Notícias

ENEPE promove importante troca de experiências na área de saúd

Cristiano Freitas
Akerman trouxe importantes questões para reflexão em torno do tema Promoção da Saúde.
Akerman trouxe importantes questões para reflexão em torno do tema Promoção da Saúde.

O XI Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão (ENEPE) permitiu inúmeras reflexões sobre educação e saúde. Nos dias 29 e 30 de agosto, na sede da Faculdades Pequeno Príncipe, diversas palestras e trabalhos trouxeram inúmeros debates e ideias em torno desta temática (clique aqui e confira mais informações).

O médico e professor da USP Marco Akerman, por exemplo, proferiu a palestra “Promoção da Saúde no Cenário Brasileiro”. O profissional trouxe inúmeras reflexões e desafios em torno do assunto. “Vale lembrar que em 2016, de 24 a 27 de maio, Curitiba vai sediar a 22.ª Conferência Mundial de Promoção da Saúde. Isso é um fato muito importante e que coloca o mundo em sintonia com a cidade”, falou.

Outro tema interessante trabalhado no ENEPE foi “Práticas Integrativas no Ensino”, abordado pela chefe do departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Sarah Hegeto de Souza. A professora apresentou a experiência de currículo integrado do curso de Enfermagem praticado pela UEL desde 2000.

De acordo com ela, as práticas integrativas – modalidade de ensino que parte do princípio da contextualização do conteúdo – proporcionam a formação de profissionais mais capacitados para as demandas atuais. “O aluno aprende quando o conteúdo tem um significado, quando ele percebe como será útil para a vida profissional. Por meio das práticas integrativas, é possível dar pertinência ao conteúdo no momento exato em que tem relevância para o aluno e proporcionar, assim, um melhor aprendizado”, afirmou.

Para a diretora geral da Faculdades Pequeno Príncipe, Patricia Rauli, essa interlocução com professores de outras universidades durante o ENEPE tem grande relevância para a instituição. “É um privilégio termos essa integração num momento em que discutimos internamente a reformulação curricular, um processo que envolve direção, professores e alunos, visando um ensino cada vez melhor”, comentou.

Daniela Costenaro
Sarah Hegeto de Souza., da UEL, trouxe experiências interessantes de ensino integrado para o ENEPE.
Sarah Hegeto de Souza, da UEL, trouxe experiências interessantes de ensino integrado para o ENEPE.

Nota à imprensa – Pronto-atendimento do Hospital Pequeno Príncipe tem funcionamento reestabelecido após interrupção de uma hora

O Hospital Pequeno Príncipe interrompeu o serviço de pronto-atendimento para convênios e particulares na tarde deste domingo (22), por cerca de uma hora. A unidade passa por uma reforma e uma equipe contratada atuava em uma das salas de observação quando um acidente de trabalho ocasionou um princípio de incêndio, o que provocou muita fumaça. O fogo foi rapidamente controlado pela brigada de incêndio da instituição. 

Os trabalhadores que faziam a reforma ficaram feridos e, após os primeiros-socorros realizados no Pequeno Príncipe, foram encaminhados para o Hospital Evangélico. 

3º Bingo Beneficente em prol do Pequeno Príncipe

O ex-jogador do Coritiba Tcheco e a sua família promovem Bingo Beneficente com toda renda revertida para as atividades de assistência e pesquisa do Complexo Pequeno Príncipe. O evento conta com sorteio de brindes especiais e jantar para os participantes. Os ingressos podem ser comprados com antecedência na Tcheco Mania de Bola.

Serviço:

3º Bingo Beneficente em prol do Pequeno Príncipe

Data: 26/09/2013

Horário:19h

Local: Restaurante Madalosso – Salão Firenze    Av. Manoel Ribas, 5875 Curitiba – PR

Ingresso: R$ 70 – inclui 3 cartelas para bingo (com possibilidade de uma troca) e jantar com bebidas alcoólicas e não alcoólicas.

Informações: (41) 3247-1513/2108-3898

Vagas limitadas!

Pequeno Príncipe está na final do Prêmio Abril de Saúde 2013

A pesquisa Rastreamento inédito para detectar um tumor em crianças – comandada pelo diretor-científico do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, Bonald Cavalcante de Figueiredo, e desenvolvida com uma equipe que envolveu 25 profissionais – está entre os três finalistas do Prêmio Abril de Saúde 2013, na categoria Saúde da Criança.

