Notícias

Paraná está a um passo de se tornar pioneiro em diagnóstico precoce de tipo de câncer infantil

Projeto, que teve como base estudo do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, está perto de virar lei. Doença tem incidência 15 vezes maior no estado.
23 de novembro é Dia de Combate ao Câncer Infantil.
 
No Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil (sexta-feira, 23 de novembro) deste ano o Paraná está muito perto de se tornar o primeiro estado brasileiro a instituir oficialmente um exame em recém-nascidos que detecta uma mutação genética que predispões de um tipo letal de câncer infantil – o tumor de córtex adrenal.
 
Projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa, baseado em estudo inédito do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe (IPP), encontra-se em fase de sanção por parte do governador Beto Richa. A sanção tornará obrigatório no Estado que recém-nascidos passem por exame de DNA para detectar uma mutação genética altamente associada a tumor maligno. O custo de cada exame fica em torno de R$ 8.
 
Com isso, será possível acompanhar a evolução da criança, localizando precocemente uma eventual incidência do câncer. Na fase inicial, ele é facilmente curável por meio de uma operação simples (da glândula localizada acima dos rins). A doença, que surge normalmente até os dois anos de idade, mata em no máximo cinco anos se for diagnosticada tardiamente.
 
O tumor do córtex adrenal tem uma incidência 15 vezes maior no Paraná, por conta das características de evolução genética da população (mas não se sabe o que gerou essa mutação). Entre a população geral do país, a incidência é 4 casos a cada 1 milhão de habitantes. Nos EUA, há 0,3 casos para cada 1 milhão.
 
A cada 33 portadores da mutação, um desenvolve o tumor. O trabalho desenvolvido pelo pesquisador Bonald Figueiredo, do IPP, foi o primeiro rastreamento neonatal do mundo a usar o exame de DNA para identificar mutação genética que predispõe o paciente a câncer.
 
“Este teste é essencial para diminuir a incidência de câncer na população infantil”, explica Figueiredo. “É o único que permite identificar a probabilidade da criança desenvolver um tumor, além de alertar à família sobre a possível doença também nos demais membros.”
 
O estudo identificou ainda que a mesma alteração genética está ligada ao desenvolvimento de outro câncer, o carcinoma de plexo coróide (localizado no cérebro e também altamente letal).
 
A pesquisa
O estudo científico está sendo desenvolvido no Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe desde 2006. Bonald e sua equipe descobriram que a mutação R3337H no gene TP53 aumenta o risco da criança desenvolver o tumor de córtex adrenal. Esse câncer é mais raro em outros países e no Norte e Nordeste do Brasil, mas no Paraná a incidência é mais comum.
Até o fim de 2010, 172 mil crianças do Estado foram submetidas ao exame de DNA para identificar a mutação genética – 461 delas apresentaram alteração. Elas receberão acompanhamento médico até completar 15 anos. Este foi o mais completo e longo estudo de acompanhamento do tumor de córtex adrenal já feito no mundo.
A literatura anterior mostra que de cada 100 crianças com tumor de córtex adrenal, 98 apresentaram a mutação genética. 
 
Trabalho amplo
O estudo pioneiro é apenas um dos trabalhos sobre câncer desenvolvidos pelo Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. Desde que foi criado, em 2006, outros 27 estudos sobre tumores foram publicados em revistas científicas e apresentam resultados significativos para os pacientes – 22 deles tratam especificamente do tumor de córtex adrenal. Hoje, o Instituto tem 15 pesquisas em andamento sobre cânceres. São projetos relacionados à aplicação de técnicas para diagnóstico, classificação e prognóstico de doenças hemato-oncológicas, assim como o reconhecimento do protocolo terapêutico mais efetivo.
 
