em fevereiro
Apesar da despedida dos 31 novos especialistas, o corpo de residentes do Pequeno Príncipe continua ativo. Um novo grupo foi recebido no Hospital no dia 1º de fevereiro.

Segundo o Dr. Mário Vieira, preceptor da Pediatria no HPP, o programa de residência tem grande importância para o Hospital. A humanização e a integração da família no tratamento da criança são eixos da residência e também se refletem na instituição.

Além disso, a residência colabora para a multiplicação de conhecimento dentro do Hospital. “Ao mesmo tempo em que dão atendimento às nossas crianças, os residentes recebem treinamento, ganham experiência, passam pelo aprendizado teórico com médicos mais experientes e têm acesso a informações científicas. É bom tanto para eles quanto para o corpo clínico”, afirma o Dr. Mário Vieira.
 

IESPP: Últimos dias para inscrições na pós

Quem procura uma oportunidade para aperfeiçoar seus conhecimentos na área de saúde pode recorrer às pós-graduações do IESPP. São sete opções de cursos. Funcionários do HPP têm descontos de 30% a 75% nas mensalidades. Aproveite: restam poucos dias para as inscrições!

  • Auditoria para Hospitais
  • Enfermagem com Ênfase em Pediatria
  • Enfermagem com Ênfase em Cuidados Neonatais
  • Farmácia Hospitalar e Clínica
  • Psicologia Hospitalar
  • Recursos Humanos na Área de Saúde
  • Serviço Social na Área de Saúde

Matrículas: até dia 21/02/2007, pelo site www.iespp.edu.br
Aulas: sextas, sábados e/ou domingos, uma vez por mês
Mensalidades: de R$ 300 a R$ 380
Mais informações: (41) 3310-1500

Bosch investe R$ 200 mil no Hospital Pequeno Príncipe

Representantes da Robert Bosch Ltda. estiveram no dia 6 de março de 2007 no Pequeno Príncipe para realizar uma doação de R$ 200 mil à Ampliação do Hospital.

Tobias Fischer, diretor da Robert Bosch Ltda., e René Lopes, gerente de Recursos Humanos da instituição, entregaram o cheque à diretora de relações institucionais do Hospital, Ety Cristina Forte Carneiro. A doação foi feita em nome do Instituto Robert Bosch, que investe em projetos sociais do mundo inteiro.

Esta foi a segunda visita da Bosch ao Pequeno Príncipe. Na primeira, os representantes planejavam fazer uma doação de R$ 100 mil, mas ficaram tão impressionados com a estrutura e o trabalho do Hospital que resolveram dobrar o valor do investimento.

Agora, a Bosch é mais um investidor do Projeto de Ampliação do Pequeno Príncipe, somando-se a centenas de empresas e pessoas que investem na causa da saúde infantil.

Produtos Sociais de Páscoa já estão à venda

O Hospital Pequeno Príncipe já está se preparando para as comemorações da Páscoa. A primeira ação envolvendo a data é a venda dos Produtos Sociais, produzidos especialmente para a ocasião.

Duas opções estão disponíveis: um coelhinho recheado de balinhas e um coelho médio, com espaço para ser preenchido com chocolates e outras guloseimas. A renda obtida com a venda dos produtos é revertida integralmente para o Hospital. Quem estiver interessado pode adquiri-los no Serviço de Voluntariado.

Confira os preços:
Coelho com balinhas: R$ 4,50
(na foto, são os três pequenos)

Coelho para bombom: R$ 10,00
(na foto, coelho amarelo grande)

Serviço de Voluntariado do Hospital:
Endereço:
Praça do Bibinha (dentro do Hospital) com entrada pela Av. Silva Jardim.
Fone: (41) 3310-1253
Horário de atendimento: das 8h às 12h e das 13h às 18h

O que são os produtos sociais:
Os produtos sociais são brindes, presentes e lembranças desenvolvidas pelo Hospital Pequeno Príncipe. Com esses produtos, o ato de presentear se reveste de solidariedade, pois os valores obtidos com a venda são integralmente revertidos para a manutenção do atendimento das crianças e adolescentes que necessitam de cuidados médico-hospitalares.

Além de uma linha regular de produtos, composta por camisetas, canecas, sacolas, aventais infantis e adulto, almofadas, brinquedos de madeira e bonecas de pano, o Hospital trabalha com produtos sazonais, como os de Páscoa, Natal e outras datas comemorativas.

Empresas também podem adquirir os produtos para presentear seus clientes, pois o Hospital cria brindes exclusivos, de acordo com as necessidades da empresa.
Desde o lançamento, os recursos obtidos com a venda dos produtos sociais já possibilitaram a aquisição de vários equipamentos como aparelho de polissonografia,  mesa de anestesia,  instrumental cirúrgico, entre outros.

Inscrições abertas para Liga Acadêmica do Hospital

Alunos de Medicina a partir do 6º período têm até o dia 5 de abril para fazer sua inscrição no curso de admissão da Liga Acadêmica do Hospital Pequeno Príncipe, a LAHPP.

A LAHPP proporciona aos alunos a realização de plantões no Ambulatório Clínico do Hospital e a participação no programa teórico da residência da instituição.

Efetuando a inscrição, os alunos realizam um curso de uma semana sobre temas fundamentais do atendimento à saúde infantil, e em seguida fazem a prova de seleção para a Liga, com 20 questões de múltipla escolha sobre o que foi abordado na semana de aulas. Os sete melhores colocados na prova ingressarão na LAHPP.

As inscrições custam R$ 10 e podem ser feitas na Coordenação de Ensino e Pesquisa do Hospital Pequeno Príncipe. Contatos podem ser feitos pelo telefone (41) 3310-1202, com Márcia ou Elmer.

Para mais informações, consulte aqui o edital do curso.

Pequeno Príncipe no Bom Dia Brasil

O Hospital Pequeno Príncipe foi destaque do noticiário nacional na última semana. No dia 30 de março, o projeto Amigo Bicho, que leva cães ao Hospital para alegrar as crianças, foi tema de uma reportagem veiculada no Bom Dia Brasil.

O projeto, desenvolvido por voluntários desde o início de 2006, já havia sido destaque do Bom Dia Paraná uma semana antes, e conquistou o interesse dos editores do programa nacional.

Faça sua doação