A escolha do vencedor do prêmio conta com uma fase onde são considerados os votos do público em geral. Você também pode votar e ajudar o Complexo Pequeno Príncipe a consolidar mais essa conquista a favor da saúde de crianças e adolescentes. Para isso, basta acessar o link http://saude.abril.com.br/premiosaude/2013/finalistas-crianca.shtml e selecionar a pesquisa.

Saiba mais
No estudo, a mesma gota de sangue do famoso teste do pezinho foi utilizada por médicos, biólogos e bioquímicos para procurar uma mutação genética responsável por um tipo de câncer pediátrico: o tumor de córtex adrenal (TCA). O resultado foi muito positivo, pois conhecendo os riscos para o desenvolvimento da doença, elevam-se os índices de cura para até 95% dos pacientes.

Hemodinâmica completa 25 anos e realiza procedimento número 12 mil

O Setor de Hemodinâmica do Hospital Pequeno Príncipe completou nesta quinta-feira, 05 de setembro, 25 anos de existência. E nesta mesma data, a equipe da área realizou o procedimento de número 12 mil. O cateterismo foi feito em um garoto de seis anos vindo de Maringá, cidade localizada no Noroeste do Paraná.

 
O coordenador do Serviço, Léo Agostinho Solarewicz, conta que a área do Pequeno Príncipe é referência no Brasil, juntamente com outros dois hospitais de São Paulo e do Rio de Janeiro. No setor são efetuados diagnósticos e procedimentos terapêuticos que utilizam o cateterismo, com punções em veia ou artérias pela virilha ou pescoço.

“O procedimento número 12 mil, por exemplo, foi terapêutico. Era um caso de estenose aórtica, que pode provocar dores, isquemias e até desmaios quando a criança pratica atividades físicas”, explica o médico.

Solarewicz destaca a importância do cateterismo. “Ao utilizá-lo, evita-se a cirurgia em grande parte dos casos. A vantagem está justamente nessas ações terapêuticas, algo que não era feito há 20 anos. É realmente uma evolução no caso de patologias cardíacas”, diz.

Investigação de doenças
Entre as doenças que podem ser investigadas e podem ser submetidas a procedimentos terapêuticos com a técnica está, além da estenose aórtica, a estenose pulmonar valvar, entre outras moléstias. Também é feito o fechamento de fístulas coronárias. “Eles são realizados desde em recém-nascidos até adolescentes com 18 anos”, conclui Solarewicz.

 

Visita proporciona aproximação entre hospitais pediátricos

O Hospital Pequeno Príncipe recebeu nesta segunda-feira (26) a visita do presidente do Hospital Infantil Sabará, o médico pediatra José Luiz Setúbal. Com isso, foi dada continuidade a uma aproximação entre as duas instituições. “Foi um momento em que pudemos trocar informações e ideias para futuras parcerias, já que os dois hospitais têm muitas características em comum”, ressaltou Setúbal.

O diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro Carneiro, destacou a importância da união entre hospitais pediátricos do Brasil. “Essa visita é uma oportunidade de aproximação entre duas grandes instituições de saúde infantil do país, que têm grande interesse comum pela assistência e a pesquisa”, afirmou.
 

Durante o dia, Setúbal e os demais representantes da fundação de saúde de São Paulo conheceram um pouco mais sobre a estrutura do Pequeno Príncipe, bem como a respeito dos estudos realizados por médicos, farmacêuticos, bioquímicos e demais profissionais do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe. “Os nossos trabalhos têm uma meta arrojada. Temos como missão aumentar o percentual de cura de doenças complexas da criança e do adolescente”, ressaltou o diretor-técnico do Instituto, Bonald Cavalcante de Figueiredo.
 

Pesquisadores do Pequeno Príncipe apresentaram, ainda, suas linhas de pesquisas e os diferentes estudos que têm realizado, assim como os resultados já obtidos. Entre eles estão os trabalhos nas áreas de doenças hemato-oncológicas em pediatria, fisiopatologia e genética das doenças imunológicas, doenças infectocontagiosas em pediatria e na adolescência, e terapia celular e biotecnologia na medicina regenerativa. Atualmente, são 47 projetos de pesquisa em andamento nesses e nos demais segmentos de atuação do Instituto.
 