PEQUENO PRÍNCIPE CONTRA O CÂNCER
Considerado um dos mais importantes serviços de Oncologia e Hematologia pediátricas do Brasil, o Complexo Pequeno Príncipe atende a crianças e adolescentes com câncer, doenças do sangue e em espera por transplante de medula óssea de todo o país. Unidade mais antiga do Complexo, o Hospital é referência no tratamento de doenças hematológicas malignas e não malignas e tumores sólidos. 80% dos atendimentos são realizados pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Por ano, são quase 60 mil procedimentos ambulatoriais.
 
Em quase 40 anos, o serviço evoluiu em número de atendimentos e em melhorias físicas e equipamentos. As últimas conquistas foram: a nova ala de internação, com 12 leitos, e a Unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO), com três leitos equipados com tecnologia especial.
 
Serviços de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea em números
7 mil atendimentos ambulatoriais
59 mil procedimentos ambulatoriais
(quimioterapia, transfusão, punção lombar, entre outros)
Mais de 1 mil internações
Média de permanência em internação de 6,29 dias
80% do atendimento a pacientes do SUS
4 transplantes de medula óssea
 
OUTRAS INFORMAÇÕES RELEVANTES
 
– De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os cânceres em geral são a primeira causa de morte por doença no Brasil entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos.
 
– Diagnóstico precoce é fundamental para cura. Estima-se que em torno de 70% das crianças acometidas por câncer podem ser curadas, desde que diagnosticadas precocemente e tratadas em centros especializados. A maioria dessas crianças terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

Noite solidária na inauguração do Outback

Na noite de ontem, 19, a nova unidade do restaurante Outback no Shopping Park Barigui contou com a presença de um grupo muito especial de famílias engajadas na luta contra o câncer infantojuvenil que, além de apreciarem a boa culinária do restaurante, contribuíram para a causa. Toda a renda da noite – que teve seus convites esgotados com antecedência – foi em benefício ao serviço de Oncologia, Hematologia e Transplante de Medula Óssea do Hospital Pequeno Príncipe, direcionado a crianças e adolescentes que lutam contra o câncer e doenças no sangue.
O Outback tem a fama de boa comida mas sabemos que o Pequeno Príncipe foi a grande atração nesta noite”, comenta o CEO do Outback Brasil, Peter Rodenbeck. Segundo ele, a empresa vive em sintonia com a comunidade e sempre busca atender alguma necessidade dentro das possibilidades que o Outback possa oferecer. “É nossa tradição o envolvimento social e um momento de grande satisfação”, ressalta Peter.
Segundo Naldo Barbosa, sócio regional do Outback, a marca está no Brasil há 15 anos e tem como compromisso ajudar instituições envolvidas no tratamento do câncer. "Somos referência no nosso segmento e as pessoas respeitam a nossa marca. Nada mais justo apostar numa causa tão nobre para que os nossos clientes percebam este compromisso com o social”, diz Naldo. “Este é apenas o início de uma parceria que esperamos que dure longos anos”, conclui sobre o apoio ao Hospital.
Em agradecimento aos presentes, a diretora executiva do Pequeno Príncipe Ety Cristina Forte Carneiro, ressaltou a importância do envolvimento da comunidade no sucesso dos projetos da instituição. "Fazemos o que fazemos porque temos uma equipe profissional de alta qualidade e envolvida em sua missão, e principalmente uma sociedade participativa, que confia no trabalho que realizamos”, agradece Ety.

 

Simpósio Internacional de Neurociências

No final de novembro, Curitiba será o principal centro de discussão de Saúde Mental do Brasil. O Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe e o Centro de Neuropediatria da Universidade Federal do Paraná realizam o primeiro Simpósio Internacional de Neurociência feito em parceria pelas duas instituições.

O evento, que vai reunir alguns dos principais expoentes da área do Brasil e do exterior, deverá contar com aproximadamente 400 participantes.

As apresentações e debates irão abordar os principais males relacionados à Saúde Mental de crianças e adolescentes, suas causas e correlações. Fazem parte da grade de temas: TDAH, Síndrome de Asperger, comportamento agressivo, os fatores neurobiológicos, psicofarmacologia aplicada a autistas, entre outros.

As principais pesquisas científicas desenvolvidas no Brasil e no mundo estarão sendo apresentadas por cerca de 20 palestrantes.

O norte-americano James McCracken, o inglês Peter Whybrow (ambos da Universtity of California in Los Angeles, UCLA) e o espanhol Luis Fernando Vílchez Martín (da Universidade Católica de Madri) vêm ao Brasil especialmente para o encontro. McCracken e Whybrow são referência mundial em Saúde Mental.

Já Martín é uma das principais autoridades em educação e psicologia clínica aplicada ao setor.

Contatos:

Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe

Av. Silva Jardim, 1.632.
Curitiba – PR – CEP 80250-060
Tel.: 55 (41) 3310-1035

Assessoria de Imprensa do Pequeno Príncipe
Tel.: (41) 3310-1437 ou 3310-1101
E-mails: oscar.netto@hpp.org.br; camila.mendes@hpp.org.br; nana.martins@hpp.org.br

Centro de Neuropediatria, Hospital de Clinicas – UFPR

Rua Floriano Essenfelder, 81
Curitiba – PR – CEP 80.060-270
Tel.: 55 (41) 3598-0163

Local do Evento: Associação Médica do Paraná

Rua Cândido Xavier, 575 – Água Verde

Curitiba – PR, Brasil  – CEP 80240-280

Saiba mais em www.neurocienciasipp.org.br.

 

I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem

Conceitos sobre ética e bioética em saúde, postura profissional, humanização e acolhimento ao óbito são alguns dos destaques que serão discutidos no I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem, realizado pelo Hospital Pequeno Príncipe. O evento será de 21 a 23 de novembro, no Auditório César Pernetta, no próprio Hospital.

“A intenção é desenvolver uma ação educativa para reforçar a importância do exercício profissional o mais ético possível”, diz a irmã Lourdes Nogueira da Silva, presidente da Comissão de Ética de Enfermagem do Pequeno Príncipe.

 O evento é gratuito e destinado a estudantes e profissionais de Enfermagem (auxiliares, técnicos e enfermeiros). Veja a programação: 

 

Data

Palestra

Palestrante

Horário

21 de novembro
(quarta-feira)

Resgate o humanismo: A ética no cuidar humano

Miriam Nimlz – Doutora em Enfermagem

14h às 15h

Conceitos de ética e bioética em saúde

Jordan Zanetti – Médico e advogado

15h30 às 16h30

Acolhimento ao óbito

Márcia Carneiro Knapik – Especialista em Psicologia Transpessoal

19h30 às 21h

22 de novembro
(quinta-feira)

Postura e ética profissional

Ozana de Campos – Doutora em Educação

16h às 17h

23 de novembro
(sexta-feira)

Bioética e violência

Marco Bessa – Doutor em Psiquiatria

10h às 11h

O trabalho da enfermagem frente ao trato familiar em situações de estresse

Eliana Caetano da Silva – Psicóloga

16h às 17h

Para participar, é necessário fazer inscrição até 19 de novembro na secretaria de Direção de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe ou pelo telefone (41) 3310-1143. As vagas são limitadas.

Sobre a Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe
Considerada pelo Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren) como um exemplo a ser seguido, a Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe comemora 20 anos em 2012. Desde 1992, atua com a missão de educar, opinar, consultar, fiscalizar e assessorar os profissionais da área. O grupo é composto por oito pessoas, entre auxiliares, técnicos e enfermeiros, sendo quatro efetivos e quatro suplentes, escolhidos por votação. A última eleição ocorreu em 2010; a comissão escolhida atua até 2013.

Serviço:
I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe
Data: 21 a 23 de novembro
Local: Hospital Pequeno Príncipe – Auditório César Pernetta 
           (Av. Silva Jardim, 1.677, Curitiba – PR)
Inscrições: Secretaria de Direção de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe ou pelo telefone (41) 3310-1143 até 19 de novembro.