Medalha

Ao final de sua passagem por Curitiba, o presidente do Hospital Infantil Sabará, são-paulino de coração, foi presenteado com uma medalha da Série Ouro alusiva ao 591º gol marcado por Pelé, no jogo de número 503 da carreira do Rei do Futebol. Foi numa partida entre Santos e São Paulo Futebol Clube. No placar final, o Tricolor levou a melhor, ganhando de 4 a 1 do Peixe, mas o Rei deixou a sua marca.

 

 

Crianças conhecem manifestação folclórica no Pequeno Príncipe

O folclore brasileiro é repleto de histórias, lendas e causos que retratam diversos personagens, como Saci-Pererê, Mula sem Cabeça, Curupira, Boitatá, e tem, inclusive, o Boi que ressuscita, entre outras representações populares regionais. Para fortalecer os laços populares com a cultura, o Brasil celebra no dia 22 de agosto, o Dia do Folclore. 

As tradições folclóricas são parte da alma de um povo. Conhecê-las e cultivá-las é uma maneira de nos tornarmos mais ‘brasileiros’ e de alimentarmos em nós o espírito de festa e de convivência comunitária. Quando participam conosco da história do boi, as crianças e seus familiares dão vida a uma tradição ancestral profundamente brasileira, ingênua e bela”, afirma o coordenador do Setor de Educação e Cultura (Educ), Cláudio Teixeira.

O Educ foi criado como setor em 2002, no entanto as atividades voltadas a proporcionar acompanhamento educacional aos pacientes internados e a viabilizar espetáculos variados para entreter e apresentar manifestações culturais aos pacientes e seus familiares existem desde os anos 1990.
O projeto foi viabilizado pela Lei Rouanet e patrocinado pelas empresas Cia Cable Tele Informática Comércio e Representações Comerciais Ltda, Gestamp Paraná S.A, Mondelez Brasil, Servopa S/A Comércio e Indústria e Sul Defensivos Agrícolas Ltda.

Bumba Meu Boi

Uma das manifestações folclóricas mais tradicionais no país, o Bumba Meu Boi reúne música, dança, circo e teatro. A lenda retrata a vida de um casal de escravos: Francisco e Catirina. Durante a gravidez, Catirina tem vontade de comer língua de boi, obrigando o marido a matar o boi mais bonito do dono da fazenda em que trabalham para satisfazê-la. Ao perceber a morte do animal, o fazendeiro reúne curandeiros e pajés para ressuscitar o boi. Quando esse retorna à vida, todos comemoram e assim se inicia a festa.

Parabolé Educação e Cultura

A Parabolé Educação e Cultura desenvolve projetos culturais que apresentam interesse educacional e social. Seus serviços são oferecidos a escolas públicas e particulares, empresas, secretarias municipais e estaduais de educação e cultura. Seus produtos são destinados a crianças, educadores, pais, pesquisadores e todo público interessado em cultura e educação. Para saber mais: http://www.parabole.com.br.

 

 

 

 

 

 

 

Hospital Pequeno Príncipe recebe equipe do Exército

Nesta semana, segunda,terça e quarta-feira (19, 20 e 21 de agosto), crianças e adolescentes em tratamento no Hospital Pequeno Príncipe terão a oportunidade de vivenciar a Semana do Soldado. Uma equipe de militares do 20º Batalhão de Infantaria Blindado está presente na instituição para desenvolver uma programação lúdica com os pacientes.
 
Esta é a primeira vez que o grupo realiza uma atividade de extensão em uma instituição de saúde. “Nesta semana, o quartel abre as portas para a comunidade, especialmente estudantes, conhecerem o trabalho que desenvolvemos. Mas, neste ano, resolvemos inovar e propomos esta ação no Hospital. O nosso objetivo é despertar o sentimento cívico a crianças que, por motivo de tratamento, não podem ir até o quartel”, afirma o tenente Matheus Pontes de Oliveira.
 
Dentre as atividades, a que mais chama a atenção de crianças e adolescentes é a pintura simbólica do rosto. Com lápis e água, os militares fazem uma representação da camuflagem de soldado. Com o rosto caracterizado, todos são convidados a interagir com banners e instalações lúdicas, além de pintar figuras que remetem ao trabalho desenvolvido pelo Exército. Ao final, recebem um exemplar da revista de história em quadrinhos “O Recrutinha”.
 
“Gostei bastante desta tarde. Aprendi que todos temos o dever de proteger a Pátria, preservando as matas e cuidando dos animais”, diz a paciente Ana Clara Carbona Feitosa, de 8 anos.