 

Dr. Ivan é homenageado em lançamento do livro “Um Hospital de Crianças”

A edição atualizada e bilíngue do livro "Um Hospital de Crianças", com os 93 anos de história do Pequeno Príncipe, foi lançada na terça-feira, dia 12 de novembro. A obra, escrita por José Álvaro da Silva Carneiro, Géssica Elen e Cristina Miyuki mostra a evolução da instituição e do atendimento pediatrico do Paraná e do Brasil, fazendo um resgate histórico, social e político de episódios ligados à área. Com isso, o livro contribui para a memória da evolução da saúde e da garantia de diretos no país.
O evento atraiu cerca de cem pessoas à sede da Sociedade Parananese de Pediatria, em Curitiba. O lançamento foi marcado por homenagens especiais ao médico Ivan Fontoura, peça fundamental na história da instituição, e Ety Gonçalves Forte, presidente da Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, que liderou a consolidação do Pequeno Príncipe como maior hospital de atendimento pediátrico de média e alta complexidade do Brasil.
“O carinho e o incentivo que recebi deste grande profissional foi muito importante para que tudo isso pudesse acontecer. Ele fazia acreditar que eu podia sempre”, disse Ety, emocionada, sobre o colega.
Ivan lembra que a preocupação com bom atendimento, incentivo à eduçação, ensino, pesquisa e assistência sempre estiveram presentes no trabalho da equipe médica. “Sabíamos que Curitiba cresceria e a função do Hospital haveria de crescer também. Foram acontecimentos que se desenharam lentamente e estou feliz porque estão cuidando bem do nosso Hospital”, afirmou ele durante o evento. 
No discurso de agradecimento, o médico ressaltou a importância do exercício de cuidar de pessoas. “Todos temos a obrigação de sermos compassivos para diminuir o sofrimento alheio e esta atitude voluntária da Ety é um atributo do seu nobre coração."

Homenageado
Ivan Beira Fontoura, natural de Curitiba, formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná no ano de 1951. Com pós-graduação em Puericultura e Nutrição, Mestrado na Universidade da Califórnia, e Doutorado na Sourbone, Universidade Paris 1, foi professor assistente de Pediatria e Puericultura da PUC- PR. Dos seus 56 anos de formado, dedicou 54 à clínica pediátrica além de ser diretor de vários hospitais, incluindo o Hospital Pequeno Príncipe, onde atuou por três décadas e ocupou vários cargos diretivos. Organizou o Hospital Infantil do Litoral, em Paranaguá, de 1969 a 1970, e foi planejador sênior da Secretaria de Planejamento por vários anos, tendo instituído o programa de assistência às ilhas, trabalho de assistência médico-social que existe até hoje no litoral. Foi ainda Secretário Estadual de Saúde no período de 1971 a 1975, dando ênfase à programas de prevenção na área materno-infantil.
Atualmente como aposentado, mora no litoral paranaense onde reavivou o projeto de promoção comunitária criado em 1969 e desenvolve diversos trabalhos voluntários na região.

Autores
A obra atual é uma reedição atualizada (e bilíngue: português e inglês) do  livro dos 85 anos do Pequeno Príncipe. “Foi um orgulho enorme ter mergulhado nesta história, que eu achava que conhecia”, disse Géssica. Para José Álvaro este livro traz uma gigantesca responsabilidade de registro aos que passaram pela história e para os que ainda vão fazer parte dela. “São fatos que permitem uma viagem no tempo para imaginar como era a assistência há 60, 70 anos”, completa.
O projeto foi viabilizado por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e tem o patrocínio das empresas Romani S/A, Cremer S/A, SNR do Brasil, Eletrofrio, Seccional Comércio Internacional Ltda, Laboratórios B.Braun, Nunesfarma, Styner Bienz, Transresíduos, Horus Informática, Gemu e CINQ Tecnologies.
Esta segunda edição do livro tem 267 páginas e pode ser obtida no próprio Hospital.

Outback inaugura unidade e doa 100% da renda para o Pequeno Príncipe

Gastronomia e responsabilidade social serão os ingredientes da degustação beneficente promovida pelo Outback Curitiba, no Parkshopping Barigui, no próximo dia 19 de novembro, das 19h  às 21h . A rede de restaurantes vai doar a renda de inauguração da nova unidade para o serviço de Hemato-Oncologia e Transplante de Medula Óssea do Hospital Pequeno Príncipe, que trata câncer e doenças do sangue.

A noite beneficente é uma tradição da rede Outback Steakhouse. Cerca de 200 pessoas na segunda próxima segunda-feira, quando será oferecido um menu degustação com bebidas selecionadas. Os convites custam R$ 100,00 cada, e podem ser adquiridos no Hospital Pequeno Príncipe (Avenida Silva Jardim, 1677). Informações pelo telefone (41) 3310-1080 ou pelo e-mail alessandra.schmidt@hpp.org.br

Sobre o Outback Steakhouse

A rede de origem australiana Outback Steakhouse está presente em 23 países da Europa, Amércias e Ásia. No Brasil, são 37 endereços, nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Niterói, Campinas, Goiânia, Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Ribeirão Preto, Vitória, São José dos Campos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Florianópolis e Guarulhos. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, em 1997. O Outback oferece, em ambientes descontraídos, cortes especiais de carnes, com pratos fartos e sabor marcante.

Sobre o Hospital Pequeno Príncipe

O Complexo Pequeno Príncipe é formado pelos hospitais César Pernetta e Pequeno Príncipe, Faculdades Pequeno Príncipe e Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. Esta história começou em 1919, quando voluntários se organizaram para oferecer consultas e remédios gratuitos a crianças e adolescentes. Atualmente, o Pequeno Príncipe é o maior hospital pediátrico de alta complexidade do Brasil, 70% de sua capacidade é destinada ao SUS, o que o caracteriza como uma instituição filantrópica. O Hospital realiza cerca de 17 mil cirurgias, 340 mil atendimentos ambulatoriais e 24 mil internações ao ano.

Hospital Pequeno Príncipe na luta contra o câncer infantojuvenil
Há mais de 40 anos o serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital Pequeno Príncipe atende crianças com câncer e doenças do sangue independente da condição social e está entre os mais importantes do Brasil. Com o apoio da comunidade, em maio de 2011 foi inaugurada a nova Unidade de Transplante de Medula Óssea, formada por 3 leitos equipados com tecnologia especial, juntamente com a área revitalizada de internação da Hemato-Oncologia, com 12 leitos.

 

Dr. Ivan é homenageado no lançamento de “Um Hospital de Crianças”

A edição atualizada e bilíngue do livro "Um Hospital de Crianças", com os 93 anos de história do Pequeno Príncipe, foi lançada na terça-feira, dia 12 de novembro. A obra, escrita por José Álvaro da Silva Carneiro, Géssica Elen e Cristina Miyuki mostra a evolução da instituição e do atendimento pediatrico do Paraná e do Brasil, fazendo um resgate histórico, social e político de episódios ligados à área. Com isso, o livro contribui para a memória da evolução da saúde e da garantia de diretos no país.
O evento atraiu cerca de cem pessoas à sede da Sociedade Parananese de Pediatria, em Curitiba. O lançamento foi marcado por homenagens especiais ao médico Ivan Fontoura, peça fundamental na história da instituição, e Ety Gonçalves Forte, presidente da Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, que liderou a consolidação do Pequeno Príncipe como maior hospital de atendimento pediátrico de média e alta complexidade do Brasil.
“O carinho e o incentivo que recebi deste grande profissional foi muito importante para que tudo isso pudesse acontecer. Ele fazia acreditar que eu podia sempre”, disse Ety, emocionada, sobre o colega.
Ivan lembra que a preocupação com bom atendimento, incentivo à eduçação, ensino, pesquisa e assistência sempre estiveram presentes no trabalho da equipe médica. “Sabíamos que Curitiba cresceria e a função do Hospital haveria de crescer também. Foram acontecimentos que se desenharam lentamente e estou feliz porque estão cuidando bem do nosso Hospital”, afirmou ele durante o evento. 
No discurso de agradecimento, o médico ressaltou a importância do exercício de cuidar de pessoas. “Todos temos a obrigação de sermos compassivos para diminuir o sofrimento alheio e esta atitude voluntária da Ety é um atributo do seu nobre coração."

Homenageado
Ivan Beira Fontoura, natural de Curitiba, formou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná no ano de 1951. Com pós-graduação em Puericultura e Nutrição, Mestrado na Universidade da Califórnia, e Doutorado na Sourbone, Universidade Paris 1, foi professor assistente de Pediatria e Puericultura da PUC- PR. Dos seus 56 anos de formado, dedicou 54 à clínica pediátrica além de ser diretor de vários hospitais, incluindo o Hospital Pequeno Príncipe, onde atuou por três décadas e ocupou vários cargos diretivos. Organizou o Hospital Infantil do Litoral, em Paranaguá, de 1969 a 1970, e foi planejador sênior da Secretaria de Planejamento por vários anos, tendo instituído o programa de assistência às ilhas, trabalho de assistência médico-social que existe até hoje no litoral. Foi ainda Secretário Estadual de Saúde no período de 1971 a 1975, dando ênfase à programas de prevenção na área materno-infantil.
Atualmente como aposentado, mora no litoral paranaense onde reavivou o projeto de promoção comunitária criado em 1969 e desenvolve diversos trabalhos voluntários na região.

Autores
A obra atual é uma reedição atualizada (e bilíngue: português e inglês) do  livro dos 85 anos do Pequeno Príncipe. “Foi um orgulho enorme ter mergulhado nesta história, que eu achava que conhecia”, disse Géssica. Para José Álvaro este livro traz uma gigantesca responsabilidade de registro aos que passaram pela história e para os que ainda vão fazer parte dela. “São fatos que permitem uma viagem no tempo para imaginar como era a assistência há 60, 70 anos”, completa.
O projeto foi viabilizado por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e tem o patrocínio das empresas Romani S/A, Cremer S/A, SNR do Brasil, Eletrofrio, Seccional Comércio Internacional Ltda, Laboratórios B.Braun, Nunesfarma, Styner Bienz, Transresíduos, Horus Informática, Gemu e CINQ Tecnologies.
Esta segunda edição do livro tem 267 páginas e pode ser obtida no próprio Hospital.

I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem

Conceitos sobre ética e bioética em saúde, postura profissional, humanização e acolhimento ao óbito são alguns dos destaques que serão discutidos no I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem, realizado pelo Hospital Pequeno Príncipe. O evento será de 21 a 23 de novembro, no Auditório César Pernetta, no próprio Hospital.

“A intenção é desenvolver uma ação educativa para reforçar a importância do exercício profissional o mais ético possível”, diz a irmã Lourdes Nogueira da Silva, presidente da Comissão de Ética de Enfermagem do Pequeno Príncipe.

 O evento é gratuito e destinado a estudantes e profissionais de Enfermagem (auxiliares, técnicos e enfermeiros). Veja a programação: 

Data

Palestra

Palestrante

Horário

21 de novembro
(quarta-feira)

Resgate o humanismo: A ética no cuidar humano

Miriam Nimlz – Doutora em Enfermagem

14h às 15h

Conceitos de ética e bioética em saúde

Jordan Zanetti – Médico e advogado

15h30 às 16h30

Acolhimento ao óbito

Márcia Carneiro Knapik – Especialista em Psicologia Transpessoal

19h30 às 21h

22 de novembro
(quinta-feira)

Postura e ética profissional

Ozana de Campos – Doutora em Educação

16h às 17h

23 de novembro
(sexta-feira)

Bioética e violência

Marco Bessa – Doutor em Psiquiatria

10h às 11h

O trabalho da enfermagem frente ao trato familiar em situações de estresse

Eliana Caetano da Silva – Psicóloga

16h às 17h

Para participar, é necessário fazer inscrição até 19 de novembro na secretaria de Direção de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe ou pelo telefone (41) 3310-1143. As vagas são limitadas.

Sobre a Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe
Considerada pelo Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren) como um exemplo a ser seguido, a Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe comemora 20 anos em 2012. Desde 1992, atua com a missão de educar, opinar, consultar, fiscalizar e assessorar os profissionais da área. O grupo é composto por oito pessoas, entre auxiliares, técnicos e enfermeiros, sendo quatro efetivos e quatro suplentes, escolhidos por votação. A última eleição ocorreu em 2010; a comissão escolhida atua até 2013.

Serviço:
I Seminário da Comissão de Ética de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe
Data: 21 a 23 de novembro
Local: Hospital Pequeno Príncipe – Auditório César Pernetta 
           (Av. Silva Jardim, 1.677, Curitiba – PR)
Inscrições: Secretaria de Direção de Enfermagem do Hospital Pequeno Príncipe ou pelo telefone (41) 3310-1143 até 19 de novembro.

Pequeno Príncipe lança livro sobre 93 anos de história da instituição

O lançamento da obra, que traz a trajetória do maior hospital pediátrico de alta e média complexidade do Brasil, será no dia 12 de novembro
O livro “Um Hospital de Crianças” será lançado no dia 12 de novembro, às 19h, na Sociedade Paranaense de Pediatria. A entrada para o evento é gratuita. A obra traz a trajetória de 93 anos do Complexo Pequeno Príncipe, formado pelos hospitais Pequeno Príncipe e César Pernetta, Faculdades Pequeno Príncipe e Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. 
Esta é a segunda edição do livro, uma versão revisada, ampliada e bilíngue. A primeira edição foi lançada no aniversário de 85 anos do Hospital Pequeno Príncipe. A obra foi escrita com base em pesquisa documental e relatos de pessoas que participaram ativamente da história da entidade, que atuaram ou ainda fazem parte da instituição. O livro faz um resgate histórico do contexto social e político do país, contribuindo para a memória da evolução da saúde e da garantia de direitos no Brasil, a partir de um paralelo entre a história do Pequeno Príncipe e da pediatria no país.
O projeto foi viabilizado por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e tem o patrocínio das empresas Romani S/A, Cremer S/A, SNR do Brasil, Eletrofrio, Seccional Comércio Internacional Ltda, Laboratórios B.Braun, Nunesfarma, Styner Bienz, Transresíduos, Horus Informática, Gemu e CINQ Tecnologies.
Complexo Pequeno Príncipe
O Complexo Pequeno Príncipe é uma organização sem fins lucrativos. Atua nas áreas de assistência em saúde, ensino, pesquisa e mobilização social, por meio de suas três unidades: o Hospital Pequeno Príncipe, as Faculdades Pequeno Príncipe e o Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe.
 
O Pequeno Príncipe é o maior hospital pediátrico de média e alta complexidade do País, com 390 leitos. A instituição realiza aproximadamente 346 mil atendimentos ambulatoriais, 25 mil internações, 566 mil exames e 17 mil cirurgias ao ano. Cerca de 70% de sua capacidade de atendimento é destinada aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).
Ficha técnica
Um Hospital de Crianças
Autores: José Álvaro Carneiro, Cristina Miyuki Sato e Géssica Elen
Edição bilíngue (Português e Inglês), 267 páginas, capa dura, 35cm X 24 cm
 
Serviço:
Lançamento do livro “Um hospital de crianças”
Data: 12 de novembro
Horário: 19h
Local: Sociedade Paranaense de Pediatria – Rua Desembargador Vieira Cavalcanti, 550, bairro Mercês, em Curitiba. Entrada gratuita.
Faça sua doação